SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 05 DE JULHO DE 2022
CRIME

'Prejuízo de milhões', diz dona de joalheria assaltada na Redentora, em Rio Preto

Loja do bairro Redentora foi invadida por criminosos na madrugada de domingo, 15

Joseane Teixeira
Publicado em 16/05/2022 às 20:50Atualizado em 17/05/2022 às 10:15
Prédio da Cristovam Joalheria, na Redentora, que foi alvo de bandidos neste domingo, 15 (Johnny Torres 16/5/2022)

Prédio da Cristovam Joalheria, na Redentora, que foi alvo de bandidos neste domingo, 15 (Johnny Torres 16/5/2022)

“Considerava a unidade mais segura, por isso guardava as peças mais caras lá”. A fala é da empresária Mara Cristovam, dona da Cristovam Joalheria, que amargou prejuízo na cifra de milhões após ter a loja do bairro Redentora invadida por criminosos na madrugada deste domingo, 15.

Peças em ouro e diamantes, além de relógios de marcas caras como Cartier, Bvlgari, Monsieur e Breitling, não foram poupadas pela quadrilha. Entre os objetos levados está uma coroa cravejada de diamantes, alugada para noivas da alta sociedade. A empresária ainda contabilizava o valor total do furto, mas afirmou à reportagem que foi um “prejuízo de milhões”.

O sentimento é de desolação, disse a empresária. O contrato de seguro contra roubos e furtos venceu na pandemia e não foi renovado pela família, que mantém outra unidade da joalheria no shopping Iguatemi.

O caso é investigado pelo delegado Wander Solgon, da Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic), que acredita na participação de uma organização criminosa especializada em joalherias.

“Pelas características da ação, parece um crime planejado em muitos detalhes, dificilmente teremos bandidos com esse grau de refinamento em Rio Preto”, disse.

A participação da Polícia Técnica de São Paulo comprova a relevância da ocorrência. Nesta segunda-feira, 16, uma equipe se deslocou da Capital para coletar possíveis impressões digitais no endereço. A loja permaneceu interditada durante todo o dia.

Mara disse que os bandidos entraram pelo telhado após desativarem o sistema de alarmes. Além das peças preciosas, os criminosos levaram também o aparelho DVR que armazenava as imagens captadas por câmeras instaladas na joalheria.

Solgon confirmou a informação. “Estamos em busca de câmeras na região que possam ajudar na identificação dos envolvidos”.

As joias estavam expostas em mostruários e também dentro de um cofre, que foi violado.

De acordo com o boletim de ocorrência, por volta das 8h30 de domingo, 15, o também proprietário Valdir Cristovam foi avisado pela central de monitoramento remoto sobre uma atividade suspeita na loja. Ele seguiu para o local e encontrou a porta de entrada arrombada.

“Acho difícil recuperarmos as mercadorias. Paguei seguro a vida inteira, são 21 anos de história”, lamentou a comerciante. Ela disse que está colaborando com a Polícia Civil, mas que ainda não concluiu o relatório das peças que foram levadas.

Joalherias na mira

Esse é o segundo grande crime contra joalherias de Rio Preto neste ano. Em janeiro, bandidos fortemente armados invadiram a Costantini, no Iguatemi, renderam funcionários e fugiram com joias. Segundo a investigação da Polícia Civil, a quadrilha levou R$ 1,7 milhão em joias. Seis criminosos foram presos.

FURTO

Peças levadas

  • Relógios de marcas caras como Cartier, Bvlgari, Monsieur e Breitling
  • Anéis
  • Brincos
  • Colares
  • Coroa cravejada de diamantes

Valores e quantidade de peças ainda são contabilizados pela empresa

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por