SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2022
CARTAS DO LEITOR

Proximidade do novo

Publicado em 03/12/2021 às 00:00Atualizado em 03/12/2021 às 00:21

Estamos perto das festividades de Natal e fim do ano civil. É tempo de saneamento das mentes, para dar lugar a ares novos, vida nova e renovada. O ano de 2021, ainda em tempo de pandemia, vai ficar na história como realidade difícil para a humanidade, de luto e sofrimento. No Brasil tivemos que enfrentar o “gosto amargo” das polarizações, mas também de esperança com a chegada das vacinas.

Aproximar-se do que é novo significa fazer um processo de renovação do coração e caminhar para um recomeço enxertado de utopias, de esperança e de luta. É fundamental ter a capacidade para recriar aquelas motivações que valorizam a vida e a dignidade das pessoas. A confiança e a capacidade de realizar projetos novos é capaz de sustentar essas utopias de uma vida melhor e saudável.

O isolamento social da pandemia do coronavírus tem uma afinidade com o Exílio da Babilônia, lá no passado, quando o Povo de Deus ficou totalmente confinado na Mesopotânia, fora de suas terras. A libertação dessas experiências sofridas proporciona ao povo um clima de novidade, esperança e júbilo. Agora é retirar a veste de luto e tristeza e se revestir de beleza, glória e alegria pelo novo.

Já é quase possível dizer que a pandemia terminou, porque aos poucos, está acontecendo o advento da normalidade. Mas é necessário continuar investindo na autoproteção, pois o vírus ainda continua circulando. Não descartar as orientações das Secretarias Municipais de Saúde, que lutam com todas as forças para conseguir vencer totalmente essa pandemia, que ceifou tantas vidas.

A chegada do Menino de Belém, o nascimento de Jesus no dia de Natal, tem uma conotação de novidade e de profunda marca histórica. É o irromper de novos tempos, ou também chamado de “fim dos tempos”, não de criar medo e temor, mas alegria da vida que brota de um querer divino, interpretado como tempo de salvação e vida nova. O Advento é celebração da proximidade desse fato.

O nascimento de Jesus é a entrada de Deus na história e na vida humana, para ressignificá-la e elevá-la na sua real dignidade. Isso faz com que o ser humano seja divinizado. Com isto, celebrar o Natal é grande oportunidade para reorientar a vida para o Senhor e confirmar a continuidade da presença de Deus no meio de seu povo. Essa novidade deve ter lugar central na vida de todos.

Dom Paulo Mendes Peixoto – arcebispo de Uberaba-MG e ex-bispo de Rio Preto

Justiça

Infelizmente, dia após dia, a Justiça brasileira passa o recado que o crime compensa no Brasil. Depois de dar liberdade a um dos maiores corruptos do mundo e a um dos maiores traficantes do Brasil, agora a Justiça dá liberdade a outro grande traficante e a mais de 10 condenados pela Lava Jato.

O brasileiro vê, lê e escuta essas notícias numa passividade impressionante, dando a entender que nada pode ser feito contra esse sistema que domina o Brasil há muitos anos.

Até quando a justiça será benevolente com os mais abastados financeiramente?

Miguel Freddi, Rio Preto

Escolha ter paz

("Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.” – João 14:27). Em Jesus temos paz, Ele quer que eu e você tenhamos esta paz, mas em um mundo consumista e complicado como obter e conseguir tal paz.

Primeiro, busque nEle esta paz, pois o mundo e seus bens não trás paz, pois como diz o verso a paz está em Cristo. Segundo, aprenda a descansar no Senhor, confie que as coisas e situações no trabalho, financeiro, conjugal, emocional irão por si só se resolver e espere sem se desesperar.

Terceiro, pare, reflita e se organize emocionalmente, aprenda a decidir por aquilo que não trará lutas e sim paz, pare de tomar atitudes erradas. Decida dirigir-se a Cristo. Fixe os olhos em Jesus e não nas dificuldades. pois Ele é Senhor e tens muita paz para lhe dar.

Junior Donisete, Rio Preto

Prevenções

A expectativa que temos de iniciar 2022 é a de quer que seja um ano de boas perspectivas. Embora com esperanças remotas, não podemos deixar de acreditar num futuro promissor com uma situação tranquila, praticamente na reta final da pandemia da Covid-19.

O período desolador do vírus do coronavírus foi dos mais deprimentes que a história registra em suas páginas, o que vem demonstrar a necessidade de estarmos vigilantes, porque algumas cidades já registram alguns casos de variantes da doença e causam preocupação devido ao aumento de casos.

Após quase dois anos de luta incessante contra o coronavírus, acreditam as autoridades de saúde estarem aptas ao desafio em torno de iniciativas, sabedoria e rigor no combate a esse fenômeno que deixou milhares de famílias envoltas no sofrimento pela perda de seus entes queridos.

O possível surgimento de uma nova variante é um alerta que justifica os cuidados de prevenção, independente da queda do número de mortes, porque não se tem uma certeza absoluta de que estamos livres de contrair o vírus do coronavírus.

No que tange às fronteiras, há necessidade de colaboração, apesar de que o quadro atual é bem mais tranquilo, onde se vê reuniões festivas e eventos com os participantes à vontade sem o uso de máscaras, como é o caso dos bailes em clubes, onde os dançarinos se sentem fora do perigo e que a pandemia deixou de existir.

Há de se fazer alusão ao fato de que ainda não é o momento de reunir multidões, a exemplo do que acontece nos estádios de futebol, apesar de que não é fácil abrir mão de uma tradição que se estende ao longo de muitos anos, mas é para o bem de todos que desejam paz e tranquilidade durante os anos que se sucedem.

Alessio Canonice, Ibirá

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por