SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
ENTREVISTA

Rodrigo Motta revolucionou a lipoaspiração

Cirurgião plástico é pioneiro na técnica Laserlipo HD, que garante a tão sonhada ‘barriga tanquinho’

Rita Fernandes
Publicado em 19/06/2022 às 00:00Atualizado em 18/06/2022 às 08:48

A gordura abdominal é um pesadelo para muitas pessoas. Justamente por isso, a lipoaspiração é o segundo procedimento cirúrgico mais comum no mundo (15,1%), segundo dados da 12ª Pesquisa Global da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (Isaps) sobre Procedimentos Estéticos/Cosméticos Realizados em 2021. A mama aparece em primeiro lugar, com 16%.

E o procedimento que já era bom ficou ainda melhor graças ao cirurgião plástico Rodrigo Pinheiro Motta, de Rio Preto, pioneiro na técnica “Lipoaspiração Laser Assistida em Alta Definição”, mais conhecida como Laserlipo HD. Motta começou a estudar esta tecnologia em 2013 e publicou o resultado na Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, em 2018.

A principal diferença é que essa técnica possibilita a tão sonhada “barriga tanquinho” - literalmente desenhada, já que o procedimento retira toda gordura do abdome e esculpe os músculos.

No artigo publicado em 2018, Motta destaca que os “atletas constantemente queixam-se que por mais que pratiquem atividade física não conseguem atingir a definição da musculatura abdominal, os desejados gominhos.” Isso porque para ter uma barriga naturalmente bem definida é preciso ter uma porcentagem de gordura corporal baixa, perto dos 20% para a mulher e dos 18% para o homem. Além disso, são necessários exercícios físicos e uma dieta orientada, específica para perda de gordura.

Já com a Laserlipo HD, cujo procedimento dura em média 3 horas, o paciente tem alta no mesmo dia, pode dirigir no dia seguinte e treinar depois de uma semana. Quer mais? “A aplicação do laser no procedimento da lipoaspiração promove diminuição do trauma mecânico aos tecidos circunvizinhos, o que se traduz em menor estímulo à formação de fibrose, com diminuição do sangramento pela coagulação dos vasos sanguíneos, favorecendo o conforto pós-operatório, com menos dor e com recuperação mais rápida. Além disso, há acentuada retração tecidual, tanto imediata como tardia, pelo estímulo ao colágeno, o que passa a ser melhor avaliado após o terceiro mês de pós-operatório”, diz trecho do artigo.

O cirurgião concedeu uma entrevista à Revista Bem-Estar para explicar exatamente como funciona a Lipolaser HD. Leia a seguir:

 

Revista Bem-Estar - O senhor é reconhecido internacionalmente por criar a técnica Laserlipo HD, que garante a tão sonhada “barriga tanquinho.” Como o senhor chegou a essa técnica?

Rodrigo Motta - Comecei a trabalhar com laserlipo (laser assistida) em 2009. Depois, em 2013, iniciei o aperfeiçoamento da lipoaspiração em alta definição (Lipo HD). Tudo foi uma evolução. Por curiosidade comecei a estudar a técnica de Lipo HD em 2013. O primeiro trabalho publicado dessa técnica foi em 1993, por Henry Mentz, um cirurgião plástico de Houston, nos Estados Unidos, e a nomeou como “Abdominal Etching”. Era específica para homens, apenas para a parede anterior do abdome e pacientes com menos de 15% de gordura no corpo. Após estudar a técnica, entrei em contato com o cirurgião por e-mail e trocamos algumas informações. Como a técnica inicial cursava com algumas limitações, em 2003, Hoyos, cirurgião plástico colombiano, ampliou sua definição para várias outras partes do corpo, e a chamou de “High Definition Liposculpture.” Mas, como consequência, um maior sangramento e maior tempo de recuperação dos pacientes, fazendo-o acrescentar o uso do Vaser, em 2007, que é um aparelho de ultrassom invasivo, e apresentava menor trauma cirúrgico e maior retração de pele, melhorando essa recuperação do paciente.

