SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
QUERIDINHO

Fusca lidera entre os clássicos mais buscados no Brasil

Modelo da Volkswagen continua marcando presença no coração do brasileiro e coleciona fãs na região de Rio Preto

Da Redação
Publicado em 12/06/2022 às 00:00Atualizado em 10/06/2022 às 18:46
Gemada, o Fusca que virou o companheiro de histórias de Rodrigo de Oliveira (Arquivo pessoal)

Gemada, o Fusca que virou o companheiro de histórias de Rodrigo de Oliveira (Arquivo pessoal)

O sucesso do Fusca na história da indústria automobilística brasileira é inegável. E prova disso é, mais uma vez, a aparição do clássico “besouro” como primeiro colocado no ranking de veículos mais buscados, anunciados e vendidos da plataforma de compra e vendas OLX. Segundo levantamento da empresa, em 2021, o famoso “Fuscão” encabeçou ficou à frente de modelos bastante populares, como Gol, Chevette e Opala.

Dados da pesquisa ainda mostram que, entre as linhas do Fusca produzidas, o modelo fabricado em 1975 é o mais buscado, seguido das versões de 1970 e 1980, respectivamente. O valor médio de negociação entre todos esses está em, aproximadamente, R$ 9,8 MIL.

Em Rio Preto, o diretor da Associação dos Lojistas de Veículos Automotores (Alva), Écio Costa, explica que hoje o modelo não é tão vendido nas lojas de usados, as garagens, o que justifica tantas buscas online.

"Hoje em dia não se encontram mais Fuscas nas lojas, pois é um veículo que deixou de ser fabricado em 1986, retornando depois com o 'Fusca Itamar' de 1993 a 1996. Então, mesmo os modelos mais novos já têm muitos anos de rodagem, o que resulta numa deterioração natural. O comércio dele acontece agora entre colecionadores e amantes do carro, que são encontrados com mais facilidade online. Esses, sim, por cuidarem bem, terão Fuscas em bom estado para negociar", diz.

Segundo Écio, que afirma ter tido mais de dez fuscas durante a vida, o clássico fez e continuará fazendo história. "É um carro que nunca me deu problema para uso pessoal e sempre gerou boas vendas no comércio. Vai continuar sendo buscado por colecionadores, e muitas vezes é passado de geração para geração. Eu sinto que o Fusca gera um prazer em tê-lo", finaliza.

Foi justamente esse prazer que uniu as histórias do guapiaçuense Rodrigo de Oliveira e do Gemada, apelido carinhosamente concedido ao seu Fusca amarelo. "Eu tenho um irmão gêmeo e essa paixão por Fusca começou sendo algo nosso, por isso, quando encontrei esse amarelo, dei o nome de Gemada, que é mistura de gêmeo com a cor dele, que parece gema de ovo", conta.

Segundo Rodrigo, a relação dele com o clássico já é antiga, desde quando era passageiro no Fusca 1967 de seu pai. 'Lembro que morávamos em São Bernardo do Campo e, durante as férias, vínhamos para Rio Preto em família, viajando no 'fusquinha'. Aqueles barulhos do ronco e câmbio que só ele tem, de alguma forma, ficaram marcados na minha cabeça. Eu e meu irmão compramos o primeiro Fusca nosso aos 17 anos e nunca mais deixei de ter", relembra.

Hoje, Rodrigo tem um perfil nas redes sociai, direcionado às experiências dele com o Gemada, onde publica todas as suas participações em eventos de colecionadores e amantes do Fusca, assim como as aventuras e viagens com seu fiel companheiro. "Costumo receber adesivos em todos os lugares que vou com o Gemada, que ficam como lembranças, coladas no vidro e na memória", encerra.

(Colaborou Sérgio Torqueti)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por