SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 18 DE AGOSTO DE 2022
CORINTIANO ACUSADO DE RACISMO

Jogador Rafael Ramos diz no STJD desconhecer o termo 'macaco'

Rafael Ramos disse no depoimento que o termo "macaco", citado por Edenílson como ataque racista, não é utilizado em Portugal, seu país, nas manifestações preconceituosas.=

Agência Estado
Publicado em 31/05/2022 às 23:40Atualizado em 01/06/2022 às 11:29
Rafael Ramos, jogador do Corinthians (Reprodução)

Rafael Ramos, jogador do Corinthians (Reprodução)

O lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians, reafirmou nesta terça-feira que não proferiu ofensa racista ao meio-campista Edenílson, do Internacional, durante a partida de 14 de maio, no Beira-Rio, em Porto Alegre. O atleta depôs na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) aos procuradores do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP), para um expediente disciplinar em andamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Rafael Ramos disse no depoimento que o termo "macaco", citado por Edenílson como ataque racista, não é utilizado em Portugal, seu país, nas manifestações preconceituosas. "Uma coisa importante que ele disse hoje (terça, 31), que precisa ser muito ressaltada. É que em Portugal, conforme ele mencionou, não se faz esse tipo de comentário quando se quer falar algo preconceituoso, e ele desconhecia que isso era utilizado no Brasil", disse Daniel Bialski, advogado contratado pelo Corinthians.

Segundo Bialski, um laudo feito pela defesa com declarações de colegas a favor de Rafael Ramos será anexado aos autos. "Ele reafirmou o que já tinha dito várias vezes não somente no depoimento oficial que prestou em Porto Alegre, mas em todas as declarações, de que em momento algum ele ofendeu de forma racista o Edenílson."

O próximo passo do STJD será ouvir Edenílson, em audiência marcada para segunda-feira, 6. Rafael Ramos pode ser enquadrado no artigo 243-G do Código brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". A punição pode ser de suspensão por até 360 dias (un ano) e de multa de R$ 100 a R$ 100 mil. Está descartado que o Corinthians seja punido.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por