SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
MERCADO SUPERAQUECIDO

'Boom' imobiliário põe Rio Preto em 4º no ranking de lançamentos no estado de São Paulo

Rio Preto ocupa a quarta posição no ranking entre as cidades com o maior número de lançamentos imobiliários em 2021: foram colocadas à venda 5.406 moradias, alta de 57,9%

Felipe Nunes
Publicado em 04/05/2022 às 23:08Atualizado em 05/05/2022 às 08:21
Rio Preto tem demanda reprimida por imóveis residenciais (Guilherme Baffi 4/2/2022)

Rio Preto tem demanda reprimida por imóveis residenciais (Guilherme Baffi 4/2/2022)

Rio Preto ganhou uma média de 450 novos imóveis residenciais por mês em 2021. Os dados são do Anuário do Mercado Imobiliário do Sindicato da Habitação (Secovi-SP) e da Brain Inteligência de Mercado. Segundo a pesquisa, entre janeiro e dezembro do ano passado foram lançados 5.406 moradias – resultado que coloca Rio Preto na quarta posição entre os municípios do Estado que mais disponibilizaram unidades habitacionais no mercado.

O estudo aponta um aumento de 57,9% no volume de lançamentos das unidades habitacionais comparado ao ano de 2020, quando foram disponibilizadas 3.422. Se comparado com 2019, o aumento foi ainda mais expressivo: de 395%. No acumulado dos últimos três anos, a cidade lançou 9.919 imóveis residenciais. Desse volume, um total de 5.498 unidades habitacionais foram comercializadas no período.

No ranking estadual de 2021, Rio Preto ficou atrás de cidades como São Paulo, que lançou 81.841 unidades habitacionais, Sorocaba com 6.887 lançamentos e Campinas, com 6.666. Em relação aos valores de mercado, Rio Preto ocupa a quinta posição estadual, com R$ 1,4 bilhão negociados. Além de São Paulo (R$ 41,8 bilhões), Sorocaba (R$ 2,3 bilhões) e Campinas (R$ 2,2 bilhões) a cidade de Praia Grande também se destaca, com R$ 1,7 bilhão em negociações imobiliárias.

Diretor regional do Secovi em Rio Preto, Thiago Ribeiro, destaca que os juros baixos – que esteve no patamar de 2% entre 2020 e 2021 – e as condições de acesso ao crédito imobiliário impulsionaram o crescimento do mercado imobiliário de forma geral. Mas em Rio Preto, mudanças no Plano Diretor ajudaram a impulsionar o volume de lançamentos imobiliários.

“A mudança no Plano Diretor estimulou esse cenário na cidade pois abriu mais possibilidades de lançamentos de imóveis em determinadas regiões, o que estimula a concorrência. E, aqueles que já estavam com produtos em mãos soltaram mais rápido devido à possibilidade de concorrência futura”, explica.

Aprovadas em dezembro de 2020, as novas diretrizes do Plano Diretor estabeleceram regras de zoneamento projetando maior verticalização da cidade nos próximos dez anos. Com a aprovação da proposta, o município passou a autorizar a construção de edifícios em bairros que restringiam os empreendimentos e a ocupação em ‘vazios urbanos’.

Ribeiro avalia que o mercado imobiliário deverá se manter aquecido nos próximos anos na cidade, mesmo com o atual cenário marcado pela inflação na casa dos dois dígitos e alta na taxa de juros. “A média de tempo entre a liberação do projeto e o lançamento do empreendimento varia de 12 a 18 meses. Com isso, devemos ter novos lançamentos nessas áreas liberadas pelo município em breve. Rio Preto tem uma demanda reprimida, tanto que parte dos empreendimentos lançados neste ano já se esgotaram”, diz.

Dois quartos lidera

Três em cada quatro moradias lançadas no mercado imobiliário de Rio Preto em 2021 são da modalidade de dois dormitórios, aponta o Anuário do Mercado Imobiliário. Das 5.406 unidades disponibilizadas, 4.090 possuem o formato de dois quartos. As residências com três quartos representam apenas 16% do total e as de apenas um dormitório representam 6% do total.

Em relação à área útil construída, se destacam na cidade unidades habitacionais de até 45 metros quadrados (m²), com quase 40% do total de lançamentos. Esses modelos de imóveis são preferência das construtoras, pois se enquadram nas faixas de renda atendidas pelo programa Casa Verde Amarela, afirma o diretor regional do Secovi Rio Preto, Thiago Ribeiro.

“Esse segmento do mercado econômico não passa de dois dormitórios por conta do custo na construção. Dificilmente conseguiríamos alcançar o terceiro mantendo os juros atrativos oferecidos pelo Casa Verde Amarela”.

Ao considerar a faixa de preço, se destacam os imóveis de até R$ 230 mil (3.510 unidades), representando quase 65% do total. (FN)

Características

Dormitórios

1 dormitório

  • 360 unidades lançadas
  • 7% do total de imóveis
  • 271 unidades vendidas

2 dormitórios

  • 4.090 unidades lançadas
  • 76% do total de imóveis
  • 2.641 vendidas

3 dormitórios

  • 916 unidades lançadas
  • 17% do total de imóveis
  • 521 vendidas

 Área útil construída (m²)

Até 45 m²

  • 2.136 unidades lançadas
  • 40% do total de imóveis
  • 1.867 vendidas

Entre 45 e 65 m²

  • 2.035 unidades lançadas
  • 37,2% do total de imóveis
  • 828 vendidas

Entre 66 e 85 m²

  • 537 unidades lançadas
  • 10% do total de imóveis
  • 345 vendidas

Entre 86 e 130 m²

  • 654 unidades lançadas
  • 12% do total de imóveis
  • 365 vendidas

Mais de 130 m²

  • 44 unidades lançadas
  • 0,8% do total de imóveis
  • 75 vendidas

 Faixa de Preço

Até $230 mil

  • 3.510 unidades lançadas
  • 65% do total
  • 2.158 vendidas

Entre $230 e $500 mil

  • 1.394 unidades lançadas
  • 26% do total
  • 980 vendidas

Entre $500 e $750 mil

  • 348 unidades lançadas
  • 6% do total
  • 210 vendidas

Entre $750 e $900 mil

  • 110 unidades lançadas
  • 2% do total
  • 69 vendidas

Acima de $900 mil

  • 44 unidades lançadas
  • 1% do total
  • 72 unidades vendidas

Fonte: Secovi e Brain

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por