SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | TERÇA-FEIRA, 26 DE OUTUBRO DE 2021
TRÂNSITO

Avenida é interditada em Rio Preto, mas obra ainda não tem data para começar

Secretaria de Obras iniciou estudo para realizar reparos no local, onde técnicos detectaram infiltração de água proveniente de um desvio de curso do córrego Piedade

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 17/09/2021 às 21:46Atualizado em 20/09/2021 às 10:57
Guardas municipais durante a interdição no trecho com desnível: uma faixa foi interditada (Guilherme Baffi 17/9/2021)

Guardas municipais durante a interdição no trecho com desnível: uma faixa foi interditada (Guilherme Baffi 17/9/2021)

A Prefeitura de Rio Preto interditou nesta sexta-feira, 17, o trecho em desnível da avenida Ernani Pires Domingues, onde tem ocorrido uma série de acidentes desde 2020. Mas não tem sequer prazo para começar a obra para consertar o pavimento, ação necessária para acabar com o risco na região do bairro São Jorge.

O mais grave acidente ocorreu na manhã de quinta-feira, dia 16, quando o empresário Guilherme Sousa Prado, 22 anos, sofreu politraumatismo no fêmur e fratura na tíbia, ambos do lado esquerdo, ao cair de moto.

Na manhã de sexta-feira, 17, a Secretaria Municipal de Trânsito colocou guardas municipais e cones para interditar uma das faixas da avenida. Antes do acidente, o titular da pasta, Amaury Hernandes, tinha determinado apenas nova sinalização e redução da velocidade máxima do trecho, de 60 km/h para 40 km/h. Na quinta, após o acidente e reunião do Trânsito com a Secretaria de Obras ficou definida a interdição.

Em nota, a Prefeitura havia informado que a Secretaria de Obras já havia iniciado estudo para realizar reparos no local, “onde os técnicos detectaram infiltração de água proveniente de um desvio de curso do córrego Piedade”. Nesta sexta, porém, questionada duas vezes por e-mail pelo Diário, a pasta não informou quando o reparo vai começar de fato, nem quando deve ser finalizado. Em notas, informou apenas que “a interdição continua até que o estudo técnico, que está sendo feito pela secretaria de Obras, seja concluído” e que “não há como estimar um prazo preciso, ainda”. A reportagem também solicitou entrevista com o secretário Israel Cestari, mas não foi atendida.

A falta de uma definição sobre o início da obra irritou Tadeu Mariotto Prado, 37 anos, irmão do motociclista acidentado. “Fiquei sabendo que muitos outros acidentes aconteceram naquele trecho. Se tivesse feito alguma coisa antes, com certeza meu irmão não estaria passando por tanta dor. Tem que começar já para evitar que mais gente se machuque”, diz o empresário.

Funcionário de uma loja próxima do trecho, Anderson Guerreiro também acha que a Prefeitura deveria iniciar rápido o conserto do trecho. “A interdição e a presença da Guarda fez com que os motoristas passem mais devagar, mas o melhor é a Prefeitura iniciar logo o conserto”, comenta o vendedor.

O geólogo Carlos Eduardo Pacheco Cardoso reforça que a Prefeitura tem que já iniciar a perfuração no solo, durante todo aquele trecho, para descobrir o que está provocando a irregularidade no asfalto. “Interditar só não basta, porque, com o passar do tempo, o problema pode apenas se agravar. A avenida é rota de veículos pesados, como caminhões de carga e o custo do conserto vai ficar ainda mais elevado”, comenta o geólogo.

Motociclista internado

Com politraumatismo no fêmur e fratura na tíbia, ambos do lado esquerdo, o empresário Guilherme Sousa Prado, 22 anos, vai ter que passar por mais duas cirurgias reparadoras, diz a mãe dele, Ana Nery, que acompanha o filho na internação na Santa Casa de Rio Preto.

“Nesta sexta-feira, meu filho está sentindo muita dor. Inclusive no pescoço. Deve ser por causa do impacto forte que ele teve. Ele está sofrendo muito”, diz a mãe.

Segundo Ana, Guilherme disse que não costumava passar por aquele trecho da avenida Ernani Pires Domingues, mas fez este caminho ao retornar de uma viagem de Mirassol. Ele seguia para a empresa da família no bairro Duas Vendas.

“Meu filho diz que foi tudo rápido. Apenas lembra de que ao passar pelo desnível saiu voando da moto e foi jogado no chão. A gente vai aguardar liberação médica para transferir ele para um hospital de Rio Claro, onde vai passar por uma cirurgia”, diz a mãe. Por enquanto, ele não tem previsão de alta médica. (MAS)

Desnível no asfalto: trecho tem provocado acidentes desde o ano passado (Guilherme Baffi 17/9/2021)
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por