SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 18 DE MAIO DE 2022
VIOLÊNCIA

Vingança pode ter motivado assassinatos de jovens em Rio Preto

Rio Preto já acumula seis assassinatos desde o início do ano

Arthur Pazin e Marco Antonio dos Santos
Publicado em 25/01/2022 às 22:46Atualizado em 26/01/2022 às 09:05
Prédio da Deic de Rio Preto: delegacia de homicídios investiga os casos (Johnny Torres/Arquivo)

Prédio da Deic de Rio Preto: delegacia de homicídios investiga os casos (Johnny Torres/Arquivo)

A Polícia Civil de Rio Preto investiga se há ligação entre dois assassinatos ocorridos em menos de 24 horas na cidade, nos bairros Vila Elmaz e Santo Antônio. Ambos envolvem jovens e têm características parecidas: os autores estavam em motos, atiraram e fugiram em seguida. Com os dois casos, o município chegou a seis homicídios neste ano – em janeiro do ano passado, foram três casos.

“Pode ser que tenha (relação). Pode ser vingança um do outro. A vingança pode ser contra um amigo do autor do primeiro crime”, disse o delegado Alceu Lima de Oliveira Júnior, responsável pela Delegacia de Homicídios, da Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic) de Rio Preto. “Tem chances dos casos da Elmaz e do Santo Antônio terem ligação? Tem chances”.

No primeiro caso, no domingo, 23, à noite, Daniel Juan Marin, 19 anos, foi morto a tiros na Vila Elmaz. Na tarde desta segunda, 24, um adolescente de 17 anos também foi morto a tiros, mas no bairro Santo Antônio. Quanto à motivação para o primeiro crime, a polícia ainda investiga. Segundo Alceu, é “cedo para falar” em guerra do tráfico.

Sobre os outros quatro homicídios, Alceu diz que dois foram de autoria conhecida. “Pelo que eu sei, um foi passional, autoria conhecida. Outro foi com colegas de serviço que moravam juntos, autoria conhecida”, disse. Em relação aos outros dois casos, as investigações estão em curso. “Um deles tem três caminhos a seguir e outro temos uma única linha a seguir.  Complicado falar as linhas que seguimos, pois isso atrapalha a investigação”, diz o delegado. 

Para tentar conter a violência nos bairros em que foram registrados os homicídios, a Polícia Militar vai aumentar o patrulhamento e focar na apreensão de armas, diz o porta-voz da corporação, tenente Claudio Ziroldo, do 17º Batalhão da Polícia Militar.

Em 2020, foram apreendidas 58 armas, em 12 meses. Em 2021, exceto os dados de dezembro, que ainda não foram registrados, foram apreendidas 75 armas.  “Assim como a Polícia Civil, desconfiamos que alguns crimes tenham ligação um com o outro. Intensificamos a apreensão de armas nestes bairros. Reduzindo a quantidade de armas em circulação reduziremos a violência”, afirma o porta-voz, citando os bairros Santo Antônio e João Paulo 2º – no ano passado, uma disputa entre gangues dos locais motivou uma série de homicídios e tentativas em Rio Preto.

Além disso, os serviços de inteligência das polícias Civil e Militar estão no monitoramento das redes sociais, para checar se há postagens de ameaças, para assim começar a identificação das pessoas envolvidas e as motivações dos conflitos.

Tentativa de homicídio

Um homem de 36 anos foi preso pelo Batalhão de Ações Especiais (Baep) da Polícia Militar, no início da noite desta segunda-feira, 24, após tentar matar um rapaz de 27 anos na favela Marte, como é chamada agora a favela da Vila Itália, em Rio Preto.

Segundo a PM, as equipes foram acionadas até a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Vetorasso, onde o rapaz deu entrada após ser baleado.

No local, os policiais apuraram que o rapaz seguia com sua motocicleta no acesso à favela, por uma estrada de terra, quando dois indivíduos saíram de um matagal e atiraram contra o jovem.

Diante das informações colhidas com a vítima, policiais do Baep conseguiram chegar ao autor dos fatos por meio das características. Ele foi preso e levado à Central de Flagrantes junto à arma utilizada no crime.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio e o suspeito permanecerá à disposição da Justiça.

Criminalidade

Homicídios em Rio Preto

  • Janeiro de 2018: 3
  • Janeiro de 2019: 4
  • Janeiro de 2020: 1
  • Janeiro de 2021: 3
  • Janeiro de 2022 (até o dia 25): 6

Assassinatos neste ano

16/01/2022

  • Rafael Vinícius Viana, de 25 anos. Morto a tiros na madrugada de domingo, 16, na avenida Fortunato Ernesto Vetorasso, próximo aos condomínios Villa Borghese
  • Segundo registro policial, dois homens chegaram ao local de moto, o garupa desceu e fez os disparos. A dupla fugiu em seguida. Os autores são desconhecidos

20/01/2022

  • Maria Juciana da Silva, 35 anos, conhecida como Yanne. Morta a tiros dentro de um supermercado no Centro, no fim da tarde de quinta-feira, 20
  • Autor é o ex-marido dela, José Alves de Lima, 53, que se matou em seguida. Caso registrado como feminicídio

21/01/2022

  • William Andres Velasques Sierra, colombiano de 31 anos. Morto a tiros no Jardim Paraíso, na madrugada de sexta-feira, 21
  • Segundo registro policial, um outro homem foi atingido por tiros. O autor dos disparos fugiu e não foi identificado

22/01/2022

  • Antônio Francisco de Souza Silva, 41 anos. Morto a facadas na noite de sábado, 22, em um apartamento no Jardim Novo Mundo
  • Segundo registro policial, o crime ocorreu após briga dele com um colega de trabalho, Genivaldo Alves de Freitas, que também ficou ferido e foi detido

23/01/2022

  • Daniel Juan Marin, 19 anos. Morto a tiros na noite de domingo, 23, na Vila Elmaz
  • Autores foram dois homens em motos, que fugiram após o crime e não foram identificados

24/01/2022

  • Adolescente de 17 anos. Morto a tiros em um ponto de apoio da avenida Orlando Canuto da Silva, no Santo Antônio
  • Autores foram dois homens em uma moto, que fugiram após o crime e não foram identificados
 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por