SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
COMPORTAMENTO

Série polêmica tem lições para a vida

‘Sex/Life’ conta a história de Billie, uma mulher que relembra o passado com o ex

Jéssica Reis
Publicado em 03/09/2021 às 21:27Atualizado em 03/09/2021 às 21:32
Sex Life é estrelado por Sarah Shahi, Mike Vogel e Adam Demos (Divulgação/Netflix)

Sex Life é estrelado por Sarah Shahi, Mike Vogel e Adam Demos (Divulgação/Netflix)

Definida como uma série picante, quem assistiu ‘Sex/Life’ tem duas opiniões bem definidas: é ótima ou perda de tempo. Se ainda não viu, a produção foi lançada em julho e causou muito alvoroço nas redes sociais por causa de uma cena específica.

A trama acompanha a vida de Billie Connelly (Sarah Shahi), uma mulher que tem dois filhos pequenos e mora em um subúrbio de Connecticut. Mas ela tem um passado: antes de se casar com o bem-sucedido e carinhoso Cooper (Mike Vogel), ela levava uma vida selvagem na cidade de Nova York. Frustrada com o casamento morno, ela começa a escrever um diário contando as histórias eróticas que viveu com o ex-namorado Brad (Adam Demos). Até que, um dia, seu marido encontra o livro e percebe a necessidade de Billie voltar a ser quem era.

Com apenas 8 episódios, a primeira temporada foi um sucesso e deixou diversos ganchos em aberto para a continuação, mas ainda sem confirmação da Netflix.

Apesar de ser uma produção erótica, Sex/Life vai muito além de sexo e tem muito a nos ensinar, segundo Thiago Guimarães, Especialista em Psicologia Analítica e Neurociência e Comportamento pela PUC. Uma das questões centrais de ‘Sex/Life’ é a valorização excessiva com o passado, já que Billie fica presa ao que viveu com o ex-namorado. “A neurociência explica que o nosso cérebro funciona sempre tentando economizar energia. Por isso, tudo aquilo que gasta muita energia é apagado.

Por exemplo, é comum que, no final de um relacionamento, que a gente não se lembre das coisas ruins que aconteceram. Isso acontece porque os momentos de tristeza e angústia gastam muita energia cerebral. Sendo assim, corremos o risco de revisitar o passado com a falsa ilusão de que ‘naquela época era muito melhor’. Pense, reflita, busque nas memórias e se esforce para relembrar se era tudo isso mesmo.”

Apesar de não ter curtido muito a série, Suelen Cristina Batista, 28, Cloud Engineer, diz que a produção tem alguns ensinamentos, especialmente para as mulheres, que não deveriam abandonar suas vidas para se entregar a um relacionamento. “Na série fica bem visível que Billie foi morar no interior, teve dois filhos e toda sua história apagada, pois se entregou 100% à vida de casada e esqueceu dos seus estudos e sonhos. A mulher fica invisível a série toda, suas dores e suas necessidades”, diz.

Outras séries

Casada, Alma passa um fim de semana fora de casa. A experiência desperta uma paixão, mas acaba em tragédia e a faz questionar a verdade
sobre as pessoas.

Série adolescente mostra o cotidiano de jovens estudantes de um colégio interno de grande renome e prestígio.

Para criar um aplicativo de sexo e vencer uma competição de tecnologia, uma jovem inexperiente e suas amigas decidem explorar o assustador mundo da intimidade.

  Reportagem/Netflix

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por