SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2022
CARTAS DO LEITOR

Transplantes

Publicado em 01/07/2022 às 00:26Atualizado em 01/07/2022 às 01:25

O artigo “Fila de transplante de órgão”, do dr. Renato Silva, chefe da Unidade de Transplante de Fígado/Intestino do Hospital de Base da Funfarme/Famerp (um dos maiores e mais conceituados centros de transplantes do Brasil), publicado na edição de 30/6/2022 deste Diário, traz oportunos e valiosos esclarecimentos acerca da realidade enfrentada pelos cerca de 60 mil brasileiros que esperam por um órgão.

Com base nos dramáticos dados divulgados recentemente pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), o conceituado cirurgião lembra que “pelo menos 9 pacientes morreram por dia no país à espera de transplante neste primeiro trimestre, enquanto no ano passado ocorreram mais de 4.200 mortes, contra 2.500 em 2019. Chama a atenção o fato de que, nas suas palavras, a “estarrecedora” situação foi e tem sido agravada pelo impacto da Covid 19 sobre a população vulnerável, informação comprovada pela ABTO, segundo a qual o número de adultos e crianças que se encontram à espera de um órgão já ultrapassa os 50 mil, um aumento de 30% desde o início da pandemia! Enquanto parabenizamos dr. Renato pelo extraordinário e meritório trabalho que há décadas desenvolve em benefício da saúde dos brasileiros, resta-nos a esperança de que a população se conscientize quanto aos riscos do atual recrudescimento das taxas de casos, óbitos e ocupação de leitos em UTI, um sinal inequívoco de que podemos voltar a viver a tragédia destes mais de dois anos, com todas as desastrosas e conhecidas consequências.

Eurípides Alves da Silva, Rio Preto

Conforto e beleza

R$ 306 mil é o gasto previsto para acomodar os deputados acomodados da Câmara Municipal. Quem paga esses gastos somos nós, que pagamos impostos e mais impostos.

Já pararam pra pensar a quantia de dinheiro desviado pelos políticos em benefício próprio? Até para ser enterrado a gente tem que pagar.

Nelwil Barbosa Dantas, Rio Preto

Coração e mente

Sem generalizarmos, vamos ver que o Apóstolo Tiago, na sua Epístola, nos fala sobre nossas palavras, conversações: “Ora, a língua é fogo; é mundo de iniquidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno” (Cap. 3 vers.6.).

Esse recado vale para todos, mas com uma maior dose de responsabilidade para os que dizem seguir os preceitos divinos de nosso senhor e Mestre Jesus.

Porque quem já tem conhecimento, além de intelecto, não pode desperdiçar o tempo em conversações que em nada somam para nosso equilíbrio dentro da lei da atração.

Não somos só mente, há em nós coração. E mente e coração tem que trabalhar seus valores dentro de preceitos altruísticos em todas as áreas do saber para que nos tornemos luzes, como quer que sejamos segundo nosso Mestre Jesus.

Clevis Gimenes Toscano, Rio Preto

Fatos marcantes

1914. 28 de junho. Na mesma data, 1919. A Europa experimentaria a considerada a Grande Guerra. Nada comparado , até então, em termos bélicos e de agressividade.

Como a Europa sempre foi terreno para diversos conflitos e para outras formas de interesses, dá-se a impressão de que, após a Revolução Industrial, a Razão começou a se inflar com as possibilidades emocionais, transformando seus povos em pólvoras a céu aberto.

Com a morte do Arquiduque Franz Ferdinand, em 1914, a Europa começaria a desenhar a Primeira Guerra Mundial. Mostrando, com isso, ser a intolerância, o tempero social europeu , desde o Império Romano, culminando com as intempéries religiosas, baseadas na Inquisição.

Os solavancos seriam mais intensos. As pessoas se perguntando como tudo aquilo seria possível. Ainda não estamos falando da Segunda Guerra Mundial. Se a Primeira Guerra Mundial é tida, ou assim era na ocasião, como a Grande Guerra, o que dizer da sucessória, então?

A Guerra de Trincheiras varrendo os principais territórios, sendo Reims e adjacências, cenários principais destes fatos. Ardenas, então, o que dizer delas? Palcos que fizeram e fazem meus trabalhos literários e de artes plásticas, até hoje. ‘Escrevendo das Ardenas’ foi baseado em uma carta escrita por um soldado, na Batalha das Ardenas. Poema que está no livro Cidade Poética de Raul Marques.

Lembro de quando eu era criança, e aos cinco anos, desenhava estes cenários e a cidade de Reims, França.

E em 1919, com o Tratado de Versalhes, a Alemanha reconheceria sua derrota, mesmo engolindo seco, sendo argumentos para sua inquietude, e, sem sombra de dúvidas, aumentando suas agressividades para o novo palco horrendo de guerra.

Tomando um pouco de ar... Data que ainda machuca a Humanidade.

Gustavo Lepe, Rio Preto

Consciência

A campanha dos empresários da área central, tem meu apoio pois a destinação de recursos de qualquer doação deve ser empregada nos locais específicos já existentes e que a população deve ter a consciência solidária, para que culturalmente isto seja perpetuado traduzindo em "ensinar a pescar e não dar o peixe" e também o atendimento da saúde para quem precisa ser tratado. Secretarias do Município devem estar integradas com a campanha.

André Lucas, Rio Preto

Favela

A respeito da visita do apresentador Luciano Huck à Favela Marte (antiga Favela da Vila Itália), em Rio Preto, este é um projeto muito importante, que pode ser modelo para o Brasil. Que bom, que os políticos e a TV vieram conhecer. Que levem como exemplo o que viram por aqui.

Salma Ribeiro – via Facebook

Favela-2

Que façam o bem, que venham mais melhorias para quem precisa. Todo mundo merece morar bem e viver com dignidade.

Nilceia Nascimento – via Facebook

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por