SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2021
PANDEMIA

Variante Delta tem transmissão comunitária em Rio Preto, confirma Saúde

A transmissão comunitária ocorre quando o vírus circula dentro da cidade; variante Delta é considerada a mais transmissível

Millena GrigoletiPublicado em 14/09/2021 às 20:41Atualizado há 15/09/2021 às 09:40
Andreia Negri, gerente da Vigilância Epidemiológica (Reprodução )

Andreia Negri, gerente da Vigilância Epidemiológica (Reprodução )

A variante Delta já tem transmissão comunitária em Rio Preto. A confirmação foi feita por Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica. A transmissão comunitária ocorre quando a pessoa não saiu da cidade e mesmo assim foi contaminada por uma doença contagiosa. Se o paciente for contaminado fora do município, o caso é considerado importado.

Esse rastreamento é feito pela Secretaria de Saúde e pela Rede Corona-Ômica, da qual fazem parte o Ibilce e a Famerp, dentre outras instituições. “Tivemos investigações, tivemos vários casos que não saíram de Rio Preto. É quando pega no local de convívio, com transmissão autóctone. A transmissão comunitária já está acontecendo”, afirma Andreia.

A variante Delta foi identificada em Rio Preto na segunda quinzena de agosto. Ela é considerada mais transmissível e, embora ainda não se saiba qual comportamento vai adotar, até o momento a quantidade de casos não teve elevação na cidade.

A vacinação tem importante papel nesse contexto de redução dos casos. “Até o momento, com o avanço da vacinação, não identificamos mudança no padrão de transmissão da Covid. Mantemos o monitoramento dos casos e internações, que estão com os menores índices desde novembro de 2020.”

A taxa de contágio, conforme o último levantamento, está na casa dos 0,9, considerada aceitável pelos especialistas, pois está abaixo de um – um número acima desse índice significaria avanço da pandemia; menor que ele, aponta para um controle da transmissão. Esse patamar tem sido mantido há cinco semanas.

"De acordo com nossos dados, faz um bom tempo que a gente não tinha uma redução tão importante nos casos, a última vez foi em novembro do ano passado”, diz Andreia. Segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 14, a média móvel de casos leves está em 58 por dia, conforme data em que os pacientes procuram atendimento médico; a média móvel de internações está em uma por dia e a de óbitos em duas por dia.

A Saúde confirmou nesta terça-feira, 14, mais 25 casos de Covid-19 e uma morte pela doença, totalizando, respectivamente, 96.634 e 2.767 desde o início da pandemia. Havia 129 pacientes internados com síndrome respiratória aguda grave (SRAG), sendo que 50 tinham Covid-19 confirmada.

A Saúde trabalha com a possibilidade de que a Delta já seja a variante dominante em Rio Preto – antes, a dominante era a gama, vinda de Manaus, que provocou os maiores picos da pandemia na cidade, com recorde de casos, internações e mortes. Ainda não se sabe ao certo qual o impacto que a delta terá. “Estamos monitorando de perto qualquer mudança no padrão epidemiológico. Outra coisa é o comportamento epidemiológico, se irá impactar ou não em aumento de casos ou gravidade”, explica Andreia.

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por