SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
NOVELA PANTANAL

Violeiro de Mirassol ensina técnicas a Gabriel Sater

Leandro Valentin, de Mirassol, deu aulas on-line para o filho de Almir Sater

Salomão Boaventura
Publicado em 20/06/2022 às 20:23Atualizado em 21/06/2022 às 08:42
Leandro Valentin divulga o universo da música de viola por meio de cursos e em seus perfis das redes sociais (Divulgação/Felipe Régis)

Leandro Valentin divulga o universo da música de viola por meio de cursos e em seus perfis das redes sociais (Divulgação/Felipe Régis)

O dedilhado na viola de Trindade – vivido pelo ator e músico Gabriel Sater – na novela Pantanal, da TV Globo, está emocionando os telespectadores. O que poucos sabem é que Sater, que já tocava violão clássico, se aperfeiçoou na técnica da viola com o músico Leandro Valentin, de Mirassol. Valentin entende do assunto: além de dar aulas on-line, ele é um dos finalistas de um concurso de viola, está escrevendo uma biografia sobre Tião Carreiro e bomba nas redes sociais com seus vídeos de música.

“No ano passado, Gabriel Sater entrou em contato comigo pelo Instagram. Ele disse que acompanhava meu trabalho e perguntou se eu poderia dar aula de ‘Luzeiro’, que é a música instrumental do pai dele (Almir Sater) que toca na abertura do ‘Globo Rural’”, conta Valentin. O violeiro mirassolense ficou surpreso pela escolha, pois Sater poderia ter procurado o pai. “O Gabriel me disse que queria fazer uma surpresa para o pai e me confidenciou que a aula serviria de preparação para tocar viola na novela Pantanal”, complementa.

Valentin conta que o trabalho com Sater foi de aperfeiçoamento e as aulas devem continuar após a novela. “O trabalho com o Gabriel foi uma questão de técnica. Porque, por mais que a viola e o violão sejam parecidos, cada um tem linguagens e técnicas próprias. Estou orgulhoso do desempenho dele e trocamos mensagem direto. É mérito dele, eu só dei um complemento, pois o Gabriel já era um grande músico. Assim que encerrar a novela, ele me disse que vai fazer aulas de viola on-line comigo”, afirma.

O gosto pelo instrumento musical e pela música raiz foi herdado do pai, quando Valentin ainda era criança, ao ser apresentado ao universo musical de Tião Carreiro. Após concluir o doutorado em Letras, pelo Ibilce/Unesp, a paixão pela música falou mais alto do que o universo acadêmico. “Ao mesmo tempo que fazia meu doutorado em Letras, meu trabalho na Internet, junto à viola, já vinha crescendo. Quando concluí o doutorado, tive que decidir se eu continuaria na carreira acadêmica, para me tornar um professor universitário, ou se iria pra viola. Eu optei pela viola e as coisas cresceram cada vez mais”, conta Valentin.

Ele não se arrepende da escolha. No começo deste mês, Leandro Valentin soube que está entre os oito finalistas do “Concurso Viola SP”, na categoria viola tradicional. Esse concurso faz parte do #JuntosPelaCultura, programa de fomento e difusão cultural do Governo do Estado de São Paulo. Ele concorreu com 88 outros violeiros.

“Com o advento do sertanejo contemporâneo, a viola caipira perdeu um pouco de espaço no mercado da música. Graças a Internet, a viola voltou com uma força enorme por causa da música instrumental. Para mim, é motivo de muito orgulho poder viver da viola instrumental, tanto com aulas como com shows. Até onde eu sei, sou o único finalista da região”, diz

A paixão pela música de viola é tanta que Valentin está escrevendo uma biografia de sua maior referência, Tião Carreiro. “Há muitos anos, sou amigo da família do Tião. Conversando com eles, decidimos fazer a biografia dele”, conta. Ele está fazendo esse projeto há cinco anos. “Já tenho muitas entrevistas gravadas, inclusive de grandes nomes que já faleceram. A pandemia atrasou muito, porque tenho que fazer as entrevistas pessoalmente e estou retornando a esse projeto agora”, ressalta.

Entrevista em podcast

Para contar essas e mais histórias de seu amor pela viola, Leandro Valentin participa hoje, 21, a partir das 20h, do podcast “Amplifica”, conduzido por Rafael Bittencourt, guitarrista da banda Angra. “Já mantinha contato com o Rafael, porque a gente tinha combinado de gravar uma música em vídeo. Um dia, conversando com ele pelo WhatsApp, enviei um áudio tocando na viola uma música famosa da banda Angra, chamada ‘Rebirth’. Ele gostou muito e me convidou para ir ao ‘Amplifica’. Pelo que sei, é a primeira vez que um violeiro vai lá”, diz.

Valentin reproduz clássicos da música raiz e explora diferentes possibilidades na viola caipira em vídeos na Internet. No Youtube, o canal do violeiro (@leandrovalentin) já tem mais de 30 mil inscritos e seu perfil no Instagram (@valentinleandro) possui 63 mil seguidores. “Comecei de maneira despretensiosa e, atualmente, vivo disso. Dos violeiros estritamente instrumentistas no Instagram, o meu perfil é o que mais tem seguidores”, conta Valentin. (SB)

Som da viola no Sesc

Os fãs da viola caipira, um dos ícones da música popular brasileira, têm agenda garantida no Sesc Rio Preto até o dia 3 de julho com o projeto “No Braço da Viola”. Nesta semana, diferentes atividades mostram a importância do instrumento na construção da memória musical dos interiores do Brasil.

Amanhã, 22, das 13h às 21h30, a entrada do Teatro do Sesc recebe a atividade gratuita “Nos braços do Violeiro”. O evento é uma pequena mostra das páginas originais do livro "A Viola Encarnada: moda de viola em quadrinhos", de Yuri Garfunkel, com curadoria de João Carlos Villela. A obra mostra passagens da vida rural do século passado, vivenciadas por violeiros e vaqueiros, conforme descritas nas letras de música caipira.

Na quinta-feira, 23, a partir das 20h, a música caipira volta a ressoar na Comedoria do Sesc em um evento gratuito. O violeiro Osni Ribeiro traz um repertório com canções que contam histórias do cotidiano de pessoas humildes do campo e da cidade.

Já na sexta-feira, 24, também a partir das 20h, a dupla Rodrigues Viola & Henrique, representantes do pagode caipira, apresenta um repertório com clássicos da música raiz. A apresentação é gratuita e acontece na comedoria.

No sábado, às 21h, o músico Ivan Vilela traz para o palco do Teatro Sesc composições de vários momentos de sua carreira. Ingressos a partir de R$9. Já o domingo, 26, das 10h às 12h, é para quem quer aprender a fazer uma viola de cabaça. Na atividade, o violeiro e luthier Levi Ramiro demonstrará de forma teórica e prática as etapas de construção desse instrumento.

Toda a programação do projeto “No Braço da Viola” pode ser conferida no portal sescsp.org.br/riopreto ou nas redes sociais instagram.com/sescriopreto e facebook.com/sescriopreto. (SB)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por