SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 28 DE JANEIRO DE 2022
SEMAE

Moradores do Anchieta, em Rio Preto, reclamam de água amarelada nas torneiras

Uma moradora do local contou à reportagem que descobriu após lavar os uniformes de trabalho, que são brancos

Núcleo Digital
Publicado em 17/11/2021 às 14:09Atualizado em 17/11/2021 às 17:34
Moradora do Anchieta colocou algodão na ponta da mangueira para comprovar coloração da água (Arquivo Pessoal)

Moradora do Anchieta colocou algodão na ponta da mangueira para comprovar coloração da água (Arquivo Pessoal)

Alguns moradores do bairro Anchieta, em Rio Preto, afirmam que estão tendo dificuldades para beber água ou fazer tarefas domésticas que necessitem do líquido. Isso porque, segundo eles, desde o começo da semana, as torneiras de vasão da rua estão despejando uma água amarelada, imprópria para o consumo.

A moradora do bairro, Jussara Pessoa, de 58 anos, é enfermeira. Ela contou ao Diário que descobriu as condições da água na última terça-feira, 16, quando foi lavar os uniformes de trabalho, que são brancos. De acordo com ela, essa não é a primeira vez que ela tem problemas com a água do bairro e, por isso, entrou em contato com o Semae para saber do que se tratava.

“Eu percebi que a água estava assim ontem, quando fui lavar minhas roupas. Como não é a primeira vez que tenho problemas na água do bairro, entrei em contato com o Semae. Eles me disseram que outros moradores já haviam entrado em contato, já que, diferente do que notei, o problema está acontecendo desde o começo da semana. Como eles já sabiam a causa da água amarelada, então poderiam me informar que é excesso de sulfato ferroso, o que só deve ser solucionado no final de semana”, disse.

A moradora explica as dificuldades em para lavar as roupas. “Eu fiz a água não dá pra lavar roupa, principalmente branca, porque encarde. Ela disse que não tinha o que fazer durante esse período, ela me instruiu a esperar que a situação fosse solucionada ou que eu utilizasse produtos que clareiam a roupa, mas não dá pra esperar e não adianta utilizar esses produtos e enxaguar na água suja”.

Além do prejuízo na lavagem dos uniformes, Jussara conta sua preocupação com a família, já que eles consomem a água das torneiras. “Eu trabalho na área da saúde, então eu sei que consumir essa água com excesso de sulfato ferroso pode causar problemas no fígado, já que o ferro se acumula nesse órgão. E eu tenho consumido sem perceber desde o começo da semana. Como não tem previsão de ajuste antes do final de semana, terei que comprar água mineral. O que pra mim, é um gasto desnecessário, já que eu pago por água limpa”

A reportagem entrou em contato com o Semae, que disse que a Estação de Tratamento de Água – ETA “Palácio das Águas” - passa por reforma e ampliação. Segundo a autarquia, o objetivo da reforma é melhorar a qualidade do tratamento de água captada na Represa Municipal.

O Semae informou, ainda, que, sazonalmente, a capacidade de fornecimento poderá aumentar de 450 l/s para até 750 l/s. "Na última semana, foi dado início à pré-operação com aplicação de dióxido de cloro para o tratamento da água. Esse produto visa aumentar a eficiência e a economicidade do processo de tratamento desenvolvido na Estação", disse a autarquia em nota.

A entidade lembrou também que por se tratar de um novo produto, ajustes na operação da ETA vem sendo feitos, o que provocou a presença de coloração amarela à água produzida. "Ressaltamos que a coloração amarela não traz risco à saúde da população ou prejuízo na sua utilização", acrescentou o Semae.

Diante disso, a previsão para conclusão da pré-operação e ajustes é, segundo eles, até o final de semana, quando a água produzida pela ETA deverá voltar a sua condição incolor.

(Colaborou Júlia de Britto)

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por