SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 07 DE JULHO DE 2022
ELEIÇÕES 2022

FHC apoia pressão de Doria no PSDB: 'Resultado das prévias deve ser respeitado'

Partido decidiu convocar uma reunião da Executiva Nacional da sigla, marcada para a próxima quarta-feira, 18, para discutir as reclamações de Doria, que venceu as prévias da legenda para ser candidato a presidente neste ano

Estadão Conteúdo
Publicado em 15/05/2022 às 14:03Atualizado em 15/05/2022 às 15:37
Ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso - FHC (PSDB) (Wilson Dias/Agência Brasil)

Ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso - FHC (PSDB) (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) comentou neste domingo, 15, a carta enviada pelo pré-candidato tucano João Doria ao presidente nacional do partido, Bruno Araújo. "Agiu bem o candidato João Doria. Ressaltando que o resultado das prévias deve ser respeitado", escreveu FHC, em seu perfil pessoal no Twitter.

O PSDB decidiu convocar uma reunião da Executiva Nacional da sigla, marcada para a próxima quarta-feira, 18, para discutir as reclamações de Doria. É o mesmo dia da reunião prevista pelas cúpulas do PSDB e do MDB sobre uma possível aliança nacional nas eleições de outubro.

O ex-governador paulista acusa o PSDB de "golpe" após a contratação de pesquisas internas pelas cúpulas do seu partido e do MDB. As siglas tentam definir um consenso sobre uma candidatura única à Presidência da República. João Doria foi o vencedor das votações prévias tucanas e, oficialmente, é o pré-candidato à Presidência pela sigla.

No MDB, a senadora Simone Tebet (MS) é a pré-candidata ao Planalto. Como revelaram Lauriberto Pompeu e Marcelo de Moraes, aliados de Doria acusam o comando do PSDB de aceitar critérios feitos sob medida para beneficiar a senadora. Levantamento interno emedebista indicou que a maioria no partido apoiará a reeleição de Jair Bolsonaro se Simone sair da disputa.

Neste domingo, o Estadão publica entrevista de Pedro Venceslau com o decano do MDB, o ex-governador gaúcho, ex-senador e ex-ministro de José Sarney, Pedro Simon. Após sete décadas na política, ele afirma que votará em branco se Lula e Bolsonaro forem os candidatos em um eventual segundo turno para a Presidência. Simon se tornou um dos defensores da candidatura de Simone Tebet.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por