SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 03 DE DEZEMBRO DE 2021
CRISE HÍDRICA

Baixo volume de água ameaça usinas hidrelétricas da região de Rio Preto

Atualmente, o pior nível é o da hidrelétrica de Ilha Solteira, que opera com apenas 6,95% da capacidade

Rone Carvalho
Publicado em 10/09/2021 às 21:25Atualizado em 11/09/2021 às 11:02
Usina hidrelétrica de Ilha Solteira opera com menor capacidade do Brasil (Divulgação/ CTG)

Usina hidrelétrica de Ilha Solteira opera com menor capacidade do Brasil (Divulgação/ CTG)

As quatro usinas hidrelétricas da região de Rio Preto estão se aproximando de atingir o nível mínimo necessário para geração de energia elétrica. Atualmente, o pior nível é o da hidrelétrica de Ilha Solteira, que opera com apenas 6,95% da capacidade, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrica (ONS). Nível mais baixo dos últimos seis anos.

Segundo o ONS, a usina que é a maior hidrelétrica do Estado de São Paulo operava nesta quinta-feira, dia 9, com a menor capacidade do Brasil. Outras usinas hidrelétricas do Noroeste Paulista também operam com baixa capacidade. É o caso da hidrelétrica de Água Vermelha, entre Ouroeste e Iturama (MG), que opera com 13,81% do seu volume útil. Já a hidrelétrica de Marimbondo, entre Icém e Fronteira (MG), operava na última quinta-feira com 10,07% do volume útil.

Para se ter uma ideia, para funcionar adequadamente, é necessário um mínimo de 10% de água nos reservatórios das hidrelétricas. “O que acontece é que cada vez que o nível vai ab aixando, as turbinas acabam por ‘engolir’ mais água. Então temos duas coisas negativas com esse volume baixo, uma é a pouca energia estocada e a segunda é que para produzir energia é necessário mais água”, explicou o vice-presidente da Academia Nacional de Engenharia (ANE), Flavio Miguez de Me llo .

Apesar do baixo nível dos reservatórios, atualmente, o governo federal descarta o risco de racionamento de energia elétrica no ano que vem. Contudo, uma pesquisa da consultoria especializada PSR Energy apontou que com a crise hídrica já existe um risco de racionamento de energia entre 2,7% a 6,8% no ano que vem no Brasil. “Esse estudo também mostra que existe o risco de blecautes localizados, ou seja, cortes de energia em regiões restritas do Brasil, caso os reservatórios não volte m a subir”, apontou Flávio.

Atualmente, 60% da energia produzida no país é proveniente de hidrelétricas que dependem diretamente da água para o seu funcionamento. O restante da energia vem de usinas termelétricas (25%), eólicas (12%), nuclear (3%) e solar (1%).

Por meio de nota, a CTG Brasil, responsável pela operação da hidrelétrica de Ilha Solteira, disse que nesta sexta-feira, dia 10, seguia operando normalmente, dentro do nível mínimo estabelecido pelos órgãos reguladores.

"A Usina de Ilha Solteira é uma hidrelétrica projetada para operar até o nível 314,00 m, no entanto, com o objetivo de manter-se a operação do Canal Pereira Barreto sem restrições, a sua cota mínima de operação pode chegar até 323,00 m. Nesta sexta-feira, dia 10, segue operando normalmente, e o nível do reservatório da Usina encontrava-se na cota de 323,32 m, ou seja, dentro do nível mínimo estabelecido pelos órgãos reguladores, e correspondente a 5,8% do volume armazenado se consideramos a operação no nível mínimo de 323,00 m”, informou a nota.

DADOS

Usinas da região

Ilha Solteira

Volume útil: 6,95%

 Água Vermelha, em Ouroeste

Volume útil: 13,81%

 Marimbondo, em Icém

Volume útil: 10,07%

 Três Irmãos, em Pereira Barreto

Volume útil: 9,65%

 Subsistema Sudeste / Centro-Oeste

Volume útil: 19,33%

 Fonte: Operador Nacional do Sistema (ONS)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por