SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 05 DE DEZEMBRO DE 2021
INVESTIGAÇÃO

PF faz operação contra desvios no auxílio emergencial em Rio Preto e outras 7 cidades

A quadrilha teria dado um prejuízo de aproximadamente R$ 10 milhões aos cofres públicos

Núcleo Digital
Publicado em 24/11/2021 às 08:20Atualizado em 24/11/2021 às 08:55
Polícia Federal faz ação contra fraudes no auxílio emergencial (Divulgação/Polícia Federal)

Polícia Federal faz ação contra fraudes no auxílio emergencial (Divulgação/Polícia Federal)

A Polícia Federal em Araçatuba deflagrou na manhã desta quarta-feira, 24, uma operação para desarticular uma quadrilha investigada por desvios do auxílio emergencial. A PF cumpre 17 mandados de prisão preventiva e 54 de busca e apreensão em cidades do interior de São Paulo, como Rio Preto, Araçatuba, Birigui, Bauru e Marília, além da capital paulista, Anápolis (GO), e Maringá (PR). Ao todo, 210 policiais federais participam da ofensiva chamada “Vida Fácil I” e “Vida Fácil II”. A quadrilha teria dado um prejuízo ao cofres públicos em torno de R$ 10 milhões.

Segundo a Polícia Federal, as apurações começaram em Araçatuba no início deste ano, após receber informações da Unidade de Repressão às Fraudes ao Auxílio Emergencial da PF em Brasília. A partir de um cruzamento de dados, vários indivíduos foram identificados em diversos recebimentos irregulares. 

Essa unidade que faz a fiscalização atua com sistemas de informações que estão dentro de um banco de dados que orienta ações estratégicas utilizadas entre a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa Econômica Federal, Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas da União e Receita Federal, com o objetivo de desarticular grupos criminoso que praticam esse tipo de crime em várias regiões do Brasil.

Conforme a polícia, duas organizações criminosas especializadas na prática de furto, por meio de golpe, do benefício assistencial, em Birigui, estavam agindo não só na região de Araçatuba, mas também em outros Estados. Os líderes do bando teriam utilizado parte do dinheiro desviado na compra de imóveis e carros de luxo.

As investigações continuam e os mandados foram autorizados pela 2ª Vara da Justiça Federal de Araçatuba. A pedido da polícia, a Justiça decretou, além das buscas e prisões, o bloqueio de bens e valores dos investigados objetivando garantir a restituição dos valores desviados para os cofres públicos. 

Os presos serão indiciados por furto, mediante fraude e associação criminosa. A pena máxima para esse tipo de crime é de até 16 anos de prisão. Os presos e todo o material apreendido na operação está sendo encaminhado à sede da Polícia Federal em Araçatuba. Depois de serem ouvidos pelo delegado, serão encaminhados para a carceragem do sistema prisional da região, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal. 

O nome das Operações “Vida Fácil I” e “Vida Facil II” faz alusão ao comportamento dos investigados que, sem apresentar vínculos de trabalho lícito, aproveitam-se da fragilidade do sistema e, por meio de fraudes e desvios de benefícios assistências, querem desfrutar de uma “Vida Fácil˜, uma vida regada a dinheiro, ao consumo de bens de alto valor agregado e com muito tempo livre para usufruir a ambos.

(Colaborou: Guilherme Ramos, com informações da Polícia Federal)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por