SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 22 DE MAIO DE 2022
MERCADO IMOBILIÁRIO

Região Metropolitana incentiva busca por casas nas cidades vizinhas de Rio Preto

Empresas investem em projetos residenciais em cidades no entorno de Rio Preto

Núcleo Digital
Publicado em 12/11/2021 às 18:11Atualizado em 12/11/2021 às 18:16
Condomínio fechado Setlife, localizado em Mirassol, tem sido opção de pessoas que resolveram buscar um lugar com boa estrutura e custo menor (Divulgação)

Condomínio fechado Setlife, localizado em Mirassol, tem sido opção de pessoas que resolveram buscar um lugar com boa estrutura e custo menor (Divulgação)

A busca por residências em localidades mais distantes do centro de Rio Preto tem sido alvo de novos compradores. Essa movimentação é observada pelo mercado imobiliário há um certo tempo, mas, desde a criação da Região Metropolitana (RM), a procura por residências em áreas fora do centro e nas cidades vizinhas do município-sede tem aumentado ainda mais. As motivações vão desde a busca por calmaria, segurança, valores mais acessíveis e até a maior praticidade em relação ao deslocamento, graças aos investimentos em infraestrutura na região.

O diretor executivo do Grupo Impper, Bruno Malvezi, diz que não há dúvidas de que os vários projetos de infraestrutura por toda a extensão da RM devem atrair a atenção investidores e novos projetos da iniciativa privada nestas áreas. “Nós do segmento imobiliário estamos apostando e já sentindo um movimento para a ocupação e aumento de demanda nas cidades, principalmente de Bady Bassitt, Mirassol e Guapiaçu, que são muito próximas de Rio Preto. Acreditamos que nos próximos dois ou três anos elas estarão ainda maiores e vão se desenvolver ainda mais”.

Segundo Bruno, as principais razões para essa migração é resultado de um grande projeto de melhoramento da estrutura urbana e serviços de cidades que eram totalmente dependentes de Rio Preto, mas que, hoje, contam com uma estrutura melhor, vias mais qualificadas e sistema transporte melhorado, fazendo com que se desenvolvam economicamente de maneira menos dependente do grande centro rio-pretense, mas que, ainda sim, oferecem praticidade de deslocamento até a área.

Outro facilitador para o aumento da demanda residencial nas cidades vizinhas é a mudança no cenário da mercado de trabalho. A permanência do home office em algumas empresas consolidou a possibilidade de adotar um estilo de vida mais calmo em locais mais próximos da natureza e distantes dos ruídos dos grandes centros, explica Ricardo Teixeira, líder do comercial da Setpar Empreendimentos. “A pessoa pode morar e trabalhar em uma cidade mais tranquila, com estrutura e com a facilidade que Rio Preto oferece, mas que ainda mantém características do interior, como as áreas verdes e a tranquilidade”, afirma.

Além das belas paisagens e maior contato com a natureza, os preços também podem ser mais atrativos aos clientes. Isso porque, apesar de ter uma ótima infraestrutura, as casas nessas áreas podem sair de 20% a 30% mais baratas do que em áreas já consagradas de Rio Preto. “Temos acompanhado uma grande busca de construtores para poder fazer uma casa em uma localização boa, mas com um custo menor. O que é ótimo para o cliente final, que consegue comprar uma casa mais barata, com toda a facilidade de financiamento já conhecido e, ainda, tendo um bônus de viver em lugar tranquilo e com as mesmas condições estruturais”, completa Ricardo.

Raízes Impperial, condomínio de casas localizado na entrada de Bady Bassitt, atrai quem busca praticidade no deslocamento (Divulgação)

Comércio regional aquecido

Impulsionado pelos novos moradores, o mercado também mira cidades vizinhas a Rio Preto para expandir suas. Um exemplo é aa pizzaria Molecaggio, que possui nove unidades na RM de Rio Preto, sendo sete dentro da cidade-sede e duas nas cidades vizinhas, Mirassol e Bady Bassitt, frutos da investigação sobre essa nova dinâmica imobiliária.

Projetos para a abertura de novas unidades acontecem em razão de um planejamento sobre os avanços do mercado imobiliário. Murilo Ribeiro, diretor da empresa, conta que as unidades têm sido um sucesso, porque as áreas estão em constante crescimento.

“Quando as pessoas optam por morar em lugares teoricamente mais afastados, elas já sabem os desafios que vão ter, principalmente de acesso a comércios, supermercados, farmácias e restaurantes, que geralmente ficam mais afastados da casa delas. Então empresas que se antecipam a isso e têm essa visão de mercado, consegue colher muitos frutos futuramente”, diz Murilo.

(Colaborou Júlia de Britto)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por