SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 14 DE AGOSTO DE 2022
A FORÇA DA SAÚDE

Fama de excelência atrai estudantes dos quatro pontos do Brasil para estudar em Rio Preto

Um terço dos universitário da cidade cursa a área de saúde. Medicina, psicologia e enfermagem são os mais procurados

Rone Carvalho
Publicado em 04/07/2022 às 22:06Atualizado em 05/07/2022 às 11:28
Lorenna Lara, estudante de medicina que veio de Itaguara (MG) para Rio Preto (Arquivo Pessoal)

Lorenna Lara, estudante de medicina que veio de Itaguara (MG) para Rio Preto (Arquivo Pessoal)

De “oxente” a “uai”. Diversas expressões populares dos quatro cantos do Brasil são cada vez mais frequentes nos consultórios e clínicas rio-pretenses. Isso porque a excelência dos hospitais e as diversas opções de atuação na saúde de Rio Preto frequentemente atraem estudantes de todo o País para os cursos de graduação da cidade. E eles acabam ficando na cidade.

Engana-se quem pensa que apenas estudantes de medicina estão vindo para Rio Preto em busca de qualificação profissional. De Rondônia, Elisa Afonso do Prado, de 19 anos, escolheu a cidade para cursar odontologia. Mesmo a distância de dois mil quilômetros não desanimou a jovem de realizar o sonho de se tornar dentista.

“A qualidade de vida e a tranquilidade de Rio Preto pesaram na minha escolha de vir estudar na cidade. A única coisa que pesa é a saudade da família, mas a videochamada ajuda. O importante é ter o apoio deles”, diz a aluna do segundo ano de odontologia da Unirp.

A paraense Nathália do Nascimento Brasil escolheu Rio Preto para tornar-se médica. “Eu não conhecia a Famerp, mas durante a graduação pude perceber em quantas áreas a instituição é referência e que atrai pessoas de todas as regiões do País em busca de tratamentos que não são possíveis de serem feitos nas cidades de origem, como transplantes, cirurgias cardíacas, cirurgias pediátricas, dentre outras áreas”, destacou.

Paraense Nathália do Nascimento Brasil escolheu Rio Preto para tornar-se médica (Arquivo Pessoal)

Segundo o professor doutor Edmo Atique Gabriel, coordenador do curso de Medicina da Unilago, histórias como de Elisa e Nathália estão sendo mais frequentes devido ao avanço do setor de saúde rio-pretense nos últimos anos. “Rio Preto sempre está nas primeiras colocações de indicadores de qualidade de vida e sendo destaque na área médica, isso acaba por dar segurança tanto para os estudantes como aos pais”, apontou.

Outro fator que acaba por atrair muitos candidatos para a cidade é o mercado de trabalho. Com o crescimento da medicina local, também aumenta a oferta de serviço, o que faz com que muitos estudantes também venham pra cá para se especializar em suas respectivas áreas de atuação.

“A Famerp utiliza a tríade ensino, pesquisa e extensão, realizando diversos atendimentos de qualidade de forma gratuita com os seus programas de extensão e estágios pelo SUS. A importante parceria com a Fundação Faculdade Regional de Medicina (Funfarme), responsável pela administração do Hospital de Base, que atende a população da região e também acolhe os estudantes da Famerp, proporciona uma ponte entre a teoria aprendida em sala de aula e a prática no leito dos hospitais”, disse Francisco de Assis Cury, diretor geral da Famerp.

Em Rio Preto, três faculdades oferecem o curso de medicina. Ao todo, dados do Censo da Educação Superior 2020 apontam que medicina é o segundo curso presencial mais procurado do município, atrás apenas de direito. Na cidade, são 2.123 futuros médicos matriculados na Faceres, na Famerp e na Unilago.

“A história e o hospital-escola da Famerp pesaram muito na minha decisão de vir para Rio Preto. E não me arrependo. É uma ótima cidade para morar, inclusive com o acolhimento dos estudantes. Existe a tradição dos veteranos acolherem na casa deles os novatos. Isso faz muito diferença para quem não conhece a cidade”, falou Lorenna Lara, estudante de medicina que veio de Itaguara (MG).

Quem também desembarcou na cidade em busca do jaleco foi Marina Gabriela da Silva Lins. “Eu não conhecia a cidade. Fiz cursinho em São Paulo, e meus professores falavam muito bem da Famerp, por isso resolvi fazer o vestibular. E me surpreendi positivamente”, diz a amapaense.

