SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 05 DE DEZEMBRO DE 2021
Mais poesia, por favor

Segunda edição do especial 'Poesia na Cidade' traz 48 poemas

Os textos desta edição foram publicados entre os dias 7 de março e 29 de agosto, na revista Bem-Estar, do Diário da Região

Jéssica Reis
Publicado em 26/09/2021 às 00:00Atualizado em 27/09/2021 às 10:36

Bem-vindos, leitores da revista Bem-Estar, à segunda edição especial do projeto “Poesia na Cidade”. Muito mais que simples versos, a poesia tem o poder de levar a arte em forma de palavras para as pessoas, um alento para o coração em dias tão difíceis como os vividos durante a pandemia.

Clique aqui para acessar a edição especial

Os textos desta edição foram publicados entre os dias 7 de março e 29 de agosto, sob coordenação da tradutora Patrícia Reis Buzzini, membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-Pretense de Letras e Cultura (ARLEC). No total 48 manifestações de poetas profissionais e amadores de Rio Preto e região, que se dispuseram a compartilhar sua arte.

Assim como na primeira etapa do concurso, os poemas passaram por uma avaliação do Conselho Editorial composto por seis membros, que escolherem dez poemas favoritos, segundo critérios pessoais. Os três mais votados serão premiados com uma caricatura feita pelo cartunista, ilustrador e caricaturista Lezio Junior, que também assina a ilustração capa, além de uma exposição inédita. 

As páginas desta edição ganharam cores pelas mãos do editor de artes César Augusto Belisário, que coloriu os poemas com flores, em uma singela homenagem à chegada da primavera.

Exposição no Riopreto Shopping

A segunda edição do projeto “Poesia na Cidade” vai ganhar uma exposição exclusiva com 20 dos poemas publicados na revista Bem-Estar deste domingo, 26.

A mostra pode ser conferida a partir de amanhã, 27, até o dia 10 de outubro, no Riopreto Shopping. A parceria tem o objetivo de promover o interesse pela arte e pela literatura, por meio da escrita de poetas profissionais e amadores.

Participe

Os poemas podem ser enviados para Francine Moreno (francine.moreno@diariodaregiao.com.br) com nome e foto do autor, além de um telefone para contato.

Com a palavra, o Conselho editorial

“É uma missão ingrata ter que escolher entre tantos bons e belos poemas. Pela segunda vez me vi em um dilema: quem sou eu para definir o que é bom e o que não é? Não seria uma incumbência muito pretensiosa de minha parte, ainda que na condição de convidado? Eu não deveria, na solidão e silêncio, fazer um sorteio às cegas? Afinal, todos sairiam ganhando e eu não teria conflitos internos. Seria ético? Optei pelo correto e escolhi as obras que afoguearam mais forte meu coração.”

Lelé Arantes, membro da ARLEC e colunista do Diário da Região

“Com o intuito de ser o mais justo possível, alguns critérios básicos precisam ser seguidos para a avaliação dos poemas. A correção linguística, a criatividade e a originalidade são fatores preponderantes no trabalho. A utilização correta de figuras de linguagens, o ritmo adequado e a poeticidades utilizados pelo autor devem construir uma unidade de sentido. O autor precisa considerar a diversidade de leitores e o título do poema deveria motivar o leitor. Por fim, o olhar peculiar e lúdico do autor precisa sensibilizar e seduzir o leitor. Creio que o projeto já conta com uma credibilidade boa e não há, a meu ver, necessidade de alterações significativas.”

Pérsio L. Marconi, advogado, professor, escritor, revisor literário e membro da ARLEC

“Mais uma vez é uma honra poder participar da comissão que seleciona os poemas para esse lindo projeto. Assim como da primeira edição, procurei escolher as obras mais arrojadas e disruptivas tanto em relação à estrutura quanto à abordagem do assunto. Além disso, os textos corajosos em tocar, direta ou perifericamente, temas sensíveis da sociedade atual ganham sempre minha atenção e, consequentemente, meu ‘voto’.”

