SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 19 DE AGOSTO DE 2022
EDITORIAL

Perigo ao volante

Apenas aumentar a fiscalização e a punição não tem sido suficiente para conter a onda de desrespeito no trânsito

Publicado em 08/06/2022 às 23:02Atualizado em 08/06/2022 às 23:11

Seção exclusiva para assinantes. Assine para ter acesso ilimitado.

Já sou cadastrado.

Quero ter acesso ilimitado.

EDITORIAL

Perigo ao volante

Apenas aumentar a fiscalização e a punição não tem sido suficiente para conter a onda de desrespeito no trânsito

Publicado em 08/06/2022 às 23:02Atualizado em 08/06/2022 às 23:11

Nos quatro primeiros meses deste ano, as autoridades de trânsito multaram 11.487 motoristas por uso de celular ao volante em Rio Preto. O montante representa, em média, uma autuação a cada 15 minutos. E basta percorrer as ruas e avenidas da cidade com olhar atento para entender o porquê de o número de multas ser tão alto. O desrespeito à lei é grande.

Desde a popularização dos smartphones, em que os aparelhos passaram a ser utilizados para uma infinidade de ações, as multas por celular figuram entre as principais nas grandes cidades. Em Rio Preto, porém, o crescimento de autuações impressiona: mais que triplicou de janeiro a abril deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado – de 3.402 para 11.487.

São três atos passíveis de punição: utilizar (quando o motorista está com o aparelho no ouvido), segurar (quando o celular está nas mãos, para mandar um áudio ou ler mensagem) e manusear (o ato de digitar). A multa pode ser aplicada quando o carro está em deslocamento e também quando o veículo está parado em semáforo. “Ainda que haja tempo para digitar uma mensagem, o motorista não pode desviar a atenção do trânsito, porque uma viatura de socorro ou patrulhamento pode pedir passagem”, explica o tenente da Polícia Militar Cristiano Vieira.

Em avenidas, digitar uma mensagem simples, que demandaria apenas cinco segundos, equivale a percorrer até 100 metros às cegas, segundo estudo da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet). Em uma rodovia, onde a velocidade é maior, a distância percorrida seria ainda maior. Em outro estudo, a Abramet analisou 30 mil acidentes com mortes e concluiu que em 14% deles as falhas de atenção ao conduzir foram causadas pelo uso de celular. Outro ponto destacado é que o risco de causar um acidente quadruplica quando o motorista está desatento devido ao aparelho.

A multa pela infração é gravíssima, rende sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e custa R$ 293,47. Mas apenas aumentar a fiscalização e a punição não tem sido suficiente para conter a onda de desrespeito no trânsito. Atualmente, a grande maioria das autuações ocorre sem a abordagem do condutor. Ou seja, ele só é informado da irregularidade dias após cometê-la. Parar, orientar e alertar o motorista sobre os riscos do ato são maneiras eficazes de diminuir as infrações.

Os acidentes por celular ao volante podem, e devem, ser evitados. A solução passa por investimento em educação dos motoristas, com a conscientização de que não existe uso seguro do aparelho enquanto se dirige e de que o ato coloca em risco a vida do próprio condutor e de todos os outros integrantes do trânsito - pedestres, ciclistas, motociclistas e outros motoristas.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por