SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 05 DE JULHO DE 2022
RIO PRETO EM FOCO

Na década de 1970, população tentou impedir demolição da antiga Catedral, em Rio Preto

“Mas assim? Sem consultar a população?”, indagaram inúmeros fiéis e formadores de opinião quando decidiram demolir o antigo templo para construção de um novo

Fernando Marques
Publicado em 07/05/2022 às 22:10Atualizado em 08/05/2022 às 07:26
Vista aérea da Catedral e as três praças (Jaime Colagiovanni)

Vista aérea da Catedral e as três praças (Jaime Colagiovanni)

“Deus nos pede uma nova Catedral”. Duas faixas gigantes com esta frase foram afixadas na entrada da Igreja Matriz, uma na rua Tiradentes e outra atrás, na rua Siqueira Campos, no final do ano de 1972. Assim, começou a polêmica da derrubada e construção da nova Catedral de São José. “Mas assim? Sem consultar a população?”, indagaram inúmeros fiéis e formadores de opinião, inundando a sessão de cartas de leitores de todos os jornais locais da época. E teve mais! Gente revoltada ainda mais após o início da construção da nova.

A construção estava diferente da maquete, que mostrava uma catedral mais baixa e à vista dos munícipes, com a escada da entrada com muito menos degraus e também a rampa de veículos, muito menos íngreme.

A construção também invadiu a Praça São José e seus lindos jardins, principalmente atrás, na rua Siqueira Campos, onde funcionava o ponto de táxi. Eram três praças, uma pena. Para finalizar, a obra ainda recebeu salões bem na entrada e também nas laterais, que hoje funcionam alguns comércios. Será que mudaram a entrada? Era pra ser na rua Siqueira Campos?

No início de 1973, a maquete começou a ser exposta nas vitrines de várias lojas do centro da cidade. A velha Catedral começou a ser construída em 1913, mas as obras só foram concluídas por volta de 1932.

Com estilo renascentista, a Catedral de São José ficou de pé por 40 anos, sendo anunciada a sua demolição em 1973, quando o padre Santo Marini já apresentava aos fiéis a maquete da nova Catedral. A notícia da demolição provocou uma onda de protestos, mas no final prevaleceu a autoridade do bispo D. José de Aquino Pereira.

Em 19 de março de 1974, São José do Rio Preto comemorava o seu 122º aniversário de fundação. Nesse dia, contrariando a maioria da população, é lançada a pedra fundamental da nova Catedral de São José, no recinto da velha Catedral, ainda em pé. Em maio de 1975, as obras do novo templo foram iniciadas.

Nova Catedral foi inaugurada no início da década de 1980 (Arquivo)

O largo de toda Catedral foi cercado com tapume, de placa de concreto. A cúria fez uma campanha de venda das gavetas do ossário, que foi instalado em seu subsolo. Em seguida foi efetuada a sondagem do solo. As edificações tiveram início pelo lado da rua Voluntários de São Paulo.

Por fim, a Catedral foi demolida, enquanto simultaneamente ia sendo construída uma nova, até hoje inacabada. Em 26 de julho de 1979, foi realizado o velório e a missa de corpo presente do primeiro Bispo da cidade, Dom Lafayete Libânio, na nova Catedral, ainda em construção, sem os vitrais, janelas e a estrutura da entrada. No início da década de 1980, a nova Catedral foi inaugurada mesmo inacabada, mas até hoje os rio-pretenses não se conformam com a demolição da velha Igreja Matriz.

Imagem aérea da nova Catedral (Arquivo)

Imagem lateral da Catedral de Rio Preto na década de 1980 (Toninho Cury)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por