SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 09 DE AGOSTO DE 2022
AgroDiário

Iniciativa pretende aumentar a produção de milho no Estado

Iniciativa tem como objetivo ampliar a produção de milho, passando das atuais 7,7 milhões de toneladas no ano para 11 milhões de toneladas no Estado; programa tem início na região Noroeste

Cristina Cais
Publicado em 02/08/2022 às 23:58Atualizado em 03/08/2022 às 00:19
Cereal é bastante usado como alimento do gado, aves e suínos (Wenderson Araujo/Trilux/CNA/Divulgação)

Cereal é bastante usado como alimento do gado, aves e suínos (Wenderson Araujo/Trilux/CNA/Divulgação)

Parceria entre empresas ligadas ao agronegócio, governo do Estado e cooperativas busca ampliar a produção de milho, o que deve envolver 100 mil agricultores em um milhão de hectares em todo o Estado paulista até 2030. O programa quer elevar a atual produção anual de milho, de 7,7 milhões de toneladas, para 11 milhões de toneladas, e tornar a plantação do cereal autossuficiente.

A iniciativa deve incentivar produtores a investir na produção do grão e teve início na região Noroeste, com a participação de técnicos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, empresas do agronegócio e entidades (cooperativas e associações) em áreas experimentais de cultivo do milho.

De acordo com engenheiro agrônomo João Brunelli Júnior, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), o milho tem demanda elevada em vários municípios paulistas, principalmente pelo grande número de granjas de aves, de produção de bovinos e de suínos, animais que têm o milho como principal fonte de alimento.

“O Programa, que recebeu o nome de Milho+ SP, quer aumentar a oferta de milho, já que muito destes grãos vêm de outros estados para suprir a alta demanda. A nossa proposta é incentivar, com o uso de tecnologias de insumos e de implementos agrícolas, o produtor a aumentar a produtividade do milho”, afirma Brunelli.

Ele explica ainda que atualmente, a média de produção do milho no estado de São Paulo é de 3,5 milhões de toneladas por ano, mas a demanda é de 8,9 milhões de toneladas. Essa diferença, de 5,6 milhões, é suprida com a vinda do grão de outros estados brasileiros. Atualmente, Brunelli diz que a produtividade média de milho no País está entre 90 e 100 sacas por hectare, sendo que o estado de São Paulo apresenta 75 sacas por hectare por safra, abaixo da produtividade média do País.

“Queremos estimular o produtor a produzir mais e melhor o milho, aderindo a uma nova visão de produção na propriedade”, destaca Brunelli. Para isso, o programa teve início no Noroeste Paulista, onde se concentra grande parte do mercado consumidor do cereal, como as granjas de aves de corte, além de clima e logística favoráveis para o plantio e a armazenagem do milho.

Brunelli afirma ainda que são 18 áreas demonstrativas das lavouras de milho que estarão disponíveis ao agricultor. “Vamos fazer uma campanha de incentivo ao uso correto do solo, junto com as empresas de insumos e de tratores, que vão trazer todo o conjunto de tecnologias ao produtor para ele se adequar nesta ampliação de áreas de milho”.

Reforma no canavial

O produtor rural e empresário do ramo de máquinas agrícolas Osmair Guareschi vê a iniciativa de ampliar a produção de milho como essencial, destacando o fato da região Noroeste possuir muitas áreas de canaviais. “É importante que o produtor possa plantar o milho nas reformas do canavial. Hoje, já se faz muito isso com a soja, mas seria importante o produtor plantar o milho no Estado e atender a alta demanda, principalmente das granjas de aves”, diz Guareschi.

Parceiro do programa Milho+ SP, ele participa com os tratores que foram usados para o plantio do grão em uma área experimental na região Noroeste. Guareschi ainda ressalta que o plantio direto do milho, com a palhada que fica da cana-de-açúcar, vai gerar mais renda para o produtor e ao Estado. “Todos ganham. A iniciativa de ampliar a produção paulista de milho é muito boa”.

Dobro da produção

A Cooperativa dos Produtores Rurais de Palestina estima aumento de 50% na produção de milho em 2022. Segundo o gerente do silo da cooperativa, Leonardo Jeppez, a capacidade de armazenagem é para receber 60 mil sacas de milho. “De uma média de 30 mil sacas que costumamos armazenar em outras safras, neste ano armazenamos 60 mil sacas do grão”, afirma.

O clima favorável e o preço do milho foram os principais motivos para aumentar a produção na região de Palestina, segundo Leonardo. “Ao contrário da safra passada, o clima foi melhor neste ano, com um pouco mais de chuva. Além disso, o preço da saca do milho chegou a ser cotada em R$ 100, o que animou ainda mais o produtor”. (CC)

Pesquisa aponta estimativa maior

Levantamento do Instituto de Economia Agrícola (IEA) aponta que a produção paulista de milho em 2022 foi estimada em 4,8 milhões de toneladas, 30,1% maior que a do ano anterior. A produtividade média, segundo a pesquisa, deve atingir a ordem de 5,9 mil quilos por hectare, 21,4% acima da observada em 2021, apesar de ligeiro aumento da área plantada (0,8%).

O pesquisador do IEA Maximiliano Miura considera o clima favorável neste ano como um dos principais motivos para o aumento da produção de milho nas lavouras paulistas. “O milho de segunda safra, com as semeaduras feitas até a segunda quinzena de janeiro, teve boa distribuição de chuva para a lavoura, o que impactou na melhor produção desta safra”, explica o pesquisador.

Com o desempenho da safra do grão, Miura explica que o estoque inicial de milho ainda existente neste ano, de 530,9 mil toneladas, estima-se que a quantidade de milho disponível para abastecer o mercado interno esteja na ordem de 5,3 milhões de toneladas, o que representa aumento de 24,9% em relação ao ano passado. “A maior demanda (consumo) do milho no Estado é da avicultura de corte, com 2,5 milhões de toneladas, aumento de 2% em comparação a 2021”.

Com essa maior disponibilidade interna, o pesquisador afirma que a produção paulista de milho fique menos dependente das aquisições do produto de outros estados. “A expectativa é de que a demanda paulista por milho, em 2022, mantenha-se praticamente estável, com relação à do ano anterior”, conclui Miura. (CC)

Levantamento

Produção do milho

  • Área (total em 2021) 826,3 hectares
  • Área (total em 2022) 832,9 hectares

Aumento de 0,8% em 2022

  • Produção (2021) 3,7 milhões de toneladas
  • Produção (2022) 4,8 milhões de toneladas

 Aumento de 30,1% em 2022

  • Produtividade (kg/ha) em 2021 4,8 mil
  • Produtividade (kg/há) em 2022 5,9 mil

 Aumento de 21,4% em 2022

Fonte – Instituto de Economia Agrícola (IEA)

Objetivo é estimular adoção de tecnologias para aumentar a produtividade no cultivo de milho (Wenderson Araujo/Trilux/CNA/Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por