SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO DE 2022
INVESTIGAÇÃO

Haitianos são furtados após juntar R$ 13,5 mil para trazer filhas a Rio Preto

Suspeito já foi identificado pela Polícia Civil, mas dinheiro ainda não foi recuperado; vizinhança criou "vaquinha" para ajudar casal a recuperar a quantia

Arthur Pazin
Publicado em 05/05/2022 às 11:32Atualizado em 05/05/2022 às 15:13
Donald Jean Jacques, haitiano que vive em Rio Preto há quatro anos e após juntar dinheiro para trazer as filhas para cá, teve a quantia furtada (Johnny Torres 4/5/2022)

Donald Jean Jacques, haitiano que vive em Rio Preto há quatro anos e após juntar dinheiro para trazer as filhas para cá, teve a quantia furtada (Johnny Torres 4/5/2022)

Desde que chegou a Rio Preto, há quatro anos, o casal de haitianos Donald Jean Jacques, 44 anos, e Marie Yvrose Fils, 45, tem como meta juntar dinheiro para trazer para a cidade as filhas, de 7 e 8 anos, que ficaram com familiares em Porto Príncipe, capital do país, por conta da situação financeira dos dois.

Após todo este tempo juntando parte dos salários recebidos em uma conta bancária, o casal finalmente atingiu o montante necessário e conseguiu a autorização para trazer as crianças.

Na manhã do último sábado, 30, sacaram o valor de R$ 13,5 mil que estava no banco para trocar por dólar e, então, enviar o dinheiro à família para a compra das passagens das crianças, uma vez que o banco utilizado por eles não realiza transações com o Haiti.

Com o valor em mãos, o casal colocou o dinheiro debaixo do colchão, na casa de fundos onde mora, no São Francisco, para, então, trocar por dólares. Ao sair de casa por cinco minutos, eles contam que encontraram, na volta, a janela arrombada e constataram que o dinheiro havia sido furtado.

Donald Jean Jacques, haitiano que vive em Rio Preto há quatro anos e após juntar dinheiro para trazer as filhas para cá, teve a quantia furtada (Johnny Torres 4/5/2022)

Depois de registrar um boletim de ocorrência, Donald foi ouvido pelo delegado João Lafayete Sanches Fernandes, do 1º, 2º e 5º Distrito Policial (DP). As investigações já chegaram a um suspeito que, segundo o delegado, possui uma extensa ficha criminal, com passagens por crimes de receptação, furto de veículo, violência doméstica, ameaça e tráfico de drogas.

O dinheiro, entretanto, ainda não foi recuperado. "Estamos fazendo o possível para tentar localizar esta quantia, mas o dinheiro pode ter sido usado de várias formas", afirmou o delegado da Polícia Civil, que abriu inquérito para apurar o caso.

Vizinhos criam 'vaquinha'

Diante da situação, os vizinhos de Donald e Marie se solidarizaram com o caso e resolveram criar uma "vaquinha" para ajudar o casal a obter o dinheiro novamente e trazer as crianças para Rio Preto.

A professora Adriana Bonini de Farias Andrigo não tinha, até então, contato com os haitianos, mas, na manhã do sábado, passou a ter depois de ouvir os gritos de desespero de Marie. "Fiquei apavorada e fui saber o que estava acontecendo. Quando cheguei lá, ela estava deitada no chão, chorando", disse a rio-pretense, que ao saber da história, resolveu ajudar junto a outros vizinhos.

Com a meta de arrecadar novamente os R$ 13,5 mil, o casal agora só pensa em trazer as filhas e em seguida, encontrar um novo local para morar em Rio Preto, já que está assustado com o ocorrido.

"Quero trazer minhas filhas pra estudar aqui e começar a juntar dinheiro para comprar um carro e uma casa para nossa família", disse Donald.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por