SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 19 DE AGOSTO DE 2022
Saúde Mental

Está na hora de recuperar a sua autoestima

Jéssica Reis
Publicado em 04/09/2021 às 09:36Atualizado em 04/09/2021 às 12:02

Todos estão exaustos com a pandemia, que ainda não acabou, mas já dá sinais de melhora com o avanço da vacinação. Depois de mais de 1 ano e meio, as mudanças na rotina causaram problemas ao bem-estar físico, emocional e mental de milhares de brasileiros. Mas não é só isso, a autoestima também foi afetada.

Em meio às mudanças na vida profissional e pessoal, se adaptar pode se tornar um processo difícil e doloroso. Para se ter ideia, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), em onze países, o Brasil lidera os casos de depressão e ansiedade durante a pandemia. De acordo com o estudo, o país é o que mais tem casos de ansiedade (63%) e depressão (59%). Números como esses mostram como a saúde mental dos brasileiros foi afetada durante a pandemia.

Para a psicóloga Vanessa Gebrim, especialista em Psicologia Clínica pela PUC de SP, sentir-se bem tem sido um desafio para muitas pessoas nessa fase de pandemia. “As frustrações comprometeram até mesmo a autoestima, já que muitas pessoas não conseguiram realizar os projetos que tinham planejado. Esse aumento nos casos de depressão e ansiedade se deram também por conta das mudanças drásticas na rotina, além de todo o medo e incerteza que vieram junto. As pessoas ficaram com as emoções à flor da pele, o que prejudica o equilíbrio e contribui para a baixa autoestima”, explica.

Segundo o Fisioterapeuta Dermato Funcional e influenciador digital, Igor Lustosa, a estética começou a ser ainda mais uma forma das pessoas cuidarem de si e estimularem a autoestima neste período. “Os cuidados estéticos podem ser tomados para melhorar a autoestima, porque são tratamentos feitos para melhorar a pele, o olhar, o corpo e o cabelo das pessoas. Em um período como este, as pessoas devem buscar justamente coisas que fazem elas se sentirem bem, além de trazer uma autoconfiança e segurança maior”, explica.

O que fazer para melhorar a autoestima

O autocuidado é uma das formas de melhorar a autoestima

O autocuidado é uma das formas de melhorar a autoestima

Faça terapia: a falta de autoestima pode ser uma ponte para quadros de ansiedade, medos, fobias e até para depressão. “Procurar um profissional pode ser necessário e ajuda no sentido de fazer com que o paciente entre no processo de autoconhecimento, trazendo mais segurança e autonomia para sua vida. Além disso, contribui no controle das emoções, fortalecendo a autoconfiança e autoaceitação. Existem abordagens e técnicas bastante eficazes que podem ser a chave para a melhora do bem-estar emocional da pessoa”, explica Vanessa Gebrim.

 

Se cuide mesmo estando em casa: alguns cuidados podem ser tomados mesmo durante o isolamento social. “Durante a pandemia, as pessoas que gostam precisaram parar de ir às clínicas fazer procedimentos estéticos. Mas, mesmo estando em casa, existem coisas que podem ser feitas. A principal e mais fácil é adotar uma prática diária de skincare. Existem vídeos na internet que ensinam passo a passo para quem quer cuidar da pele em casa, mas é importante ressaltar o cuidado que se deve ter. É importante usar substâncias e produtos que sejam conhecidos e, de preferência, com indicação do seu profissional”, diz Igor Lustosa.

 

Comemore as pequenas conquistas: durante o período de pandemia, para algumas pessoas se tornou mais difícil conquistar coisas que antes seriam fáceis. Comemorar essas conquistas se tornou um fator essencial para a saúde mental. “Quando celebramos algo que fizemos e deu certo, ativamos sentimentos bons dentro de nós, sentimentos de recompensa. Nossa mente registra isso para sempre, ajudando-nos a nos sentir mais capazes diante de novos desafios e contribuindo para que sejamos mais confiantes e plenos”, complementa a psicóloga.

 

Massagens podem ser uma saída: a massagem é um procedimento antigo e até mais acessível que estimula os bons hormônios (endorfinas). “As massagens revigoram o paciente, além de haver vários tipos de massagem: relaxante, modeladora para redução de gordura e a drenagem linfática, uma técnica muito utilizada para retenção hídrica e de uma certa forma oxigena o tecido e melhora o corpo. A massagem é um recurso estético que traz um retorno imediato, diferente de outros procedimentos que levam algum tempo. Esse imediatismo de resultado pode ser essencial principalmente em tempos de pandemia”, explica o especialista Igor Lustosa.

 

Se olhe e se entenda: é importante entender que tudo o que a pessoa fizer que, de alguma forma, contribua para que ela se orgulhe de si, a ajudará a fortalecer sua autoestima. “Quando a pessoa está focada em seus aspectos negativos, a insegurança certamente estará presente em sua rotina e relacionamentos. Dentro do processo de autoconhecimento, a pessoa aprende a gerenciar suas emoções e desenvolve sentimentos positivos sobre si e sobre o mundo. É importante entender que tudo o que a pessoa fizer e que de alguma forma contribuir para que ela se orgulhe de si contribuirá para fortalecer a autoestima em tempos tão difíceis como o que estamos vivendo”, conclui a psicóloga Vanessa Gebrim.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por