SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
DE BEM COM O ESPELHO E O BOLSO

Famerp realiza cirurgias estéticas a preço de custo

Centro de Estudo em Cirurgia Plástica (Ceplástica) da Famerp realiza cirurgias estéticas a preço de custo; principal critério para participar do programa é o financeiro. Fila de espera chega a setembro

Joseane Teixeira
Publicado em 14/05/2022 às 18:35Atualizado em 14/05/2022 às 19:27
Antônio Roberto Bozola: no programa, é cobrado o mínimo possível (Divulgação/Alex Pelicer)

Antônio Roberto Bozola: no programa, é cobrado o mínimo possível (Divulgação/Alex Pelicer)

Embora o Brasil seja o país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo segundo pesquisa realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgias Plásticas (Isaps), o ideal de beleza, ou de melhoria de uma parte do corpo que incomoda e interfere na autoestima, perpassa a questão financeira.

No país, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente procedimentos considerados reparadores como lábio leporino, redução do estômago, correção das orelhas de abano e queimaduras, que ocasionam deformações.

No entanto, quando a questão é puramente estética, a alternativa é procurar clínicas particulares e desembolsar valores que giram entre R$ 7 mil e R$ 37 mil para corrigir uma imperfeição ou amenizar os sinais da idade.

Pesquisa realizada pela reportagem, com participação de 147 internautas, apontou que 92 deles, 63% do total, fariam cirurgia plástica se tivessem dinheiro.

Pouca gente sabe, mas há 12 anos o Centro de Estudo em Cirurgia Plástica (Ceplástica) da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) realiza cirurgias estéticas a preço de custo. Procedimentos como implante de silicone, plástica de nariz, lipoaspiração e rejuvenescimento facial integram a gama de serviços oferecidos no Hospital de Base.

Chefe do setor de Cirurgia Plástica do HB e orientador da residência médica da Famerp, o cirurgião Antônio Roberto Bozola diz que são realizadas de 12 a 15 intervenções por mês e a fila de espera entre os pacientes já aprovados chega a setembro.

Critério social

“O poder aquisitivo é baixo, mas o sonho é alto. Trabalhamos para a promoção da saúde, ao passo que devolvemos a autoestima”, define o cirurgião Bozola sobre o programa Ceplástica, cujo critério primordial é a comprovação de hipossuficiência, ou seja, que o candidato não tem condições financeiras para bancar uma cirurgia plástica em clínica particular.

“Não há uma renda máxima estabelecida, mas investigamos os ganhos, o padrão de vida e o procedimento requerido para saber se está fora da realidade econômica da pessoa. O segundo passo é avaliar o que o paciente deseja modificar. Se o descontentamento é legítimo e a cirurgia vai transformar a vida dele, o inserimos no programa. Mas há pedidos rejeitados porque a insatisfação é mais psicológica do que estética”, explica.

Antes da transformação, o paciente realiza uma bateria de exames que inclui hemograma e eletrocardiograma, além de consultas prévias com o profissional que irá realizar a operação.

O pagamento é feito previamente, e à vista. O custo depende do procedimento mas, em regra, a cobrança envolve o valor da anestesia e de uma taxa destinada à manutenção do Ceplástica. “Se a pessoa quer implantar silicone, ela compra o produto diretamente com o fornecedor. No programa, cobramos o mínimo possível. Não temos margem de lucro. Em média, o valor representa 40% do que seria praticado em uma clínica particular”, diz Bozola.

As cirurgias são realizadas por médicos formados, que cursam o quinto e último ano de residência em Cirurgia Plástica. “É uma via de mão dupla. Oferecemos um serviço à sociedade e, em contrapartida, promovemos o aprimoramento necessário aos nossos residentes. Todos os procedimentos são feitos sob supervisão de um professor orientador”.

Realização de um sonho

“Era um complexo que eu tinha desde os 15 anos, que me causava vergonha e interferia na minha vida social”. A assistente de pesquisa Fernanda Martins, 36, é uma das pacientes que realizou o sonho da cirurgia plástica por meio do serviço da Famerp.

