SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
TEMPERATURA

Rio Preto registra frio recorde para maio

Termômetros da Cetesb registraram 8,4 graus nesta quarta-feira, 18, a menor marca em Rio Preto para o mês de maio na série histórica, iniciada em 2009; abrigos tiveram aumento na procura por vagas

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 18/05/2022 às 20:17Atualizado em 19/05/2022 às 08:42
Casa de Cirineu, que tem 110 vagas para abrigar moradores de rua e teve aumento na procura (Guilherme Baffi 18/5/2022)

Casa de Cirineu, que tem 110 vagas para abrigar moradores de rua e teve aumento na procura (Guilherme Baffi 18/5/2022)

Rio Preto registrou 8,4 graus nesta quarta-feira, 18, segundo medição da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). É a menor temperatura registrada na cidade no mês de maio em toda a série histórica, iniciada em 2009. Com tanto frio, a Casa de Cirineu, que tem 110 vagas de acolhimento para pessoas em situação de rua, quase lotou: 104 moradores procuraram abrigo na instituição do bairro São Francisco.

Administrada pela Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, a Casa de Cirineu tem convênio com a Prefeitura para abrigar 100 pessoas. Mas devido à grande demanda o número de vagas aumentou no começo de maio.

“Improvisamos com colchões para não deixar ninguém sem abrigo nestes dias frios. O que passa da nossa capacidade, encaminhamos ao Albergue Noturno”, explica o porta-voz da Casa de Cirineu, frei Lucas Caraski.

Por enquanto, a Secretaria Municipal de Assistência Social descarta abrigamento emergencial dos sem-teto no ginásio Antônio Natalone, na Represa Municipal, como ocorreu na frente fria em 2021, porque ainda havia espaço no Albergue Noturno. Das 67 vagas, 42 foram ocupadas na noite de terça-feira, 17.

Além do abrigamento noturno, nos dois locais são oferecidos banho, jantar e café da manhã para todos moradores de rua. Para os dois locais, o convite para o abrigamento é feito por funcionários da Prefeitura, que fazem a abordagem na rua.

Além do abrigamento, integrantes da Pastoral do Povo em Situação de Rua, da Paróquia de Nossa Senhora do Brasil, no São Deocleciano, seguem com a distribuição de cobertores, em locais de maior concentração dos moradores de rua.

“Entregamos 200 cobertores na noite de terça-feira e vamos entregar mais 200 na noite de quarta-feira, inclusive para aqueles que vivem nas imediações da avenida Mirassolândia, na zona Norte de Rio Preto”, explica o padre Ernesto Rosa.

O sacerdote diz que, ao entregar os cobertores, os voluntários da paróquia oferecem carona aos moradores de rua até o Albergue Noturno ou a Casa de Cirineu, mas poucos aceitam o convite.

“Mesmo com tanto frio que está fazendo, a maioria recusa, porque eles ainda acham que aguentam. Eles só mudam de ideia quando a temperatura está muito mais baixa. É uma pena. Para evitar o risco de que morram de frio, a gente vai manter a distribuição de cobertores”, detalha o padre.

No ano passado, a menor temperatura registrada pela Cetesb foi em junho, com 5,8 graus. Nesta quarta, 18, o Aeroporto de Rio Preto registrou 7 graus – a menor temperatura do ano.

Campanha

Na quarta-feira, a Diocese de Rio Preto lançou uma nova campanha de arrecadação de agasalhos, chamada “Aqueça Jesus”. Coordenada pela entidade católica Cáritas, a campanha será feita por meio de caixas de coletas que serão colocadas nas 71 paróquias da Diocese, para que os fiéis contribuam com roupas a serem entregues para pessoas em situação de rua e famílias carentes.

Além dos católicos, igrejas evangélicas e entidades espíritas também fazem distribuição de cobertores e de alimentos, por meio de marmitas, sempre no começo das noites frias.

Clique aqui para ver gráfico de temperatura

Efeitos do ciclone

A sensação de frio está sendo mais fortes nos últimos dias por conta dos efeitos do ciclone Yakecan, que mesmo estando na costa do Rio Grande do Sul, provoca aumento da velocidade do vento em Rio Preto, diz o especialista em clima José Mário Ferreira de Andrade.

“Na nossa região, a velocidade média anual dos ventos é de 7,9 quilômetros por hora (km/h). Nesta quarta-feira, os ventos estão, na média 3 vezes mais velozes que o normal. A alta velocidade média dos ventos provoca a sensação de frio congelante”, diz.

Na quarta-feira, as temperaturas mais baixas na região foram registradas em Barretos (3,7 graus), Santa Salete (4,8 graus) e Dirce Reis (5,0 graus).

Além da baixa temperatura média das mínimas (6,5 graus na região), a média das máximas também foi muito baixa (18,7 graus), indicando que os dois milhões de moradores que residem no Noroeste paulista enfrentam um frio persistente e duradouro, afirma José Mario.

A partir do domingo, 22, as temperaturas se elevam gradualmente na região. Não há previsão de chuvas para os próximos 14 dias. (MAS)

CLIMA

Registros de temperatura na região

  • Aparecida d’Oeste: 7,2°
  • Barretos: 3,7°
  • Cardoso: 5,3°
  • Catanduva: 6,6°
  • Dirce Reis: 5°
  • Fernandópolis: 6,7°
  • Ilha Solteira: 6,5°
  • Indiaporã: 5,6°
  • Jales: 5,3°
  • Mirassol: 6,3°
  • Monte Azul Paulista: 5,8°
  • Nova Granada: 5,6°
  • Santa Salete: 4,8°
  • Rio Preto (aeroporto): 7°
  • Rio Preto (Eldorado): 8,4°
  • Votuporanga: 5,9°

Fonte: Ciiagro, Redemet, Inmet, Cetesb, Unesp

Entrega de cobertores no Centro de Rio Preto (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por