SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 07 DE AGOSTO DE 2022
Saúde e Beleza

Você sabe o que é Barra de Access? Conheça a técnica que redireciona sentimentos usando as mãos

A Barras de Access é uma técnica que promete desbloquear traumas e tem ganhado cada vez mais adeptos em Rio Preto

Érica Bernardes
Publicado em 28/07/2018 às 00:30Atualizado em 08/07/2021 às 04:44

Traumas, bloqueios, crenças limitantes, programações e padrões de pensamentos e sentimentos negativos podem desaparecer, literalmente, com o toque das mãos. Isso é o que promete a técnica Barras de Access, uma ferramenta energética de expansão de consciência que vem ganhando público em Rio Preto.

A técnica foi fundada há quase 30 anos por Gary Douglas, psicoterapeuta norte-americano, e consiste no mapeamento de 32 pontos na cabeça que, quando tocados, provocariam uma reprogramação do cérebro, agindo diretamente em todo o campo energético. Trocando em miúdos, é como se, durante a sessão, o practitioner - como é chamado o terapeuta certificado para aplicar a ferramenta - apertasse a tecla "delete" do computador cerebral, que armazenou diversas experiências ruins durante a vida.

O terapeuta integrativo e facilitador de Barras de Access Maicon Andreti Ribeiro explica que todo o processo é energético e, durante a sessão, a pessoa, a princípio, sente como se uma energia passasse por todo o seu corpo e fizesse os desbloqueios, trazendo à tona lembranças, sentimentos e sensações. "Após a sessão, a pessoa começa a ver sua vida de uma forma diferente, com novas possibilidades que antes não eram capazes de serem vistas pelo seu sistema de crenças".

A técnica ainda não possui reconhecimento científico, mas estudos comprovam que, após uma sessão, são atingidas frequências cerebrais da mente desperta ou da mente de alta performance, da física quântica. A iniciativa foi do neurocientista Jeffrey Fannin, que analisou e mapeou através de eletroencefalogramas o comportamento das ondas cerebrais antes e depois da aplicação da ferramenta. Antes da sessão, pontos vermelhos mostraram um cérebro muito ativo e, após a sessão, é apontada a baixa frequência adquirida de 2,7Hz, as chamadas "ondas delta", indicada por pontos verdes, que mostram o acesso ao inconsciente, onde reside a maioria das crenças.

Qualquer pessoa pode ter "suas Barras corridas", como é chamada a aplicação da técnica, não tendo contraindicação a nenhum perfil. Ela é indicada para pessoas que queiram ampliar seu campo de visão, prosperar, liberar crenças limitantes que tragam sofrimento ou simplesmente trazer novas possibilidades para a vida.

Uma crise de ansiedade da filha levou Ana Claudia Crevelaro Martins a buscar informações sobre a Barras de Access. Na ocasião, ela também passava por grandes processos internos de mudanças, insatisfações, medos e decidiu fazer o curso de formação. "Para a minha surpresa, o curso me mostrou tantas possibilidades, me revelou tantas alegrias em meu ser, que fiz outros cursos, e assim estou: apaixonada por esta energia de tanta expansão e conhecimento sobre mim mesma e o quanto posso contribuir às pessoas", revela ela, que, hoje, além de ser uma facilitadora (profissional habilitado internacionalmente a ministrar o curso), também atua como terapeuta em MTVSS (Molecular Terminal Valence Sloughing System), Facelift, e Body Process.

Sessões

O número de sessões varia de pessoa para pessoa: algumas alcançam resultado com apenas uma aplicação e outras necessitam de um tratamento, com um número maior de sessões. A recomendação para obter efeitos significativos e mais intensos é de duas a quatro sessões. A duração da aplicação é de 40 a 90 minutos em adultos e de 15 a 60 minutos em bebês, crianças e animais.

Na semana após a sessão, algumas pessoas podem sofrer efeitos colaterais, como dores de cabeça, enjoos e indisposições. Segundo os terapeutas, seriam reflexos do processo de "limpeza" das memórias.

Os valores não são tabelados e podem variar entre R$ 150 e R$ 300 a sessão. O Access Consciousness, instituto detentor da marca, estipula a aplicação do valor a partir de US$ 50,00 por sessão.

Há também em Rio Preto alguns atendimentos sociais, que permitem o acesso gratuito à técnica, feitos por formadores iniciantes. A maioria dessas iniciativas sugere a doação de 1kg de alimento, que depois é convertido para entidades filantrópicas.

Resultados

A psicóloga Luciana Alves de Oliveira, de General Salgado, é mais um caso de quem passou de cliente para facilitadora. Ela conheceu a metodologia em Cascavel (PR) e, após a primeira sessão, diz que "as portas se abriram" e que os resultados "foram bastante rápidos".

Quando soube do curso de formação que haveria em Rio Preto, ela não teve dúvidas: se matriculou e, hoje, além das sessões de psicologia tradicional, ela também atende por meio da técnica quântica. "O feedback dos clientes é surpreendente. Isso me motiva demais, pois percebo que posso proporcionar aos meus clientes tudo que também recebi", relata.

Estar aberta a receber. Foi com esse propósito que Maria Aparecida Pasqualon, Procuradora Regional do Trabalho aposentada, procurou a ferramenta. Ela enfrentava questões como ansiedade, inquietação, angústia e se sentia distante de si. "Tudo isto acabou. Sinto-me muito bem, plena e motivada no meu dia a dia. A Barras de Acess me recarrega", afirma.

A princípio, a aposentada fazia aplicações semanais e agora faz a cada 15 dias. Animada com os resultados, ela diz que não pretende interromper o tratamento porque quer "continuar em equilíbrio e energizada para viver um dia de cada vez".

Não é milagre

Os terapeutas são categóricos em dizer que para que a pessoa alcance resultado com a técnica, ela precisa estar receptiva e não resistente. Segundo Ribeiro, a pessoa sempre tem resultado, por menor que seja, como a manutenção do bem-estar, sem oscilações de humor, com mais clareza para enfrentar o dia a dia.

Para o profissional, outra questão observada em consultório diz respeito a pessoas que enfatizam aspectos negativos e que são apegadas às suas dores. "Elas colocam isso como objetivo principal de liberação, mas, quando se trata de liberação energética, não é o que você quer liberar e, sim, o que você precisa naquele momento", comenta.

Ana lembra que o processo traz perguntas que empoderam e conscientizam, mas que, para obter os benefícios, é preciso "permitir querer receber essa energia transformadora".

Maicon Ribeiro durante curso de formação de Barras de Access (Divulgação)

Maicon Ribeiro durante curso de formação de Barras de Access (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por