SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 22 DE MAIO DE 2022
PARA ANTECIPAR A PROTEÇÃO

Rio Preto libera 'xepa da vacina' para crianças sem comorbidades

Saúde abre cadastro de doses remanescentes para proteger crianças sem doenças crônicas

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 17/01/2022 às 22:50Atualizado em 18/01/2022 às 07:07
A agente de turismo Miriam de Matos, 40 anos, levou o filho Marlon Garcia (Marco Antonio dos Santos 17/1/2022)

A agente de turismo Miriam de Matos, 40 anos, levou o filho Marlon Garcia (Marco Antonio dos Santos 17/1/2022)

A Prefeitura de Rio Preto aplicou 96 doses de vacina nesta segunda-feira, 17, no primeiro dia de imunização de crianças de 5 a 11 anos contra a coronavírus em Rio Preto. O início da campanha era apenas para crianças com comorbidades, como a pequena Sophia Lopes Torres, de 9 anos, a primeira criança a ser vacinada na cidade. Ainda na segunda, a Saúde decidiu utilizar as doses remanescentes para proteger crianças sem comorbidades ou deficiência – a imunização desse grupo estava prevista apenas para a segunda semana de fevereiro.

As doses remanescentes são compostas de frascos do imunizante que, por serem abertos durante a vacinação, precisam ser aplicados no mesmo dia, para não serem perdidas, porque já foram retiradas da refrigeração. Para ter acesso a essas doses, é necessário estar inscrito no cadastro da Prefeitura, pelo link https://www.riopreto.sp.gov.br/vacinacao/form_tb_pessoa/. Quando há doses remanescentes, a Saúde liga para os pais interessados.

As 96 doses foram aplicadas nesta segunda nas Unidades Básicas Saúde (UBS) da Vila Elvira e do Santo Antonio para crianças com comodidades. Personagens infantis estavam nas unidades para conversar com as crianças.

“A procura foi menor que a esperada, mas algumas famílias ainda podem estar procurando o atestado médico ou ainda não estavam sabendo da vacinação. É importante que continuemos a divulgar a campanha e, principalmente, que as famílias dessas crianças procurem seus médicos para pegar o atestado e assim vacinar os filhos, já que o risco de complicações pela Covid em pacientes com comorbidades é maior", afirma a gerente de imunização, Michela Barcelos Dias.

O primeiro dia de vacinação foi acompanhado pelo prefeito em exercício, Orlando Bolçone, pela gerente da Vigilância Epidemiológica, Andreia Negri, e pelo secretário de Saúde, Aldenis Borim. “É fundamental a vacinação das crianças nesta volta às aulas. É uma responsabilidade dos pais que devem incentivar a vacinação. É uma grande emoção, a gente ter chego nesta idade para vacinar”, disse Borim.

A Prefeitura vai vacinar durante esta semana com as 1.930 doses pediátricas de vacinas da Pfizer, entregues no sábado, 15, pela Secretaria de Estado da Saúde. O imunizante foi elaborado de forma especial para aplicação adequada para composição corporal das crianças. O intervalo entre doses é de oito semanas.

Ao todo, devem ser vacinadas em Rio Preto 37 mil crianças, segundo estimativa da Prefeitura, mas Michela adianta que tudo vai depender do cronograma de distribuição de doses, repassadas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria estadual. Por enquanto, não há definição deste cronograma.

Além da vacinação em crianças, continua nas outras unidades de saúde a imunização de adolescentes e adultos. Estão sendo aplicadas a primeira, a segunda e a terceira doses. O endereço das salas de vacina está disponível no Portal da Prefeitura de Rio Preto em http://www.riopreto.sp.gov.br/vacinacovid.

Vacinação

UBS do Santo Antônio é um dos locais em que vai ocorrer vacinação de crianças

Quem será vacinado

Crianças de 5 a 11 anos com comorbidades ou deficiência permanente

Pai, mãe ou responsável legal deve acompanhar a criança

Caso isso não seja possível, é preciso levar um Termo de Assentimento Livre e Esclarecido assinado pelo responsável pela criança

Início

  • Segunda-feira, 17

Horário

  • Das 7h30 às 15h

Locais

Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Elvira

Av. Major Leo Lerro, 558

UBS Santo Antônio

R. Ida Tagliavini Polachini, 580

Lista de comorbidades do Ministério da Saúde

  • Insuficiência cardíaca
  • Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e pericardiopatias
  • Doenças da aorta, grandes vasos e fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas
  • Próteses e implantes cardíacos
  • Talassemia
  • Síndrome de Down
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3
  • Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo
  • Doença cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
  • Anemia falciforme
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática
  • HIV

Outros grupos

  • Vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos e adultos continua em todas as outras unidades de saúde
  • São aplicadas primeira, segunda e terceira doses
  • Horário: 7h30 às 15h

 Números da vacinação em Rio Preto

  • Doses aplicadas: 956.121
  • 1ª dose: 403.723 (86% da população)
  • 2ª dose: 382.708
  • Dose única: 12.411
  • Soma 2ª dose e dose única: 395.119 (84,9% da população)
  • Dose adicional: 157.279 (33% da população)

Doses remanescentes

Pais de crianças de 5 a 11 anos sem comorbidades podem fazer cadastro para receberem doses remanescentes

É preciso informar nome, CPF, telefone, endereço, e-mail e data de nascimento da criança

A equipe de vacinação entrará em contato caso sobrem doses da vacina no final do dia

Fonte: Secretaria de Saúde, Vacinômetro e eportagem

Sophia, 9 anos, foi a primeira

Sophia, 9 anos, com os pais ao receber a dose de vacina

A pequena Sophia Lopes Torres, de 9 anos, que tem síndrome de Down, foi a primeira criança vacinada em Rio Preto.

No posto de saúde da Vila Elvira, o pai de Sophia, Odair Pereira Torres, contou que a família mora no bairro Eldorado e, dos três filhos, apenas Sophia ainda não tinha se vacinado contra o coronavírus. Ele afirma ser favorável à vacinação das crianças.

“Faz tempo que estamos esperando. Só faltava ela em casa. Nós dois, os outros dois filhos (de 14 e 20 anos) já tínhamos nos vacinado. A vacina eu acho que é a solução. Está aí a prova. (A Covid-19) Voltou de novo e pode ver que não está morrendo gente. Na minha opinião, tem que vacinar”, afirma.

A mãe de Sophia, Cristiane Lopes dos Santos, também conta da emoção de poder vacinar a pequena. “É muito gratificante, só faltava ela na família. Não adianta todo mundo ser vacinado e as crianças não. Precisam mais, por eles terem comorbidades”, finaliza.

A agente de turismo Míriam de Matos, 40 anos, levou o filho Marlon Garcia também para se vacinar. Ela diz ser favorável à vacinação para o retorno das crianças ao convívio social.

“Quem passou pela experiência do filho passar por uma parada cardiorrespiratória sabe o quão difícil e como essa experiência é traumática na nossa vida e na vida da criança. O que eu aconselho aos pais: tragam! Eu fui uma das primeiras a chegar, nem dormi essa noite de tanta expectativa, porque eu já tomei três doses e é importante”, conta. (MAS)

Unidades contam com personagens infantis para tentar tranquilizar as crianças durante a vacinação (Guilherme Baffi 17/1/2022)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por