SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 19 DE AGOSTO DE 2022
DE PORTAS ABERTAS

Rio Preto tem saldo de 4,1 mil empresas abertas

Rio Preto registra mais aberturas que fechamentos de empresas no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, mas saldo é menor que o de 2021

Da redação
Publicado em 03/08/2022 às 22:52Atualizado em 03/08/2022 às 23:12
O empresário Vanderson Luis de Souza Branco abriu rede de restaurantes (Johnny Torres 28/7/2022)

O empresário Vanderson Luis de Souza Branco abriu rede de restaurantes (Johnny Torres 28/7/2022)

Rio Preto registou a abertura de 7.523 novas empresas no primeiro semestre deste ano. Segundo dados do Mapa de Empresas do Governo Federal, outras 3.368 empresas fecharam as portas na cidade no mesmo período, finalizando o mês de junho com um saldo positivo de 4.155 novas inaugurações.

Apesar dos números otimistas de novos negócios em Rio Preto entre janeiro e junho deste ano, o saldo foi 22,9% menor do que o registrado no primeiro semestre de 2021. Mesmo com os casos de Covid-19 em alta, na primeira metade do ano passado foram abertos 8.034 novos negócios, contra 2.696 fechamentos, saldo de 5.338 empresas a mais.

O levantamento mostra que, das 7.523 empresas abertas na cidade neste ano, 7.147 se enquadram como microempresas, outras 157 são empresas de pequeno porte e 219 de outra natureza. Entre as 3.368 que fecharam no mesmo período, 3.183 eram microempresas, 58 de pequeno porte e outras 127 variadas.

Segundo o economista e diretor do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF), Maurício do Valle, o aumento no encerramento de empresas, ao mesmo tempo em que menos empreendimentos são abertos, indica um cenário negativo, de recessão. "É um menor número de oportunidades que impacta diretamente a quantidade de empregos que são gerados".

A falta de crédito disponível no mercado foi um fator determinante para que diversos empresários deixassem de investir no primeiro semestre. “Atualmente as empresas enfrentam uma dificuldade para ter acesso ao crédito para financiamento”, diz. A taxa Selic, por exemplo, está em alta, o que encarece os empréstimos bancários. “Por isso, as empresas não tem conseguido sobreviver e sair desse período de retração".

Ao todo, a cidade reúne atualmente 78.528 empresas ativas, com maior participação do comércio varejista de artigos de vestuário (3.629), seguido por cabeleireiros e manicures (3.213) e promoção de vendas (2.915). A predominância são as microempresas (68.393), seguidas pelas empresas de pequeno porte (2.835) e 7,3 mil de outras naturezas.

Global

Essa não é uma realidade exclusiva de Rio Preto. De modo geral, o mundo está enfrentando uma crise econômica que complica não apenas a criação de novos negócios, mas também a manutenção dos já existentes. "É uma crise global, que afeta diretamente o nosso país e a nossa região. Com o mercado retraído, as empresas não conseguem sobreviver", completa.

O mês com maior abertura de empresas neste ano foi maio, um total de 1.309. O curioso é que ele também foi o mês com mais fechamentos, 637 ao todo. O mês com melhor saldo foi janeiro, com 748 companhias a mais atuando na cidade, e o pior foi abril, com apenas 565.

Para o economista Hipólito Martins Filho, já era esperado que neste ano houvesse uma redução na abertura de empresas. Isso porque, além da crise global, 2022 é ano eleitoral, o que torna as projeções econômicas mais incertas. “O mercado vive de expectativas. Se ela não é das melhores, não vale a pena para o empresário investir”.

Em um cenário como o atual, há quem deseja investir mas fica receoso com tantas variáveis na economia. “A renda real caiu muito, quase 10%. É um conjunto de fatores que culmina na redução do consumo e gera incertezas naqueles que desejam investir”, diz. (colaborou Lucas Amancio)

Clique aqui para ver o balanço de 2021 e 2022

Novas oportunidades

Mesmo nos momentos de crise, começar um negócio pode ser uma boa oportunidade. Tudo depende do acesso do empreendedor a recursos, sejam eles próprios ou ao crédito. Há a possibilidade de investir nos chamados “negócios de nicho”, tipos de empreendimentos deixados pelas empresas que fecharam. “Para isso, é importante que o empresário tenha um bom planejamento financeiro”, diz o economista Mauricio do Valle.

Já com foco em expandir o negócio que o empresário Vanderson Luis de Souza Branco parou de trabalhar com empreendimentos franqueados para investir na sua própria rede de restaurantes. Assim surgiu o Steak&Burger, que abriu sua primeira unidade em Rio Preto no dia 25 de junho, no shopping Plaza Avenida, e já demonstra sinais otimistas.

Com pouco mais de um mês de existência e um investimento inicial de R$ 350 mil, a unidade já está se pagando. “Em comparação ao meu custo fixo de operação, ela está em um ótimo cenário, pois está se pagando. A expectativa é de que em longo prazo ela comece a dar lucro”, diz.

O investimento gerou nove novos empregos e não deve parar por aí. A meta de Branco é abrir mais uma unidade no shopping Cidade Norte entre o fim desse ano e o começo de 2023. “Quero ter dez lojas em Rio Preto, pois assim consigo fazer acordo com vários fornecedores e ganhar o benefício das compras no atacado”.

Neste ano empresário Diego Mir resolveu expandir o próprio negócio e investiu na abertura de uma nova unidade da sua empresa de confecções, a MYR, no Shopping Iguatemi. Segundo o proprietário, o projeto de expansão já existia há anos, mas, devido a pandemia de Covid-19, teve que ser adiado.

Agora, a expectativa está alta e os investimentos vão para além de Rio Preto. “A pandemia atrapalhou, porém acredito muito no potencial da marca MYR, por isso estamos retomando aos poucos todos os projetos. Nesse semestre inauguramos também a MYR no Garden Shopping Catanduva”. (LA)

Saiba mais

Abrir um negócio é uma missão desafiadora e, muitas vezes, confusa. Segundo o analista de negócios do Sebrae-SP Guilherme Sartorelli, é importante que o empresário faça uma pesquisa de mercado, baseando-se em um plano de negócios, para reduzir possíveis riscos. Ele separou algumas dicas para quem deseja empreender neste ano.

Faça uma pesquisa de mercado na sua cidade: verifique quais as melhores oportunidades para empreender na sua região

Monte um modelo de negócios: dessa forma será mais fácil identificar o seu público-alvo e entender quais recursos você vai precisar para fazer seu negócio girar

Entenda os conceitos básicos de gestão de negócios: é muito importante conhecer os preceitos básicos de como controlar as finanças, como fazer gestão de pessoas e como desenvolver o marketing para que mais clientes conheçam sua empresa

Busque cursos e especializações: o Sebrae disponibiliza cursos para quem quer empreender e também para quem já possui um negócio e quer melhorar os resultados

Diego Mir abriu uma nova unidade da sua marca de roupas (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por