SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 18 DE MAIO DE 2022
PANDEMIA

Rio Preto faz racionamento de teste rápido de Covid-19

Com receio zerar estoque, Prefeitura faz exame somente em quem apresenta sintomas

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 17/01/2022 às 23:06Atualizado em 18/01/2022 às 09:26
Pacientes na frente da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Santo Antônio: movimento grande ao longo do dia (Guilherme Baffi 17/1/2022)

Pacientes na frente da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Santo Antônio: movimento grande ao longo do dia (Guilherme Baffi 17/1/2022)

A Prefeitura de Rio Preto vai racionar o uso dos testes rápidos contra Covid. Em uma semana, o estoque de 40 mil caiu para 23 mil testes. A Secretaria Municipal de Saúde definiu que só vai fazer o exame em quem tem sintomas da doença. A alta procura começou em janeiro deste ano, com a chegada da Ômicron à cidade, e tem lotado as unidades de saúde.

Em nota emitida nesta segunda-feira, 17, a pasta afirmou que as medidas são necessárias para “otimizar o atendimento” e “reduzir o tempo de espera” nas unidades de saúde, além de “preservar os estoques de testes”. Segundo a Secretaria, existe, atualmente, uma “dificuldade de reposição verificada no mercado”  e “num futuro próximo poderá faltar (testes) para os pacientes graves que realmente necessitarem”.

As orientações repassadas aos profissionais de saúde incluem: não testar casos assintomáticos; coletar o teste somente com a presença de sinais respiratórios, evidenciado no exame físico (febre aferida no local do atendimento, coriza, tosse, vermelhidão na garganta, alteração respiratória e outros sinais evidentes no atendimento); e não testar pessoas próximas (contatos) de quem foi contaminado.

“A Secretaria da Saúde reafirma que está adotando todas as providências necessárias para garantir o atendimento a todos os pacientes e solicita que aqueles que não apresentem os sintomas indicados não devem procurar as unidades de atendimento”, finaliza a nota.

Mais cedo, o secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, afirmou ao Diário que alguns pacientes que têm procurado o Centro de Atendimento Respiratório, montado na Swift, já não são testados se não apresentam sintomas. “Essas pessoas, nós não estamos fazendo a testagem, porque, se eu fizer, vai faltar teste lá na frente para quem precisa”, disse. Segundo ele, até a última quinta-feira, 13, Rio Preto contava com um estoque de 38 mil testes, número que já baixou diante do movimento das unidades no fim de semana.

Em três dias, o Centro de Atendimento Respiratório atendeu 1.861 pacientes, média de 620 por dia. Desse total, 32,7% (608 pessoas) tiveram teste positivo para a Covid e 43,1% (802) negativo. O restante, 24,2% (451 pessoas), não realizou o teste porque o profissional de saúde definiu que não era necessário.

Borim afirma que parte da grande demanda das pessoas que vão ao Centro Respiratório é composta por pessoas que, muitas vezes, apenas suspeitam ter a doença, sem apresentar qualquer sintoma. Para o secretário, elas deveriam evitar a ida até o local e usar mais o serviço de telemedicina para obter informações.

Nesta segunda-feira, além da Swift, unidades de saúde também registraram alto movimento, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Santo Antônio.

Como funciona

Centro de Atendimento Respiratório na Swift

Local: Avenida Duque de Caxias, em frente ao lago 1 da Represa Municipal

Horário de atendimento: 7h à meia-noite

Todos os dias

Quem pode ir

  • Todas as pessoas com suspeita de coronavírus ou síndromes gripais, exceto crianças

Atendimento exclusivo para moradores de Rio Preto

  • A Saúde aconselha que os pacientes passem primeiro pela telemedicina para chegar encaminhado

Documentos

  • RG, CNH ou carteira de trabalho
  • Carteira de Vacinação
  • Comprovante de endereço

Etapas do atendimento

São dois tipos de atendimentos

  • O primeiro para aqueles que passaram antes pela telemedicina e só serão submetidos ao teste
  • O segundo é para pacientes que não passaram por atendimento antes e
  • necessitam de triagem
  • Cadastro - dados do paciente
  • Triagem - checagem de pressão arterial e medição de temperatura corporal
  • Teste rápido - Resultado sai em 15 minutos
  • Consulta - Médico verifica o quadro de saúde, para ver se é caso de
  • internação ou liberação
  • Medicação – Caso haja necessidade

Resultado

  • Se o teste der positivo, o paciente já recebe o atestado para a quarentena
  • Se for negativo, o paciente recebe o atestado de comparecimento

Critérios para testes

Não testar casos assintomáticos

Coletar só com a presença de sinais respiratórios, evidenciado com o exame físico (febre aferida no local do atendimento, coriza, tosse, vermelhidão na garganta, alteração respiratória e outros sinais evidentes
no atendimento)

Não testar “contatos”, mesmo que o contato seja com pessoa confirmada Covid

Saúde prepara novos leitos

A Secretaria Municipal de Saúde começou nesta segunda-feira,17, o processo de contratação de funcionários para trabalhar no centro de internação de enfermaria, a ser montado com 30 leitos na unidade de saúde do bairro Fraternidade.

“Devemos começar com dez leitos e podemos atingir no Fraternidade 30 leitos. Hoje começa a contratação de pessoas, mas nós não temos uma data para abrir, porque não sabemos quando vamos conseguir contratar todas as pessoas”, diz o secretário de saúde, Aldenis Borim.

O aumento dos leitos vem para atender a elevação das internações na rede pública da cidade. Borim afirma que parte da crescimento da demanda foi criado pela chegada da variante Ômicrom, mas existe ainda influência da Delta, a variante anterior do coronavírus.

“A Ômicrom se mostrou menos agressiva, porém, em Rio Preto, ainda temos muitos casos de Delta. E quem está segurando os efeitos mais graves é a vacina. Antes, a doença levava a morte e lotação hospitalar. Hoje a nossa preocupação é atender os casos leves”, explica o secretário.

No Hospital de Base, o número de pacientes internados saltou de dez na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no dia 9 de janeiro para 28 neste domingo, 15. Na enfermaria, a ocupação saltou de 30 para 69 no mesmo período.

A nova onda do coronavírus tem lotado principalmente a rede municipal de saúde, o que tem causado atrasos no atendimento.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por