SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 05 DE DEZEMBRO DE 2021
CARTAS DO LEITOR

Fome e miséria

Publicado em 24/11/2021 às 23:15Atualizado em 24/11/2021 às 23:26

Fome e miséria batem à porta das casas de diversas famílias no Brasil, a tal ponto que milhares de pessoas precisam da doação, principalmente de alimentos básicos, para que possam sobreviver e respirar este ar que todos nós respiramos.

Dias atrás, as imagens da televisão exibiram uma mulher cozinhando em plena calçada da capital paulista como último recurso para a sobrevivência, não só dela como dos filhos menores e demais membros que compõem o desfilar da fome que se alastra em todo o país.

Tem-se a impressão de que as pessoas estão vivendo a fase do desespero e, dessa forma, muitos perderam o poder aquisitivo e não conseguem pagar suas contas, enquanto outros se encontram desempregados e na completa miséria, miséria essa que se estende a todos os quadrantes da Pátria.

Toda essa situação é por falta de dinheiro, visto que a arrecadação de impostos no Brasil bateu recordes, segundo a própria Secretaria da Receita Federal, mas sem nenhum direcionamento dessa receita que vise algumas formas para contemporizar a situação da pobreza e que já atingiu o patamar máximo.

A pobreza, na sua totalidade, tem efeitos negativos para a dignidade das pessoas e, no caso de crianças, a situação não é diferente, e com a falta de nutrição suficiente, impede que essas crianças tenham condição de aprendizado nas escolas que frequentam.

São crianças em um ambiente de privação e em certas situações com o emprego da violência não conseguem crescer de uma forma normal, estudar e trabalhar, o que dificulta a formação adulta de uma maneira digna, perpetuando o ciclo das dificuldades em toda a sua extensão.

Dessa forma caminha o Brasil com pouca esperança de que o futuro possa amenizar o sofrimento dos mais necessitados.

Alessio Canonice, Ibirá

Atitudes

Apaixonado pela Fórmula 1, tenho assistido fabulosas corridas nesta temporada. Fora das pistas, os pilotos estão dando uma verdadeira aula de cidadania. Encabeçado pelo talentoso piloto britânico Lewis Hamilton, que iniciou um movimento passista de conscientização na luta contra o racismo, o movimento se expandiu rapidamente e tomou outras proporções. Todos os pilotos resolveram se unir e através de um vídeo denominado “We Race” (nós corremos), exibido minutos antes de cada largada, cada piloto faz um breve convite à reflexão que cita a necessidade de mais representatividade e inclusão social, sustentabilidade, humildade, racismo, justiça, generosidade, educação, respeito e igualdade.

Como eles têm grande expressão social e voz alta, o conteúdo atingiu proporções jamais vistas. Pessoas como o magnífico piloto brasileiro e honrado homem, Ayrton Senna nos deixou saudades, e muitas obras sociais, sempre mantendo o anonimato. Sua irmã Viviane Senna, psicóloga, empresária e filantropa brasileira, é a presidente do Instituto Ayrton Senna que tem foco na educação dos menos privilegiados. "Quando o estudante tem um professor que o valoriza , tudo muda!”.

Eu aproveito a oportunidade desse pequeno grandioso espaço para escrever, geralmente sobre causas sociais. A professora Carmen Thomé, “jovem” da terceira idade, apesar dos seus desafios, não se cansa em levar conhecimento e orientações sábias para seus alunos. Não temos muita representação social; somos quase desconhecidos, mas assim como ela, eu e você podemos usar de nossos dons, talentos e atitudes visando contribuir para um mundo melhor e mais justo. Finalizo com a frase de Viviane Senna “Juntos podemos expandir as oportunidades das novas gerações de brasileiros”. Pense nisso.

Rogério Roversi Martins, Rio Preto

Idade

Estão diminuindo a idade de 75 para 70 anos a idade para que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) se aposentem. Por que não diminuir também de 65 para 60 anos a idade de aposentadoria dos simples mortais, já que somos considerados idosos pela lei?

Marcio Nogueira de Carvalho, Rio Preto

Consciência

E essa "Consciência Humana", o que ela é? É a mesma, que está matando negros, nesse exato minuto, em algum lugar do país, sem motivo? Que está sendo perseguida por seguranças, nas lojas e shoppings, porque te acham suspeito? Que te barram na porta do banco, porque te acham com cara de bandido?

Que entortam o nariz, quando você entra na universidade, e se destaca? Que proíbe o negro de crescer no mercado de trabalho, pelo simples fato de ele ser negro? Que te mandam entrar pelo elevador de serviço, mesmo você sendo morador?

Que muda de calçada, por "medo" de ser assaltado, ou melhor, por não gostar de preto? Que faz pouco caso do seu cabelo?

É a mesma que coloca mais de 70% dentro dos presídios, e deixa engravatado corrupto solto e gastando dinheiro público? É a mesma que elege racista e homofóbico?

Que só lembra de preto, quando precisa de voto? Que te aborda na rua, te revista, humilha, e depois pede desculpas? Que tem verborragia nas redes sociais, nos acusando de mimimi?

Que legitima o preconceito, nunca tão grande no país? Que coloca a grande maioria na miséria, sem nada pra comer, sem onde morar? Que aprendeu a vida inteira, que negros são seres inferiores?

Que aclamaram a Princesa Isabel, como a branca que salvou os pretos, mas se esqueceram, que ela só aumentou o problema, que a mais de 100 anos nos sufoca.

Isso tudo, é feito por "humanos conscientes", então será tudo isso, a verdadeira "consciência humana".

Ubuntu!

Anderson da Silva Ferreira – professor e membro do Conselho Afro Rio Preto e Movimento Negro Unificado

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por