SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 22 DE MAIO DE 2022
NEGÓCIOS INTELIGENTES

Especialistas em dados são cada vez mais exigidos nas empresas

Para enfrentar a concorrência e um consumidor mais exigente, empresas investem na análise de dados para definir o melhor caminho a ser tomado em busca dos melhores resultados

Felipe Nunes
Publicado em 05/11/2021 às 22:08Atualizado em 06/11/2021 às 07:42
Bruna Pereira, Coordenadora de Marketing da Totvs Oeste: empresa usa dados para aprimorar processos e tomar decisões estratégicas (Jhonny Torres 5/1121)

Bruna Pereira, Coordenadora de Marketing da Totvs Oeste: empresa usa dados para aprimorar processos e tomar decisões estratégicas (Jhonny Torres 5/1121)

O aumento na concorrência, o encarecimento nos custos da operação e um consumidor cada vez mais criterioso. A soma desses desafios criou um ambiente no qual as empresas não podem mais se dar ao luxo de errar no momento de desenvolver e ou implementar uma estratégia.

Devido à necessidade de atuar no mercado de maneira analítica, cada vez mais se fala em Business Intelligence (inteligência em negócios, em tradução ao português). Consiste em fazer análise de dados para definir o melhor caminho a ser tomado.

A inteligência de dados de uma empresa é a sua capacidade de captar e analisar os dados que tem à disposição, afirma Marco Aurélio Beltrame, diretor executivo da Totvs Oeste. Ele explica que com uso das tecnologias certas é possível descobrir insights valiosos para o negócio, reduzir custos, aprimorar processos e tomar decisões estratégicas. “O segredo para o sucesso da inteligência de dados é ter as ferramentas certas para a coleta, extração e organização das informações e uma equipe capaz de analisar as informações para garantir decisões baseadas em cenários reais, aumentando as chances de sucesso”.

Segundo o executivo, a análise dos dados ajuda a empresa a tomar decisões data-driven (processos organizacionais orientados por dados), capazes de melhorar seus resultados e trazer diversos benefícios estratégicos, como um marketing mais eficaz, novas oportunidades de receita, melhorias na experiência do cliente, bem como maior eficiência operacional.

Bruno Malvezi, diretor executivo do Grupo Impper (Divulgação)

Diretor executivo do Grupo Impper, Bruno Malvezi destaca que as informações coletadas, seja através do atendimento dos clientes ou redes sociais, apoiam e direcionam o desenvolvimento das ações do grupo e auxiliam na definição de produtos e estratégias comerciais e de marketing.

"A inteligência de dados nos permite ficar mais próximos e alinhados às famílias que buscam uma casa, com nossos fornecedores e parceiros. Ela contribui fortemente para a tomada de decisões como o melhor momento para lançar um novo empreendimento, expansão da nossa área de atuação”.

Segundo Beltrame, ao implementar o conceito no negócio o primeiro passo é definir quais dados serão coletados e o que será feito com eles. “É possível, por exemplo, descobrir a recorrência de compras de um cliente através dos canais de vendas de uma empresa – site, WhatsApp ou redes sociais. Essa informação é valiosa para gerir estoques, definir promoções ou o lançamento de novos produtos ou serviços”.

Ele aponta que uma empresa que quer aumentar suas operações para diferentes mercados precisa optar por qual caminho seguir. "Se a empresa se basear em dados, será possível avaliar as opções com maior potencial de sucesso, garantindo que o investimento valha a pena”.

Dados não têm preço

As empresas armazenam muitos dados considerados ricos para seus negócios, mas muitas delas ainda não enxergam esses dados como um ativo estratégico, afirma Tiago Pace, diretor operacional de transformação digital e planejamento da Marsala Marketing.

Ele explica que a principal missão das empresas que adotam o conceito de Business Intelligence (BI) é transformar esses dados em informação útil. “A coleta, organização e análise, ação e monitoramento das informações podem auxiliar em investimento mais assertivos em várias frentes do negócio, desde uma melhoria na parte de produção de um parque fabril, até investimento em marketing”.

Ele argumenta que a informação é, por si só, um conjunto organizado de dados. E que o valor de cada informação pode se tornar incalculável. “Para campanhas de marketing em ambiente digital, por exemplo, a definição de uma persona ideal com base em dados coletados pode impactar em resultados mais positivos”. Para definir qual é a ferramenta ideal, é preciso saber quais dados são importantes e qual objetivo pretende alcançar. (FN)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por