SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 22 DE OUTUBRO DE 2021
EM RIO PRETO

Semae planeja encerrar o racionamento de água em Rio Preto até o fim de outubro

Com chuvas acima da média em outubro, autarquia diminuiu em duas horas o período de torneiras secas em bairros da cidade

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 13/10/2021 às 21:19Atualizado em 14/10/2021 às 08:38
Máquinas trabalham na retirada dos aguapés no lago 3 da Represa Municipal (Guilherme Baffi 13/10/2021)

Máquinas trabalham na retirada dos aguapés no lago 3 da Represa Municipal (Guilherme Baffi 13/10/2021)

Com a chegada da temporada das chuvas, o Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de Rio Preto (Semae) vai reduzir de oito para seis horas o período de racionamento no fornecimento de água que afeta 100 mil habitantes da cidade. Se o clima ajudar, a previsão é acabar com a restrição em 15 dias, antes do fim de outubro.

Devido à forte estiagem em Rio Preto, a Estação de Tratamento de Água (ETA) diminuiu a captação de água da Represa Municipal de 450 litros por segundo para 300 litros por segundo. Além disso, o sinal mais claro da falta de água foi o vertedouro, que ficou seco por muito tempo.

O racionamento começou em maio deste ano e vigorava das 13h às 20h. Desde esta quarta-feira, o retorno da água foi adiantado para as 18h, ou seja, duas horas a menos de torneiras secas. Ao todo, 15 regiões foram afetadas.

A notícia animou moradores dos bairros afetados, como Fernando Souza, que reside no Parque Celeste. “A gente aqui em casa soube lidar bem com o racionamento, porque tem uma boa caixa d’água, mas tem local que não foi assim. Por outro lado, teve gente lavando calçada mesmo com aquela seca toda de chuva", comenta o morador.

Desde que começou o racionamento de água, nos bairros abastecidos pela ETA Palácio das Águas, foram feitas 82 denúncias de desperdício de água, que resultaram em 66 visitas de orientação. Apenas, 14 notificações foram emitidas e nenhuma multa.

A moradora Neusa Silva, da Vila Diniz, outro bairro atingido pelo racionamento, diz que teve que mudar o horário de fazer o serviço doméstico de casa, como lavar roupa, limpeza da casa e até a hora de preparar alimentação da família. “O mais complicado de enfrentar o racionamento é o final de semana, quando todo mundo está de folga em casa. E neste calor que estava fazendo, mesmo controlando, o consumo aumenta e tinha hora que ficávamos sem água”, diz a moradora.

Fábio Furlan, gerente de Operação Manutenção de Água do Semae, confirma que foram os altos índices de chuva na primeira quinzena de outubro que deram segurança para o Semae decidir pelo aumento do fornecimento. No final de semana do feriado, choveu 54 milímetros (mm) em Rio Preto. No acumulado do mês, já são 92 mm, quando a média prevista para os 30 dias era de 60 mm, índice já ultrapassado, de acordo com pluviômetros da autarquia.

“A gente precisa que continue essa tendência de chuvas. Pelo menos duas ou três vezes por semana. Isso ajuda a repor o nível da Represa Municipal, responsável por abastecimento de parte da cidade”, diz o gerente.

No acumulado do ano, choveu 545 mm. Esse número é bem menor que o acumulado no mesmo período do ano passado, quando choveu 815 mm.

O nível da Represa voltou a subir com as chuvas. O lago 1 está 9 centímetros acima do vertedouro e o lago 3 está 8. “Temos muito a agradecer a população de Rio Preto, dos bairros que passaram pelo racionamento, a colaboração, porque reduziram o consumo em favor de todos e isso ajudou muito”, diz o gerente.

A meteorologista Morgana Almeida, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), afirma que a tendência é ter mais chuva nos próximos dias na região, inclusive mantendo-se acima da média prevista. “A tendencia é de chuva mais regular a partir de agora. Em novembro deve continuar chovendo.”

Racionamento

Início

  • 12/5/2021

Fim

  • Ainda sem data. Semae espera encerrar até o fim do mês

Horário

  • Agora será das 13h às 18h. Antes era das 13h às 20h

 Regiões atingidos

  • Jardim Alto Alegre, Jardim Seyon, Vila Elmaz, Vila Clementina, Boa Vista, Jardim Alto Rio Preto, Vila Diniz, Vila Maceno, Redentora, Jardim Urano, Jardim Tangará, Higienópolis, Mansur Daud, Vila São Judas Tadeu e Chácara Municipal
  • Cerca de cem mil habitantes atingidos
  • Nessas regiões, a economia de água foi de 13%

 Chuvas

Até 13/10 de 2020

  • 815 mm

Até 13/10 de 2021

  • 545 mm

Níveis dos lagos da Represa

Lago 1: 8, 5 cm da mureta ( 9 cm acima do vertedouro)

Lago 3: 96 cm da mureta (8 cm acima do vertedouro)

 Fonte: Semae

Limpeza nos lagos

O Semae colocou equipes para fazer a limpeza das margens da Represa Municipal para retirar lixo acumulado e vegetação, como aguapés, que podem comprometer a qualidade da água captada. A Represa é responsável por cerca de 25% do abastecimento de água em Rio Preto.

“Toda vez que chove ocorre muito arraste de sujeiras para a represa, havendo a necessidade de remoção destes materiais pela margem e depois com o barco de remoção”, diz Fábio Furlan, gerente de Operação Manutenção de Água do Semae.

O trabalho é feito regulamente, sempre após as chuvas, nos três lagos da Represa Municipal. A quantidade de lixo retirado ainda não foi totalizada.

A direção da autarquia pede para os moradores, principalmente os frequentadores da Represa Municipal, colaborarem em não jogar material nas águas nem nas ruas – já que as chuvas levam os entulhos para os lagos. (MAS)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por