SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SÁBADO, 20 DE AGOSTO DE 2022
PAINEL DE IDEIAS

Madrugadas

Dou um pulo no paraíso dos insones: o facebook. Ali encontro uma frase que me faz acordar ainda mais tão básica e lógica. ‘Se precisar forçar é porque não é o seu tamanho. Isso serve para anéis, sapatos, amizades, profissão e relacionamentos’

Elma Eneida Bassan Mendes
Publicado em 05/08/2022 às 20:50Atualizado em 05/08/2022 às 21:40
Elma Eneida Bassan Mendes (Reprodução)

Elma Eneida Bassan Mendes (Reprodução)

A madrugada e eu estamos cada vez mais íntimas. Não me aborreço mais. Faço da insônia um tempo de novas buscas. Conversar com Deus é uma delas. Dizem que orar de madrugada é melhor porque a fila é menor, tem menos gente acordada pedindo e Deus está mais descansado. É lógico que é brincadeira. Mas é claro que Deus gosta dessa intimidade absoluta. Só Ele e eu. Acesso total, sem barreiras, pressa, interrupções.

Entrega absoluta. Cara amassada e corpo cansado de me revirar na cama, finalmente eu decido falar com quem é dono do dia e da noite. Ver o que Ele pensa desses meus olhos ansiosos, estalados. Conversa vai, conversa vem, a gente se entende. Vejo e revejo mentalmente os pontos a melhorar. Percebo que Ele não coloca muita fé em algumas promessas que eu faço. Mas como Deus é amor, Ele aceita minha intenção. Agradeço o tanto que Ele faz por mim e sinto que fica feliz com meu coração grato. Depois do amém, tento me aninhar e escolho uma música que pode me ninar.

Madrugada preguiçosa, lenta, arrastada. Busco o que ler. Encontro um texto lindo de Rachel Carvalho. Perfeito para o meu momento. Certos escritores têm esse dom incrível.

Escrever o que você precisa ler de madrugada. “Eu não disputo tamanhos. Eu sou pequena mesmo. Sou peixinho, tentando atravessar meus oceanos com paciência, com disposição para nadar, com vontade de chegar. Então nem servem de nada as comparações, meu referencial sou eu mesma, o que fui e o que estou me tornando. Não quero ser peixe grande. Não tenho instinto de tubarão. Deixe-me quieta aqui mesmo.

Resta-me ser gigante de coração.” Demais, não é? Gostei porque cada vez gosto mais de ficar quieta. Basta o barulho do mundo, a estridência dos exageros e os ruídos nervosos das competições. Foi Eurípedes, poeta grego, quem deixou o seguinte ensinamento: “o silêncio é a verdadeira sabedoria.” O fato é que a quietude ajuda o mundo, pena que pouca gente entende isso. Também já gostei muito do movimento, agitação das ondas. O que se passa até chegar à idade que se tem faz com que a gente prefira águas tranquilas, remansos de tranquilidade e paz. Finalmente gostei desse pequeno texto porque ser bom de coração é o que realmente vale. Gostei porque é delicioso e permite reflexões ternas. Fecho os olhos e o sono não vem.

Dou um pulo no paraíso dos insones: o facebook. Ali encontro uma frase que me faz acordar ainda mais tão básica e lógica. “Se precisar forçar é porque não é o seu tamanho. Isso serve para anéis, sapatos, amizades, profissão e relacionamentos.” Dou risada. Tem raciocínio mais coerente? Quantos problemas, tragédias, seriam evitados se as pessoas entendessem lógica tão simples. Mas quem nunca bateu a cabeça pensando que daria certo? O sono vem chegando junto com o amanhecer. Da conversa boa com Deus até os pensamentos que voaram não sei quanto tempo vivi na madrugada. E está tudo bem, também. Porque para quem gosta de viver, madrugadas sempre são inesperadas, criativas, intensas. “Às duas horas da madrugada, enfim, nasceu ela, a ideia”. (Clarice Lispector).

ELMA ENEIDA BASSAN MENDES, Jornalista, escritora e membro da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura (Arlec). Escreve quinzenalmente neste espaço aos sábados

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por