Letícia Flores, professora de Língua Portuguesa, revisora e escritora, articulista do Diário da Região

 “O prazer imenso que tive em participar do júri da Primeira Edição do Poesia na Cidade, seis meses atrás, aumentou demais nesta nova Edição. Não que essa tenha sido melhor que aquela em qualidade, número de poemas, variedade de poetas... Mas porque é extremamente gratificante, para quem ama literatura e trabalha com ela, ver consolidar-se uma iniciativa voltada para a valorização da poesia. Os versos precisam de ar e luz para cumprirem sua missão: espantar e enternecer o leitor de forma a fazê-lo olhar a vida com a perspectiva que ela merece. Esta promoção do Diário da Região tem feito isso: trazer ao ar e à luz poemas que não poderiam ficar desconhecidos.”

Paulo Rezende, escritor e criador da Vitrine Literária Editora

“Ai palavras, ai palavras que estranha a potência vossa, questiona Cecília Meireles em uma antológica poesia. E é nesse prisma que analisar as poesias dos poetas rio-pretenses traz, para qualquer leitor, uma enorme felicidade ver que há tanta gente por aí lutar com as palavras. Na visão de Drummond, lutar com palavras é a luta mais vã. No entanto, lutamos qual rompe a manhã e esses artifícios da língua trazem para nós um universo de analogias, de metáforas, de subjetividades que ressignificam a nossa própria existência, enquanto não só de poemas, mas também da realidade local, nas páginas do Diário da Região. Consoantes ensinamentos de Max Weber, o sociólogo, a língua é a instituição social primária e a partir dela que, nós seres humanos, adquirimos nossos direitos, nossos deveres e até temos um escapismo da realidade, às vezes, tão dura, às vezes, tão árdua. E na poesia podemos encontrar uma nova forma de ver a vida, um outro prisma, uma nova situação e é isso. Participar de um concurso de poesia é sempre libertador, lutar com palavras pode ser a luta mais vã. No entanto, lutamos qual rompe a manhã e parabéns aos que lutam, aos que leem, aos que constroem um novo mundo a partir da linguagem.”

Washington Paracatu, professor de Língua Portuguesa e Redação em Rio Preto

“Poder mais uma vez participar da banca avaliadora do prêmio de poesias promovido pelo Diário da Região foi muito gratificante. Nesta edição, o rol de poetas foi maior, o que revela o sucesso da primeira edição e, acima de tudo, o encorajamento que o jornal ofereceu aos muitos escritores escondidos, que deram as caras enviando seus textos.

Uma outra questão que também me chamou a atenção foi a recorrência de esperança na temática apresentada, reflexo direto dos tempos obscuros, desdobramento tanto da pandemia da Covid-19, quanto da escalada do discurso autoritário em nosso País.”

João Paulo Vani, presidente da Academia Brasileira de Escritores (Abresc) e colunista do Diário da Região

'Poesia na Cidade': firme no propósito de semear beleza, lucidez e sensibilidade

Patrícia Reis Buzzini, escritora, tradutora. Membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (ARLEC)

Patrícia Reis Buzzini, escritora, tradutora. Membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (ARLEC)

Patrícia Reis Buzzini, escritora, tradutora. Membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (ARLEC)

Graças à chegada da primavera e ao envolvimento de um número cada vez maior de poetas da nossa cidade e região, a segunda edição do projeto “Poesia na Cidade” continua firme no propósito de semear beleza, lucidez e sensibilidade por meio da arte e da literatura, em especial, a Poesia. Num contexto marcado por tragédias visíveis e invisíveis, é preciso ter consciência de que ler (bons livros) e escrever são atividades essenciais para todas as pessoas que desejam “sair da ilha” - como já dizia o grande escritor português José Saramago – e embarcar numa espécie de viagem rumo aos porões de suas caravelas particulares, cujos prazeres e deslocamentos, necessariamente, perpassam a apreensão das demais embarcações ancoradas no porto. Talvez seja esse um dos legados mais relevantes da pandemia do coronavírus. Que ao final desta nova leitura/travessia, possamos estar menos dependentes de mitos e muletas metafísicas e mais próximos da única pergunta que realmente importa: “O que é que tu queres?”.

Patrícia Reis Buzzini, escritora, tradutora. Membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (ARLEC)

Patrícia Reis Buzzini, escritora, tradutora. Membro da Academia Brasileira de Escritores (ABRESC) e da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (ARLEC)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por