SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 24 DE JANEIRO DE 2022
MILITARES

Policiais de Rio Preto denunciam revista por exposição de foto com Bolsonaro

Militares que aparecem na foto com Bolsonaro durante a campanha de 2018 acusam a publicação de calúnia, difamação e por divulgar "notícias falsas"

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 10/09/2021 às 16:48Atualizado em 10/09/2021 às 16:48
Revista Veja usou foto do presidente Jair Bolsonaro com policiais militares de Rio Preto na época da campanha (Reprodução/Veja)

Revista Veja usou foto do presidente Jair Bolsonaro com policiais militares de Rio Preto na época da campanha (Reprodução/Veja)

O comandante da Batalhão da Polícia Militar de Catanduva, major José Thomas Costa Junior e os policiais militares Norberto Anacleto Junior e João Henrique Bonome, todos de Rio Preto, registraram um boletim de ocorrência e pretendem entrar com ação judicial contra a revista Veja devido à publicação de uma foto, registrada em 2018, em que eles aparecem com o então candidato a presidente Jair Bolsonaro. Os policiais questionam a utilização da imagem associada a um artigo de opinião publicado na última quarta-feira, 8, para criticar a influência do presidente sobre as polícias militares dos estados.

Os três policiais registraram um boletim de ocorrência no 1º Distrito Policial de Rio Preto, na tarde de quinta-feira, 9, com acusação de que a publicação cometeu crimes de calúnia e difamação. Os PMs também acusam a revista de publicar de "noticias falsas".

No artigo intitulado "O Horror das Policiais Militares no 7 de Setembro", o jornalista Matheus Leitão analisa o esforço de Bolsonaro para conseguir adesão dos policiais militares em favor das manifestações ocorridas no feriado da última terça-feira, 7 de setembro.

O texto acompanha uma foto de Bolsonaro junto de policiais militares de Rio Preto, registrada durante a campanha presidencial de 2018. Para o advogado Mateus Floriano de Oliveira, que representa os três policiais que fizeram a denúncia, o uso da imagem é inadequado, porque não teria relação com as manifestações de 7 de setembro.

"Um dos meus clientes, o major José Thomas Costa Junior, é comandante do batalhão da PM de Catanduva e a publicação da foto junto com este artigo poderia trazer problemas para carreira dele e dos outros policiais. Tenho que lembrar que, na semana passada, o governo do Estado de São Paulo afastou o coronel da PM Aleksander Lacerda, do comando do CPI-7 de Sorocaba, por ter se manifestado a favor dos protestos", afirmou.

O delegado Helio Fernandes dos Reis, da Polícia Civil, pretende questionar a revista Veja e o jornalista sobre o artigo durante o inquérito policial. "Vou aguardar o advogado dos policiais entrar com uma representação para abrir o inquérito. Vou pedir explicação porque o jornalista associou essa fotografia, feita em 2018, com os fatos que ocorrerem em 2021", diz o delegado.

Além da investigação, o advogado dos PMs disse que pretende na Justiça para exigir retratação e, posteriormente, pedir indenização contra eventuais danos morais.

O Diário entrou em contato com o jornalista Matheus Leitão e com a revista Veja, mas ainda não obteve retorno.

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por