SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 18 DE AGOSTO DE 2022
OPERAÇÃO

Vara da Infância e Juventude e PM iniciam ação contra 'guerra de gangues' em Rio Preto

Nesta terça, um rapaz foi apreendido com drogas e armas no Parque da Cidadania

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 28/06/2022 às 22:05Atualizado em 29/06/2022 às 09:05
Abordagem da Polícia Militar durante a tarde desta terça (Divulgação/Polícia Militar)

Abordagem da Polícia Militar durante a tarde desta terça (Divulgação/Polícia Militar)

A Vara da Infância e da Juventude de Rio Preto iniciou nesta terça-feira, 28, no bairro Parque da Cidadania, uma série de operações para tentar conter os assassinatos e tentativas de homicídio entre adolescentes na cidade. As ações têm participação também das polícias Militar, Civil, Prefeitura, entidades e igrejas.

A guerra entre bairros envolve principalmente jovens de regiões da periferia de Rio Preto. Em geral, os crimes são cometidos por duplas em moto, que surpreendem os rivais à bala nas ruas. Parte dos assassinatos já foi esclarecida pela Delegacia de Homicídios da Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic) de Rio Preto, inclusive com apreensão de autores. Mas a onda de crimes continua.

Nesta terça-feira, 28, um adolescente de 15 anos, foi apreendido com arma e drogas na zona Norte. Ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes e deve passar por audiência na Vara da Infância e da Juventude.

Os locais visitados nesta primeira ação foram em bairros com maior índice de violência juvenil, com pontos de tráfico e baixos índices econômicos.

Segundo um dos organizadores da operação, o juiz Evandro Pelarin, a ação foi pensada após dois meses de articulação com o promotor de Justiça André Luis de Sousa, a Prefeitura, entidades, igrejas e as polícias Civil e Militar.

“Ações protetivas serão sistemáticas e contínuas para enfrentar as situações graves e de risco envolvendo menores de 18 anos”, explica o juiz.

As abordagens aos jovens serão realizadas durante o dia e também à noite, para combater a evasão escolar em bairros previamente escolhidos pelos coordenadores d a operação, segundo o comandante do 17º Batalhão da Polícia Militar de Rio Preto, coronel Paulo Sérgio Martins.

“A ideia é também oferecer inclusão no mercado de trabalho, emprego para jovens em situação de vulnerabilidade social e tratamento médico para aqueles que são dependentes de entorpecentes”, explica o magistrado.

A secretária de Assistência Social de Rio Preto, Helena Marangoni, afirma que estão sendo elaborados projetos para oferecer bolsa aos jovens de baixa renda, além de emprego, para evitar que os adolescentes sejam cooptados pelo tráfico.

Arma apreendida com um adolescente de 15 anos (Divulgação/Polícia Militar)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por