Eu já trabalhava com o laser na lipoaspiração desde 2009. E como tinha os mesmos benefícios de menor sangramento, maior retração de pele e recuperação mais rápida, decidi pesquisar o uso desta tecnologia na lipoaspiração em alta definição. Não havia trabalhos científicos usando essa tecnologia nesse nível de definição e aí que iniciei essa técnica e publiquei na Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, em 2018, acabando sendo o pioneiro nessa técnica com o laser, como o nome de “Lipoaspiração Laser Assistida em Alta Definição”, mais conhecida como Laserlipo HD.

 

BE - O seu trabalho já foi citado, inclusive, por cirurgiões americanos.

Motta - Foi por acaso que vi uma citação minha em uma publicação de um artigo científico no Aesthetic Surgery Journal. E foi recente. Fiquei extremamente feliz e com a sensação que pude deixar minha contribuição, dentro do meio científico de minha especialidade.

 

BE - Qual é a principal diferença entre a lipoaspiração profunda (método convencional) e a lipoaspiração de alta definição?

Motta - A principal diferença é o tratamento da camada superficial da gordura da parede abdominal (e em outras partes), para aprofundar marcas e evidenciar mais as intersecções musculares, que deixam um desenho mais definido da área tratada que não é preconizada na lipoaspiração tradicional, tratando mais a camada profunda, justamente para não formar marcas indesejáveis ou sequelas. No caso da “alta definição”, queremos deixar marcas, mas de forma controlada e em áreas específicas, o que acaba favorecendo a estética ao invés de prejudicar.

 

BE - Qual é o tempo de duração da cirurgia, de internação e pós-operatório?

Motta - A cirurgia dura uma média de 3 horas. O paciente tem alta normalmente no mesmo dia do procedimento e uma recuperação mais rápida. Utiliza modelador por 30 dias e faz drenagens linfáticas para ajudar no inchaço e evitar fibroses.

 

BE - O paciente pode voltar a trabalhar, dirigir e praticar atividade física após quanto tempo?

Motta - Dependendo do perfil do paciente, volta às suas atividades esportivas em uma semana e suas atividades de trabalho em três ou quatro dias. Dirige já no dia seguinte.

 

BE - Esta cirurgia ainda é mais procuradas por mulheres?

Motta - As mulheres ainda ganham dos homens na procura pela laserlipo, de uma forma geral. No total, elas são 80,40% dos pacientes. Quando a gente fala da técnica da HD, há um aumento da relação da procura por parte dos homens. As mulheres ganham pelo número absoluto, mas nesta técnica temos 30,54% de pacientes homens e 69,46% de pacientes mulheres. Então, há um aumento na porcentagem de homens buscando essa definição de abdome.

 

BE - Os avanços tecnológicos ocorridos nos últimos anos resultaram em muitos benefícios para os pacientes. E quais foram os benefícios para os médicos?

Motta - Poder avançar em técnicas e com menor morbidade, diminuindo complicações e promovendo uma recuperação mais rápida, que é o sonho de todos.

 

BE - Com esta técnica, a barriga é literalmente desenhada? O procedimento retira toda gordura do abdome e esculpe os músculos para que fiquem definidos?

Motta - Isso mesmo. Podemos buscar uma pequena definição até uma alta definição, dependendo do desejo e perfil do paciente.

 

BE - Existem casos em que o abdome fica desproporcional com braços, pernas e glúteos? Por exemplo, barriga tanquinho com braço flácido e pernas com celulite?

Motta - Por isso que é preciso ter uma harmonia e promover um grau de definição compatível com o paciente.

 

BE - Mesmo para atletas é muito difícil conseguir a “barriga tanquinho.” O senhor acha que esta dificuldade acaba deixando as pessoas frustradas?

Motta - Com certeza. A maioria acaba recorrendo muitas vezes à suplementação hormonal para atingir esses resultados que permanecerão geralmente enquanto a estiver utilizando. Alguns pacientes, para ter esse resultado definitivo, precisam “expor” a musculatura que está coberta por uma espessura de gordura que atrapalha essa visualização e é aí, que entramos.

 

BE - E para quem já pratica exercício físico, o resultado por meio de cirurgia plástica estimula os treinos?

