SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 18 DE AGOSTO DE 2022
OPERAÇÃO VIA ÁUREA

PF faz operação em Rio Preto e região contra comércio de ouro extraído de garimpos ilegais

Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na manhã desta terça-feira, 14

Núcleo Digital
Publicado em 14/06/2022 às 10:08Atualizado em 14/06/2022 às 12:09
Polícia Federal em frente ao Navarro Building na manhã desta terça, 14 (Marco Antonio dos Santos)

Polícia Federal em frente ao Navarro Building na manhã desta terça, 14 (Marco Antonio dos Santos)

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 14, operação Via Áurea contra o comércio de ouro extraído de garimpos ilegais em Rio Preto e região. O alvo do mandado de busca e apreensão foi uma empresa de comércio de metais preciosos, instalada no edifício Navarro Bulding, na Vila São José, em Rio Preto.

"Eles (integrantes da empresa) adquiriram o ouro extraído ilegalmente de terras indígenas. Eles faziam parte deste grupo. Descobrimos eles, a partir da movimentação financeira", explica o delegado responsável pela operação, Sinval Junior Pereira, da PF do Mato Grosso.

No total, um mandado de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Rio Preto, Catanduva, Pontes e Lacerda (MT), Cuiabá (MT) e Várzea Grande (MT).

O objetivo da ação é desarticular organização criminosa formada por pessoas e grupo de empresas envolvidas na compra de ouro extraídos de garimpos ilegais.

Conforme a PF, as investigações começaram após a prisão em flagrante de uma pessoa que fazia o transporte de 1.690g de ouro, sem nota fiscal ou qualquer documento legal que comprove a origem lícita do bem que originalmente pertencente à União. O ouro apreendido tinha como origem a cidade de Pontes e Lacerda/MT e como destino Cuiabá/MT.

Dinheiro, arma e munições apreendidas pela PF (Divulgação)

As investigações apontaram que o ouro é extraído de garimpos clandestinos das terras indígenas localizadas na região de Vila Bela da Santíssima Trindade (MT), Pontes e Lacerda (MT) e Nova Lacerda (MT). Segundo a Polícia Federal, foram identificados os principais integrantes da organização criminosa que financiam de fato a exploração ilegal do meio ambiente.

“Além disso, foi determinado pela Justiça Federal a ordem de bloqueio de todos os veículos em nome dos investigados, bem como o bloqueio de valores em até R$ 9.613.265,42”, afirma a polícia em nota.

Mercadorias apreendidas pela Polícia Federal (Divulgação)

As investigações continuam com o intuito de identificar novos envolvidos e "descapitalizar toda a organização criminosa que, ao comprar e vender ouro de origem ilegal, financiam diretamente a degradação do meio ambiente, poluem os rios da região e geram consequentemente um enorme dano social, além do desequilíbrio no mercado financeiro", finaliza em nota.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por