SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 06 DE DEZEMBRO DE 2021
CARTAS DO LEITOR

Memorial Dinorath

Publicado em 25/11/2021 às 23:11Atualizado em 25/11/2021 às 23:21

Inauguramos na última segunda-feira o Memorial Dinorath do Valle na Casa de Cultura. O espaço ficou lindo com objetos pessoais da minha mãe, doados pela família, que permanecerão expostos para sempre. Voltei para São Paulo emocionada, com a sensação de um dever cumprido.

Não posso deixar de agradecer publicamente a todos que contribuíram para esse projeto, especialmente ao secretário da Cultura Pedro Ganga, pela iniciativa e confiança nas minhas escolhas. Sou muito grata ao prefeito Edinho Araújo por entender a dimensão e importância da Dinorath do Valle para a cultura rio-pretense.

Também gostaria de registrar o meu agradecimento carinhoso ao Jorge Vermelho, assessor especial da Cultura, pela dedicação atendendo prontamente todas as minhas exigências. Sem vocês isso não seria possível. Muito obrigada. Viva Dinorath!

Moema (do Valle) Kuyumjian, São Paulo

País e políticos sérios

Nos últimos anos temos visto que, algumas prefeituras e governos estaduais, mas os primeiros vivenciam o sofrimento maior a cada nova eleição. Isso porque, o prefeito que tenta a reeleição e não consegue, enxuga, ao máximo o orçamento do ano subsequente, colocando em risco a administração, no primeiro ano de mandato o seu sucessor.

Portanto, os congressistas deveriam modificar a lei que prevê o orçamento anual para o mês de julho, no mais tardar. Assim, o prefeito que tentar a reeleição não poderá sufocar o seu adversário e estrangular investimentos na cidade em que vive.

Dito isto é que, tendo ele a intenção de administrar o município por mais quatro anos, jamais irá sangrar seu orçamento para o próximo período. Vai que ele se reelege. Onde buscará recursos para investimento?

Hoje, o derrotado em outubro (a cada quatro anos), apresenta às Câmaras de Vereadores um orçamento minguado e que não prevê folga ou novos investimentos para o município. Quer tornar a vida do sucessor um “inferno” total. Um aperta daqui e folga dali que não é possível fazer nada.

Alguns prefeitos derrotados chegam ao disparate de fechar a prefeitura nos últimos dias quase que dando férias coletivas aos servidores e, neste período, deleta programas e projetos, retiram nomes de listas, fazem o “Zé Telo” para que, o sucessor não saiba nem o que fazer.

São listas de credores que desaparecem, notas que não são encontradas, programas a serem instalados, enfim, é um Deus nos acuda quando chega gente nova para assumir um mandato. Se os nossos representantes na Câmara Federal e Senado mudarem as regras, agora, antecipando a apresentação de “Dotação orçamentária” para ano seguinte até julho, evitará estes transtornos vivenciados em grande parte do País onde o atual mandatário municipal não foi reeleito.

E o problema maior desta falta de senso e respeito com a “coisa pública” é que o prefeito derrotado no último pleito diz que cuida de sua gente, seu povo. E não tem o menor pudor em arrastar garganta para falar que ama sua cidade. Ora, que falta de respeito com quem mora ao seu lado.

Quem age desta maneira não pode, e não deve, jamais representar um povo.

Gregório José, Muriaé-MG

Estágio

São José do Rio Preto está ficando para trás em relação às cidades da nossa região, no quesito cultura. A cidade de Votuporanga, dá-nos um verdadeiro banho em relação às artes: Festival Literário, Teatral, Musical etc.

A cidade de Santa Fé do Sul é uma verdadeira lição na decoração de Natal, realizando um belíssimo trabalho, aproveitando material reciclável; especialmente as garrafas pets, que tanto afetam a natureza quando são descartadas de forma incorreta.

No esporte, em especial no futebol, somos humilhados por cidades muito menores, como Mirassol e Novo Horizonte. Como dizíamos antigamente, o Mirassol e o Grêmio Novorizontino colocam os times da nossa cidade, América F.C e Rio Preto E.C no bolso, e “batem quanto tiverem tempo”. Agora, a vergonha maior para nós, rio-pretenses, é a de não fazer parte do grupo de cidades sedes da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Parabéns, Bálsamo, cidade sede da Copinha. Gostaria de solicitar aos dirigentes das cidades citadas, abrirem vagas de estágio para dirigentes de outras cidades. Rio Preto em especial. Quem sabe assim recuperemos o tempo perdido, tanto na arte quanto no esporte.

Valdecir Polizelli, Rio Preto

Calçadão

Sobre a abertura de ruas do Calçadão para trânsito de veículos, sempre achei que a rua Tiradentes deveria voltar a ter trânsito normal de veículos desde o Parque industrial até a Vila Ercília como era antes da implantação do Calçadão, desafogando um pouco a região central. Este trecho específico é pouco movimentado por pedestres e com umas abertura para o trânsito, ao contrário do que se pode imaginar, poderia ser mais vantajoso para o comércio, pois os motoristas passando por aquele trecho poderiam, do carro mesmo, ver as vitrines e se interessarem por algum produto voltando depois para comprar, ao passo que a pé é mais difícil as pessoas irem àquela parte do Calçadão.

Porém, esta abertura deveria ser com toda infraestrutura necessária, ou seja, asfalto, guia, calçadas, etc.

José Edgard R. Júnior, Rio Preto

Carnaval

Quanto à notícia do Diário da Região de que a Prefeitura de Rio Preto decidiu pelo cancelamento do Carnaval do ano que vem, isso não depende do Estado, depende do povo. Se o povo não quiser, não tem Carnaval! Agora, a consciência é de cada um. Eu uso máscara, e não ao Carnaval ou a qualquer outro tipo de evento como futebol por exemplo ! Consciência tranquila!

Ana Maria Santos Santos – via Facebook

Carnaval-2

E do que adianta isso se todos os shows, estádios e carnaval de cidades vizinhas estão mantidos? Qual o sentido?

Isabel Cristina Fontes – via Facebook

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por