SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2022
MEIO AMBIENTE

Poluição na China diminuiu durante o período de isolamento

Satélites de monitoramento de poluição da NASA detectaram reduções significativas de dióxido de nitrogênio (NO2) sobre o país

Gabriel Vital
Publicado em 27/03/2020 às 11:52Atualizado em 07/06/2021 às 04:50
Mapas mostram concentrações de dióxido de nitrogênio, um gás nocivo emitido por veículos a motor, usinas de energia e instalações industriais (Divulgação/NASA)

Mapas mostram concentrações de dióxido de nitrogênio, um gás nocivo emitido por veículos a motor, usinas de energia e instalações industriais (Divulgação/NASA)

A poluição na China diminui enquanto vigoravam as medidas de isolamento tomadas pelo governo chinês. A observação foi feita pelo pesquisador da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, Marshall Burke, que analisou imagens das NASA e concluiu que havia relação entre o ar mais limpo e a redução de mortes prematuras no país, que foi o primeiro a detectar a transmissão do coronavírus.

Os satélites de monitoramento de poluição da NASA e da Agência Espacial Europeia (ESA) detectaram reduções significativas de dióxido de nitrogênio (NO2) sobre a China. Segundo a NASA, há evidências de que a mudança está, pelo menos parcialmente, relacionada à desaceleração econômica após o surto de coronavírus.

Os mapas mostram concentrações de dióxido de nitrogênio, um gás nocivo emitido por veículos a motor, usinas de energia e instalações industriais. Os mapas acima mostram os valores de NO2 na China de 1 a 20 de janeiro de 2020 (antes da quarentena) e de 10 a 25 de fevereiro (durante a quarentena). Os dados foram coletados pelo Tropospheric Monitoring Instrument (TROPOMI) no satélite Sentinel-5 da ESA.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por