SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 05 DE DEZEMBRO DE 2021
DIÁRIO TEC

Maioria dos consumidores pesquisa no Google antes de decidir comprar

Pesquisa revela que o mecanismo de busca é utilizado por 93% dos consumidores que vão comprar em lojas virtuais

Gabriel Vital
Publicado em 24/11/2021 às 22:55Atualizado em 25/11/2021 às 08:40
Pesquisas por voz via smartphone aumentaram 13% de 2020 para 2021 (Pixabay)

Pesquisas por voz via smartphone aumentaram 13% de 2020 para 2021 (Pixabay)

Apesar de ser mais tradicional nos Estados Unidos, a Black Friday, que chegou há alguns anos ao Brasil, já é uma das principais datas para o comércio, sobretudo para as lojas online, que têm o desafio de concorrer com os grandes marketplaces. Nessa disputa pela atenção do consumidor, os mecanismos de busca, em especial o Google, são importantes ferramentas. Prova disso é uma pesquisa divulgada nesta semana pela Hedgehog Digital, agência especializada em otimização para ferramentas de busca (SEO), que revela que 93% dos brasileiros pesquisam no Google antes de comprar.

Realizada em parceria com a Opinion Box, a segunda edição do estudo “State of Search Brazil” indica que a pesquisa na internet é um processo decisivo na jornada de compra dos consumidores brasileiros. Segundo o estudo, nos últimos 12 meses, os produtos mais pesquisados foram nas categorias eletroeletrônicos (53%), alimentação (48%), moda (47%), entretenimento (41%), supermercado (40%), cursos (37%), beleza (37%), turismo (31%), bem-estar (26%), casa e jardim

(25%), limpeza (23%) e, por fim, artesanato (11%). A soma dá um resultado acima de 100% porque cada usuário, normalmente, pesquisa mais de um assunto.

O levantamento ouviu 3.141 homens e mulheres acima de 16 anos de idade, de todas as regiões do país, de diferentes classes sociais entre os dias 20 de abril e 10 de maio de 2021.

Pesquisa por voz

Com o avanço das assistentes virtuais, como Alexa, Cortana, Siri e Google Assistente, a quantidade de pesquisas por voz tem aumentado. Hoje elas representam apenas 5% do total de buscas, mas, no caso das buscas feitas por smartphones e tablets, já representam um aumento de 13% em comparação ao levantamento feito em 2020.

Fora, Black ‘fraude’

A Black Friday é nesta sexta-feira, 26, e os grandes varejistas prometem descontos de tirar o fôlego dos mais consumistas. Para aproveitar promoções de verdade e evitar cair no golpe do “tudo pela metade do dobro”, a dica de ouro é pesquisar, monitorar e comparar preços antes e durante o festival de descontos. A boa notícia é que alguns aplicativos podem ajudar nessa missão. Confira a seguir.

Zoom

Um dos mais populares comparadores de preços, o Zoom ajuda a encontrar ofertas, além de contar com um recurso que permite ao usuário monitorar o preço dos produtos em uma linha do tempo. Assim, é possível saber se aquele item está mesmo com desconto ou se é apenas jogada de marketing.

Buscapé

Outro comparador bastante conhecido é o Buscapé, que rastreia os preços dos produtos desejados em mais de 500 lojas online e destaca as principais ofertas. Também é possível marcar produtos como favoritos, receber notificações quando o preço cair e avaliar suas compras.

Promobit

O aplicativo é uma rede social com promoções, descontos e ofertas verificadas. Pela plataforma é possível criar uma lista de desejos e acompanhar descontos dos produtos favoritos. A ferramenta também alerta o usuário sobre possíveis cupons de desconto disponíveis para fazer a compra por um preço ainda menor.

Trending

Faça você mesmo

A Apple anunciou o lançamento de um kit caseiro de reparos para iPhones 12 e 13, que incluirá ferramentas e peças de reposição para que os usuários possam consertar seus dispositivos em casa, sem a necessidade de procurar uma assistência técnica especializada. O valor dos kits, que devem ser vendidos a partir de 2022, ainda não foi divulgado. A Xiaomi também deve lançar um kit parecido, mas a empresa ainda não deu detalhes de como vai funcionar.

Personalizada

Tem novidade no WhatsApp Web. Agora é possível criar suas próprias figurinhas clicando no botão “Criar”. Antes, para ter uma figurinha personalizada era preciso usar aplicativos de terceiros e importar a imagem para o WhatsApp. Agora, o novo recurso abre, dentro da plataforma, um editor de imagens simples, que permite ao usuário inserir texto, emojis e desenhar sobre a figura. A novidade, no entanto, está disponível apenas na versão Web do mensageiro, acessada pelo navegador do computador.

Tempo para apagar

Outra novidade que deve chegar em breve ao WhatsApp está relacionada ao tempo em que é permitido apagar uma mensagem, tanto do dispositivo de quem envia quanto para quem recebe. Muita gente não sabe, mas hoje é permitido apagar a mensagem para todos em até 1 hora, 8 minutos e 16 segundos após o envio. Bem específico! Agora, segundo o portal WABetaInfo, que monitora as atualizações do aplicativo, a plataforma estuda estender esse prazo para 7 dias e 8 minutos. Ou seja, o usuário terá mais tempo para se “arrepender” após o envio. Essa mudança ainda está em desenvolvimento e não foi anunciada oficialmente pela empresa.

Palavra do ano

NFT foi eleita a palavra do ano de 2021 pelo dicionário Collins, publicado pela HarperCollins. Sigla para “non-fungible token”, ou “token não-fungível”, o NFT é um ativo digital com certificado único, registrado em blockchain, que garante a autenticidade, por exemplo, de uma obra de arte digital ou qualquer outro objeto virtual. No ano passado, o dicionário Collins elegeu o termo “lockdown” como palavra do ano.

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por