SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 14 DE AGOSTO DE 2022
DA TELA PARA O LÁPIS

Crianças em escola de Rio Preto fazem releituras das obras de grandes artistas brasileiros

Crianças de 2 a 6 anos, da Escola Municipal Rita Mendes Mambreu, participam de exposição que retrata obras de artistas brasileiros, como Cândido Portinari

Salomão Boaventura
Publicado em 04/07/2022 às 20:14Atualizado em 04/07/2022 às 20:35
Manuela e Felipe criaram releituras de obras do artista nordestino Eduardo Lima (Guilherme Baffi 04/07/2022)

Manuela e Felipe criaram releituras de obras do artista nordestino Eduardo Lima (Guilherme Baffi 04/07/2022)

Uma atividade lúdica e cheia de cultura movimentou a rotina dos cerca de 150 alunos da Escola Municipal Rita Mendes Mambreu, na Estância Santa Catarina, em Rio Preto. Os pequenos alunos, com idades de 2 a 6 anos, participaram de releituras de obras de artistas como Cândido Portinari, Eduardo Lima, João Sebastião da Costa e Karoline Kemblin. Para representar as principais obras dos homenageados, a criançada se produziu para fotos com a ajuda dos professores, fez desenhos e esculturas.

A coordenadora da escola, Mara Rúbia Faria, explica que a atividade fez parte da “Festa das Tradições”, um evento realizado pela escola que aborda a cultura brasileira, considerando as cinco regiões do país. “Conforme previsto no calendário escolar, temos a ‘Festa das Tradições’, que é quando os professores trabalham a cultura do Brasil com as crianças. Como inspiração, as professoras trabalharam com artistas de cada região”, diz.

Segundo Mara Rúbia, foram produzidas em torno de 75 obras com a participação dos próprios alunos. “Pela primeira vez, realizamos a festa com este formato e o resultado foi surpreendente”, afirma.

De acordo com a coordenadora, a atividade ajuda no desenvolvimento dos alunos. “Nós temos como objetivo o desenvolvimento integral das crianças. Familiarizá-las com tudo aquilo que remete ao patrimônio cultural do Brasil faz parte disso. Então, se apropriar da cultura do nosso país ajuda a construir a identidade da criança como um todo”, conta.

O pequeno Felipe Lorran Ferreira da Silva, 6, estava empolgado com a representação que fez da obra do artista nordestino Eduardo Lima. “Foi divertido. A professora falou para pegar o desenho do artista e fazer do meu jeito”, diz. Manuela Cafacão de Bianchi, 6, também estava feliz com a atividade. “Minha família achou muito bonito. Foi muito legal fazer”, complementa.

É justamente a aproximação entre família e instituição de ensino um dos objetivos da atividade, de acordo com Juliana Vargas Passarin, supervisora da escola. “A escola precisa estar sempre próxima das famílias para cumprir o seu papel de também levar o conhecimento e ampliar as experiências de mundo das crianças”, afirma.

A vida escolar e familiar se entrelaça na escola Rita Mendes Mambreu. “Nós temos como prática, aqui na escola, que a família adentre ao espaço. Então, tanto para trazer a criança, como para vir buscar, a comunidade tem acesso total. As famílias param para admirar e tiram fotos junto com as crianças. Isso fica marcante no desenvolvimento escolar, pois são propostas com um significado cultural para as crianças”, finaliza.

Alunos reproduziram os trabalhos dos artistas plásticos e fotos integram a exposição (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por