SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2022
REGIÃO

Homem é preso suspeito de matar cachorro em Urupês

Segundo a família, homem é usuário de drogas há anos e teve um "surto"

Marco Antonio dos Santos
Publicado em 16/11/2021 às 11:28Atualizado em 16/11/2021 às 13:35
Homem é preso suspeito de matar cachorro em Urupês (Colaboração/Leitor)

Homem é preso suspeito de matar cachorro em Urupês (Colaboração/Leitor)

Um homem de 31 foi preso em flagrante na segunda-feira, 15, suspeito de ter espancado um cão até a morte, em Urupês. O acusado diz que tinha dado apenas um corretivo no animal para que ele não fugisse de dentro de casa.

O homem foi denunciado por pessoas que o assistiram dando chineladas, socos e chutes no corpo do cão. Partes delas interviu para interromper as agressões contra o animal.

Um policial ambiental, morador de Urupês, que estava de folga, foi até o local para verificar qual era o estado de saúde do cão, mas quando chegou percebeu que o animal já estava em agonia.

Ao indagar o autuado, ele teria afirmado que apenas "deu um corretivo" no animal, para que não mais saísse à rua, porém, sem exageros, e que não o fez na intenção de matá-lo, conforme trecho do boletim de ocorrência.

O delegado de plantão na central de flagrantes de Novo Horizonte, André Almeida, determinou, então, a prisão em flagrante do homem, que deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira, 16.

Drogas e surto

Procurada pela reportagem, a família do agressor confirmou o caso e informou que o homem é usuário de drogas "há muitos anos" e que teve um surto. No entanto, os familiares relatam que, apesar do episódio, ele sempre tratou bem o animal.

"Não sabemos o que aconteceu. As pessoas têm que conhecer a história, não sei se justifica o que ele fez, mas a gente não sabe se ele estava alucinando", comentou a cunhada do suspeito, que não quis se identificar.

Ela contou ao Diário que já foram anos e anos de internações sem sucesso e que o caso de ontem foi mais uma situação difícil, na qual "as pessoas pioram", referindo-se ao linchamento virtual após o episódio.

"O que estão falando são absurdos, ele não é nada disso. Ele vai pagar pelo o que fez, mas as postagens têm que parar", concluiu a mulher, que pediu respeito à família "enquanto as coisas se resolvem".

 (Colaborou Arthur Pazin)

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por