SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 09 DE AGOSTO DE 2022
ATIVIDADE

Produção industrial cai 0,4% em junho

Produção industrial acumulou crescimento de 1,8% em ;quatro meses

Agência Estado
Publicado em 02/08/2022 às 23:00Atualizado em 03/08/2022 às 00:12
Produção de veículos saltou 6,1% em junho ante maio (Divulgação)

Produção de veículos saltou 6,1% em junho ante maio (Divulgação)

Depois de quatro meses de crescimento em ritmo modesto, a produção industrial recuou 0,4% em junho ante maio, informou nesta terça-feira, 2, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda evidencia as dificuldades que o setor enfrenta, com restrições na oferta de matérias-primas e a perspectiva de moderação na demanda, principalmente neste segundo semestre.

“Mesmo no período de quatro meses de crescimento, a indústria seguiu cercada de fatores que traziam dificuldades”, afirmou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

As dificuldades aparecem nos números. Embora o segundo trimestre tenha fechado com crescimento de 0,9%, na comparação com os três primeiros meses do ano, a produção industrial acumulou crescimento de 1,8% nos quatro meses de alta encerrados em maio.

Mesmo assim, lembrou Macedo, foi insuficiente para anular a queda de 1,9% registrada em janeiro. O nível da produção está 18% abaixo do máximo já registrado, em maio de 2011.

Entre os fatores que trazem dificuldades, Macedo incluiu tanto restrições de oferta quanto de demanda. No lado da oferta, o pesquisador do IBGE citou a dificuldade na obtenção de matérias-primas. No lado da demanda doméstica, Macedo lembrou que a inflação elevada restringe o consumo das famílias, enquanto a elevação das taxas de juros encarece o crédito.

Veículos e bens duráveis

A produção de veículos saltou 6,1% em junho ante maio, puxando o avanço de 6,4% na fabricação de bens de consumo duráveis, segundo Macedo, do IBGE. Só que mesmo os desempenhos positivos dão pouca margem para comemorações. Para o pesquisador do IBGE, a indústria automotiva, uma das mais atingidas pela escassez de insumos provocada pelo travamento das cadeias de produção, parece estar passando apenas por ajustes, nos últimos meses, após longo período de desempenhos negativos.

A categoria dos bens de consumo duráveis segue com o pior desempenho entre as atividades industriais, chegando a junho 15,6% abaixo do nível de atividade de fevereiro de 2020, antes da pandemia de covid-19. Antes das altas de maio e junho, essa distância estava em 23,8%.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por