SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 16 DE JANEIRO DE 2022
MERCADO IMOBILIÁRIO

Imóveis de até R$ 200 mil dominam vendas na região de Rio Preto

Levantamento do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP) revela preferência por imóveis por apartamentos e casas de dois dormitórios

Da Redação
Publicado em 02/01/2022 às 00:00Atualizado em 30/12/2021 às 16:41
 (Freepik/Banco de Imagens)

(Freepik/Banco de Imagens)

Os imóveis de até R$ 200 mil dominaram as vendas no mercado imobiliário em Rio Preto e região. Considerados investimentos mais populares, esses imóveis representaram 60,7% das vendas em Rio Preto e em outros 15 municípios da região, segundo pesquisa feita pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CreciSP) com 55 imobiliárias.

Além de Rio Preto, a pesquisa foi feita nas cidades de Bady Bassit, Barretos, Bebedouro, Catanduva, Fernandópolis, Ibirá, Jaci, José Bonifácio, Mirassol, Monte Aprazível, Nova Granada, Olímpia, Pindorama, Taquaritinga e Votuporanga. Os dados se referem ao mês de novembro, levantamento mais recente feito pelo entidade, divulgado esta semana.

Segundo a pesquisa, os imóveis de R$ 201 mil a R$ 300 mil representaram 21,43% das vendas na região. Na sequência vêm os imóveis de R$ 301 mil a R$ 400 mil, que respondem por uma fatia de 14,29% das vendas. Os empreendimentos de luxo, acima de R$ 1 milhão, representam 3,57% das negociações no período.

Os números indicam que 44,9% dos imóveis vendidos na região de Rio Preto foram financiados pela Caixa Ecônomica Federal, enquanto 14,29% foram financiados em outros bancos. Além disso, 18,37% dos imóveis foram pagos à vista e outros 22,44% foram negociados diretamente com o proprietário.

O levantamento do CreciSP revela ainda que houve uma queda de 9,93% na venda de imóveis usados em novembro em relação a outubro. "Além das características próprias do mercado imobiliário, como o tempo mais longo para a definição de uma operação de compra de um imóvel, o que provoca alternância de resultados positivos e negativos ao longo dos meses, essa região também sente os efeitos da retração na indústria de alimentos, que é a principal atividade econômica de muitas delas", afirma José Augusto Viana Neto, presidente do CreciSP.

Padrão simples predomina

A pesquisa apontou que os imóveis mais vendidos em novembro foram em bairros de periferia e com padrão construtivo simples. No segmento de casas, as mais vendidas foram as de dois dormitórios (68,18%), com área útil entre 101 e 200 metros quadrados (40,91%) e duas vagas de garagem (50%).

Os apartamentos mais vendidos, por sua vez, são todos de 2 dormitórios, com até 50 metros quadrados de área útil e uma vaga de garagem.

Aluguel também recua

Os contratos de locação também recuaram, fechando novembro com números 2,16% menores que o mês anterior. Os números absolutos de vendas e locações não foram divulgado.

No caso do aluguel, os imóveis de até R$ 1 mil mensais dominaram o mercado imobiliário na região de Rio Preto, representando uma fatia de 57,14% dos contratos assinados em novembro.

O aluguel de residências ficou concentrado nos bairros de periferia, onde estão localizados 52,38% dos apartamentos e casas locados em novembro, sendo 63,16% delas do padrão construtivo médio.

As casas alugadas têm três dormitórios (50%), dois dormitórios (41,67%) e um dormitório (8,33%) e área útil entre 101 e 200 m² (50%), de 51 a 100 m² (33,33%) e até 50 m² (16,67%). As que têm uma vaga de garagem são 50%; as com duas vagas, 41,67%; e as sem vaga, 8,33%.

Todos os apartamentos alugados, segundo a pesquisa CreciSP, têm 2 dormitórios, uma vaga de garagem e área útil entre 51 e 100 m² (50%) e até 50 m² (50%).

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por