Marina Gabriela da Silva Lins, do Amapá, faz medicina na Famerp: “Fiz cursinho em São Paulo, mas meus professores falavam muito bem da Famerp” (Arquivo Pessoal)

Hospital-escola

Os hospitais-escolas das instituições de ensino superior também são responsáveis por atrair boa parte dos estudantes para cursar medicina em Rio Preto. Na Faceres, por exemplo, os alunos contam com a estrutura do Hospital João Paulo 2°, Hospital-Lar Nossa Senhora das Graças, Centro de Medicina de Família Rubens Thevenard (Unidade do Santo Antônio) e UPA Norte. Além disso, os estudantes também realizam o internato (prática médica) em outras instituições, como o Hospital Carlos Malzoni, de Matão, na Santa Casa de São Carlos e no Hospital Mãe do Divino Amor de Mirassol.

Na Famerp, para o internato, o hospital-escola advém da parceria com o Hospital de Base (HB) e o Hospital da Criança e Maternidade (HCM). Já a Unilago está construindo um hospital-escola com previsão de inauguração parcial no ano que vem. “No momento, para o internato temos várias parcerias, entre elas, com o Hospital Beneficência Portuguesa, mas já estamos construindo um hospital-escola próprio que vai atender, principalmente, pacientes do Sistema Único de Saúde”, explicou o professor doutor Edmo Atique Gabriel, coordenador do curso de Medicina da Unilago.

SAÚDE LIDERA ESCOLHA

Um em cada três alunos de Rio Preto está matriculado em cursos da área da saúde. Medicina, psicologia e enfermagem estão no pódio dos mais procurados pelos estudantes. Juntos, os cursos de saúde da cidade somam 11.288 matrículas. Ao todo, segundo dados do Censo da Educação Superior 2020, a cidade contabiliza 31.801 alunos cursando algum tipo de graduação.

Também estão na lista dos cursos de saúde mais procurados: educação física, odontologia, fisioterapia, biomedicina e farmácia. Além disso, o levantamento feito pelo Diário aponta que sete em cada dez alunos (70%) dos cursos de saúde da cidade são mulheres.

De olho nesta alta procura, instituições de ensino superior de Rio Preto planejam investimentos e a implantação de novos cursos de saúde na cidade. Francisco de Assis Cury, diretor geral da Famerp, diz que, além dos três cursos já oferecidos (medicina, enfermagem e psicologia), a instituição está com um projeto em andamento para a implantação das graduações em fisioterapia e nutrição.

“O sonho é tornar a Famerp a primeira universidade de saúde do País. Já possuímos três cursos e temos em andamento a criação do curso de fisioterapia e nutrição e um sonho ainda mais audacioso de termos os cursos de odontologia e biomedicina no futuro”, apontou Francisco.

Já a Unilago, há cinco anos, resolveu investir em ampliar seu campo de pesquisas científicas entre os estudantes. “Também trouxemos algumas temáticas novas para aulas, como a disciplina de gestão em saúde, ensinamos para os alunos noção de clínicas e hospitais, e a disciplina de práticas integrativas, que são terapias e métodos regulamentados pelo conselho médico, como medicina chinesa e terapias alternativas, como acupuntura”, falou o professor doutor Edmo Atique Gabriel, coordenador do curso de Medicina da Unilago.

Mercado imobiliário

Além de movimentar o setor educacional da cidade, esses cursos também giram a economia do mercado imobiliário. Isso porque ao deixar a cidade natal, a maioria dos estudantes procura um imóvel para chamar de seu durante os estudos. É o caso de Elisa Prado, por exemplo, que ao deixar Rondônia para estudar em Rio Preto alugou uma casa perto da faculdade. “Tem toda uma estrutura de mudança, lembro que vim com meus pais procurar apartamento”.

Essa demanda de locação por parte dos universitários tem foco nos bairros onde há maior concentração de instituições de ensino, como a Boa Vista, Jardim Nazareth, Jardim Novo Aeroporto, Jardim Francisco Fernandes, Alto Rio Preto, Vila São Manoel e Vila São Pedro.

Cursos de saúde mais procurados em Rio Preto

MEDICINA – 2.123 alunos

PSICOLOGIA – 1.613 alunos

ENFERMAGEM – 1.411 alunos

EDUCAÇÃO FÍSICA – 999 alunos

ODONTOLOGIA – 798 alunos

FISIOTERAPIA – 772 alunos

BIOMEDICINA – 719 alunos

FARMÁCIA – 673 alunos

NUTRIÇÃO – 597 alunos

ESTÉTICA E COSMÉTICA – 248 alunos

RADIOLOGIA – 125 alunos

GESTÃO HOSPITALAR – 67 alunos 

PODOLOGIA – 42 alunos

MEDICINA VETERINÁRIA* – 1.101 alunos

  • 70% mulheres
  • 30% homens

Total: 11.288 alunos em cursos de saúde

*Pertence ao campo das Ciências Agrárias, segundo a Árvore do Conhecimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), mas a profissão de médico-veterinário também é considerada integrante da área da Saúde pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Fonte: Censo da Educação Superior

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por