Em 2017 ela foi submetida a uma mastopexia, procedimento indicado para reverter o caimento dos seios e reposicionamento da pele flácida. Há anos Fernanda tentava guardar dinheiro para corrigir o problema, mas nunca conseguia o valor total. “Era uma meta de vida que só seria possível com cirurgia. Se a barriga é grande, você pode malhar, adequar a alimentação e chegar a uma estética ideal. Mas para os seios, não há opção”.

Fernanda foi aprovada pelo Ceplástica e, além da correção, implantou próteses de silicone. “Paguei menos da metade do valor orçado em uma clínica particular. Hoje tenho liberdade com o meu corpo e pude, enfim, usar roupas decotadas sem sentir vergonha”.

Problema semelhante é enfrentado pelo auxiliar administrativo Danilo Silva, 32, cuja escolha das camisetas leva em consideração o tipo de tecido e a cor. Por conta disso, gostaria de fazer uma plástica. “Para não evidenciar as mamas. O constrangimento é tamanho que não fico sem blusa nem dentro de casa, quanto mais na praia ou em um clube”.

O cirurgião Antônio Bozola diz que a lista de espera é majoritariamente feminina. “As mulheres, desde crianças, são condicionadas ao cuidado com a beleza. Elas sofrem uma exigência social absurda sobre a imagem. Já os homens são machistas, especialmente no interior do estado. Parece que homem não precisa ser bonito”, brinca.

O especialista diz que, entre os homens, o procedimento mais procurado é a rinoplastia (nariz) e tratamento das rugas.

A revista GQ Brasil divulgou pesquisa do Instituto Ideia com 663 homens. O relatório apontou que apenas 3% dos entrevistados se consideram feios; 47% disseram que são bonitos e 44% dentro da média. Apenas 6% não responderam. (JT)

Cirurgias plásticas

Lista de cirurgias plásticas reparadoras realizadas pelo SUS:

  • Reconstituição de lábio leporino;
  • Cirurgia de mudança de sexo;
  • Abdominoplastia (correção da flacidez e redução da pele após perda de peso);
  • Vasectomia e laqueadura;
  • Gastroplastia (redução do estômago);
  • Otoplastia (correção de orelhas de abano);
  • Gigantomastia (redução das mamas);
  • Ginecomastia (crescimento anormal das mamas em homens);
  • Fendaplaslatina (correção de pálpebras enrugadas nos olhos);
  • Catarata;
  • Reconstrução das mamas após retirada de câncer;
  • Deficiências ou deformidades no rosto;
  • Queimaduras que levaram a deformações.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

 Lista de cirurgias plásticas estéticas realizadas pelo Ceplástica

  • Implante de silicone
  • Lipoaspiração
  • Abdominoplastia
  • Rinoplastia
  • Rejuvenescimento facial
  • Remodelação das mamas

Fonte: Famerp

 Tabela de preços dos procedimentos mais procurados em clínicas particulares

Abdominoplastia: de R$ 12.000,00 a R$ 18.000,00;

Lipoaspiração: de R$ 6.000,00 a R$ 22.000,00, pois depende do local que será feita;

Mamoplastia: de R$ 9.000,00 a R$ 19.000,00, dependendo se for feita mastopexia e/ou colocação de prótese;

Mentoplastia: de R$ 8.000,00 a R$ 17.000,00;

Otoplastia: de R$ 8.000,00 a R$ 12.000,00;

Rinoplastia: de R$ 9.000,00 a R$ 15.000,00;

Ritidoplastia: de R$ 18.000,00 a R$ 37.000,00, sendo o mini lifting, que é uma versão reduzida, pode custar de R$ 7.000,00 a R$ 11.000,00.

Fonte: Zelas Saúde, operadora de seguro médico

Serviço

Para se inscrever no programa social de cirurgias plásticas o interessado deve enviar e-mail para o endereço ceplastica@hotmail.com ou comparecer pessoalmente na sede da Famerp, localizada na avenida Brigadeiro Faria Lima nº 5416, na Vila São Pedro.

Fernanda Martins conseguiu realizar o sonho da cirurgia plástica (Divulgação)

Danilo Silva tem vontade de fazer plástica: constrangimento (Divulgação)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por