SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 05 DE DEZEMBRO DE 2021
LITERATURA

Rio-pretense fala sobre perda e meio-ambiente nos livros infantis

Artista visual e escritor rio-pretense Omar Rosário, da editora Invisível, fala sobre perda e meio-ambiente nos livros infantis 'Quando conheci Dona Baleia' e 'Tesouros', que lança amanhã em Rio Preto

Francine Moreno
Publicado em 04/02/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 07:37
Formado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Omar Rosário é dono de uma r
poética urbana, sensível e sagaz  (Elcio Rosário/Divulgação)

Formado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Omar Rosário é dono de uma r poética urbana, sensível e sagaz (Elcio Rosário/Divulgação)

Depois de lançar o livro infantojuvenil "Cléber Saiu da Linha" em julho do ano passado, em que abordou a história de Cléber, uma formiga acostumada a andar na linha, quando um certo dia resolveu sair de sua zona de conforto para conhecer o mundo, o rio-pretense Omar Rosário apresenta duas obras infantis nesta quarta-feira, 5, em Rio Preto. Trata-se dos livros "Quando conheci Dona Baleia" e "Tesouros", ambos publicados pela editora Invisível, que foi lançada pelo estilista e artista visual também em 2019 com o objetivo de unir literatura com artes visuais.

Em "Quando conheci Dona Baleia", Omar Rosário aborda um tema espinhoso e difícil de tratar, mas de forma simples e poética: a morte. O rio-pretense, que hoje mora em Florianópolis, afirma que que a obra oferece uma abertura para o diálogo sobre a morte, que é um tema delicado e muitas vezes evitado no universo infantil. "Decidi falar sobre isso pois eu percebi que existia uma deficiência sobre o tema. Infelizmente tendemos a tratar as crianças com certa 'debilidade' e isso só demostra o tanto que as subestimamos", afirma Rosário.

O livro acompanha a história de Lisa, uma garota que chega a uma praia, com os pais, e vê uma baleia encalhada. Desesperados, os pais da garota começam a gritar pedindo socorro para evitar a morte da baleia. Lisa não consegue entender como aquela enorme baleia poderia desaparecer - o que para ela é sinônimo de morrer. Curiosa, Lisa se aproxima da baleia a fim de encontrar algumas respostas e, assim, as duas embarcam em uma jornada para entender e aceitar o desconhecido.

Com capa dura, o livro foi produzido em papel pólen e é composto por 31 pinturas em aquarela sobre papel. A obra tem 40 páginas, não tem divisões por capítulos e a revisão é assinada por Sumaya Lima. O lançamento será nesta quarta, às 19h, no Riopreto Shopping, em frente ao Café Starbucks. O livro será vendido por R$ 49,90.

O segundo livro "Tesouros" foi desenvolvido para um concurso de ilustração coreano chamado Key Colors e nasceu da necessidade de falar sobre reciclagem, não apenas material, mas também pessoal. "O livro discute o apego e o egoísmo e é ambientado em um universo onde a reciclagem é necessária para mudar a realidade de uma sociedade poluída por maus hábitos."

Para o escritor e ilustrador, assim como o meio ambiente é poluído pela falta de consciência ecológica, as pessoas também estão sujeitas a se contaminar com a ignorância e intolerância social. "'Tesouros' ensina que o perdão é transformador e é capaz de nos transformar positivamente."

As ilustrações do livro foram desenvolvidas em papel reciclado. "Eu mesmo reciclei com papéis da época da faculdade e jornais", revela o rio-pretense, que é formado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Para fazer os desenhos, Omar Rosário utilizou giz pastel e aquarela. "Na provisão gráfica, o livro foi impresso em papel reciclato (tipo de papel reciclado utilizado pelas gráficas)."

O livro foi desenvolvido em formato de cards para colocar o leitor frente a frente com o expectador, criando uma conexão entre eles e desconstruindo a maneira como se vê o livro. Ao todo, o livro é formado por 15 cards (30 páginas), não é dividido em capítulos e a revisão também foi feita por Sumaya Lima. O livro traz ainda para o leitor uma receita para reciclar papel, transformando uma brincadeira em um ato ecológico e sustentável. O livro será vendido por R$ 25. "Comprando junto com 'Quando conheci Dona Baleia', ambos saem por R$ 60."

Mais livros

Na obra "Cléber Saiu da Linha", em parceria com o poeta Brunno Manfra, Rosário fala como o encontro de Cléber com o medo, a solidão, a saudade e a frustração acabam tornando a aventura uma jornada para o autoconhecimento. O rio-pretense também lançou "Casamento Siamês" em maio do ano passado. Na obra, o artista visual ilustra a história escrita por Leandro Stein. Com ilustrações para adultos, a obra conta a história de Antônia e Atílio e discute a relação de codependência nas relações amorosas.

A editora Invisível passou a ter os direitos e lançou uma versão de "O Menino que Vestia Cor-de-Rosa", que inicialmente foi lançado em fevereiro de 2018 pela editora Chiado. No último livro, Omar Rosário escolheu usar as palavras para dialogar com as crianças sobre um dos valores mais importantes da convivência em sociedade: o respeito ao próximo. O escritor ficou responsável pelas ilustrações, enquanto o texto foi assinado pela professora e tradutora Flávia Pala.

Serviço Lançamento dos livros "Quando conheci Dona Baleia" e "Tesouros", da editora Invisível. Nesta quarta-feira, 5, às 19h, no Riopreto Shopping, em frente ao café Starbucks

Livro 'Quando conheci Dona Baleia' é composto por 31 pinturas em aquarela sobre papel e conta a história de Lisa, uma menina de seis anos (Divulgação)
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por