SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
A FORÇA DE MANU

Com apenas 12 anos, a rio-pretense Manuela Veríssimo é destaque no powerlifting

Manuela disputa neste fim de semana, em Ibirá, o campeonato paulista de Powerlifting, na categoria de 11 a 15 anos. Caso vença o torneio, Manuela vai garantir uma vaga no mundial da modalidade

Lucas Israel
Publicado em 14/05/2022 às 01:23Atualizado em 14/05/2022 às 09:34
Manuela durante treinamento na Aresp; pequena atleta já estabeleceu recordes regionais (Johnny Torres 13/5/2022)

Manuela durante treinamento na Aresp; pequena atleta já estabeleceu recordes regionais (Johnny Torres 13/5/2022)

Com apenas 12 anos, enquanto muitos adolescentes se preocupam com outras questões, Manuela Veríssimo Capelanes se destaca em um esporte pouco conhecido: o powerlifting, modalidade de levantamento básico de pesos. Em abril, ela faturou a Copa Catanduva na categoria Sub Júnior da modalidade e, neste final de semana, disputa o Campeonato Paulista, que pode garantir até uma vaga para o mundial da categoria. A disputa do título estadual acontece em Ibirá.

Os treinamentos da jovem são feitos na academia da Associação Regional dos Servidores Públicos (Aresp), em Rio Preto, sob supervisão do treinador Rubens Semenzin.

Manu pratica a modalidade pela manhã e, no período da tarde, estuda. Tudo começou com o suporte dos pais, Paulo Rogério e Marcela Capelanes. Ela treinava junto com a mãe, de manhã, também sob supervisão, sobretudo em função da pouca idade.

“Eu treinava musculação com a minha mãe de manhã e meu treinador Rubão observou que eu tinha muita força pela minha idade. Então ele falou com o meus pais e eles deram o aval para que eu praticasse a modalidade”, afirmou a garota, que mostrou empolgação logo no primeiro torneio.

“Me apaixonei já na minha estreia, me sagrando campeã e recordista regional nas três provas de powerlifting”, conta a adolescente, que venceu a Copa Catanduva da modalidade e estabeleceu novos recordes regionais na categoria Sub Júnior - que abrange competidores de 11 a 15 anos.

Na escola, claro, Manu virou tema entre os colegas e ganhou mais torcida. Afinal, nesta idade, o mais comum é que os estudantes procurem outros esportes, como futebol, basquete, vôlei, ou mesmo natação. “Eles ficaram surpresos, felizes e estão na minha torcida”, conta.

O esporte

Embora o nome powerlifing remeta à força e peso, o esporte é um pouco diferente do levantamento de peso tradicional - aquele que fica em evidência durante as Olimpíadas.

O powerlifting é um esporte de força, cujo objetivo do atleta é levantar o maior peso possível em cada um dos movimentos pelos quais este esporte é composto; o movimento de agachamento, supino e o peso morto. A modalidade foi oficialmente reconhecida como um esporte em 1960.

Os atletas da mesma categoria de peso são organizados em grupos e todos dispõem de três tentativas de levantamento no movimento de agachamento, seguidamente no supino e terminam com o movimento de peso morto.

Inicia-se a competição com o atleta que tenha pedido o peso mais leve na barra e termina-se com o pedido de peso mais pesado. Uma vez feito o primeiro levantamento, todos os atletas deverão comunicar à mesa qual será o peso da sua próxima tentativa. Os vencedores são determinados pela soma total dos três movimentos mediante um índice que relaciona o peso levantado pelo atleta com o peso corporal.

As categorias são divididas em peso e idade. No caso de Manuela, a competição é na categoria 44kg, permitida apenas para atletas das categorias Júnior e Sub Júnior. Depois, a definição parte para o peso. No caso do feminino, as categorias existentes são 48 kg, 52 kg, 56 kg, 60 kg, 67,5 kg, 75 kg, 82,5 kg, 90 kg e acima de 90 kg.

Em Catanduva, Manu estabeleceu as marcas de 15 kg no Power Bíceps, 26 kg no Supino e 80 kg no Levantamento Terra.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por