Motta - Com certeza… acaba sendo mais gratificante e reconfortante. Traz a confiança e eleva a autoestima.

 

BE - Qual é o impacto desta cirurgia plástica em termos de melhora da autoestima e bem-estar?

Motta - É fantástico!! Tenho, desde que comecei, pacientes de várias faixas etárias e inclusive na terceira idade. Isso mostra que estamos vivendo mais e podemos querer nos sentir bem, independente da idade que estivermos. Isso realmente corrobora com a definição de saúde: estado de boa disposição física e psíquica e de bem-estar.

 

BE - Muitas pessoas querem fazer lipoaspiração para emagrecer. Este é um pensamento errado? Para que o resultado seja satisfatório, a pessoa pode estar até quantos quilos acima do peso?

Motta - A lipoaspiração não é uma técnica para emagrecimento e, sim, para a modelagem corporal. Poderemos até modelar o corpo, mas se o paciente não estiver disposto a manter-se saudável, não terá seu resultado definitivo. Temos um limite de porcentagem do peso a ser retirada em forma de gordura, num mesmo tempo cirúrgico, com segurança, que seria até 7%. Então, se o paciente estiver precisando de maior retirada, precisará fazer outro tempo cirúrgico, posteriormente, para atingir seu resultado desejado ou emagrecer primeiro para que consiga atingir sua meta.

 

BE - Acontece de o paciente engordar após o procedimento e perder o resultado? É importante mudar o estilo de vida e os hábitos de alimentação para prolongar o resultado?

Motta - Essa técnica tem uma particularidade que seria um resultado mais definitivo em termos de desenho. Isso não impede o paciente de engordar. No abdome, vai engordar com “gominhos”. Se engravidar, engravidará com barriga com certo desenho que não se veria normalmente numa gestante. Por outro lado, poderia ficar incompatível com outras partes do corpo não tratada e não ficaria natural. Por isso o paciente que buscar essa modalidade, precisa querer manter-se “compatível” com essa aparência.

 

BE - Quais são as recomendações após o procedimento?

Motta - É muito importante utilizar malhas compressivas, fazer as drenagens e tratamentos corporais de pós-operatório, evitar vícios de posturas por várias horas seguidas durante o dia, como ficar sentado, “marcando” o abdome. Evitar usar roupas menos elásticas, como o jeans, até que a recuperação da área operada se mostre estável e sem mostrar sinais de evolução ruim. A avaliação do cirurgião plástico é fundamental nas primeiras semanas e até completar um ano, para tratar qualquer resultado desfavorável.

 

BE - Na sua opinião, por que o Brasil é o recordista mundial em cirurgias plásticas?

Motta - Temos profissionais com capacidades incríveis e precursores de técnicas cirúrgicas. Talvez até por nossa população ser descendente de uma mistura de povos. Isso faz com que nossos cirurgiões tenham que usar suas habilidades e criatividades para superar algumas dificuldades estruturais e corporais de uma forma individualizada e frequente. Muitas pessoas de outros países acabam até procurando o Brasil para fazerem suas cirurgias ou procedimentos estéticos por essa fama. Além disso, moramos num clima tropical, onde muitas vezes acabamos expondo mais nossos corpos e isso aumenta nossos desejos e frustrações, buscando estarmos mais felizes esteticamente, ou mais seguros para essa exposição.

 

BE - Outras informações que considerar importantes.

Motta - Costumo dizer aos pacientes que a cirurgia deve ser considerada um dos membros de um corpo que se chama saúde e autoestima, e não o tronco principal. Se não houver uma mudança comportamental, esse corpo não se manterá em pé por muito tempo, e aí vem as frustrações. Buscar a melhora da qualidade alimentar, frequência de atividades físicas e controle emocional irá proporcionar sensações mais definitivas e aumentar a nossa longevidade de uma forma mais natural e prazerosa.

Rodrigo Motta explica que a principal diferença é o tratamento da camada superficial da gordura da parede abdominal (Johnny Torres 10/06/2022)

Rodrigo Motta explica que a principal diferença é o tratamento da camada superficial da gordura da parede abdominal (Johnny Torres 10/06/2022)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por