SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
CRAQUES EM HISTÓRIA

Rio-pretenses vão representar a cidade na final da 14ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

Os representantes de Rio Preto são dos colégios Liceu, Policare, Santo André e Kelvin

Da Redação
Publicado em 22/06/2022 às 22:13Atualizado em 23/06/2022 às 14:57
Equipe Antropófagos, de Rio Preto, é uma das que estão na final da olimpíada (Colaboração/Ricardo Boni)

Equipe Antropófagos, de Rio Preto, é uma das que estão na final da olimpíada (Colaboração/Ricardo Boni)

Quatro equipes de colégios rio-pretenses vão representar a cidade na final da 14ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ao todo, 320 grupos de todos os estados irão concorrer a medalhas de bronze, prata e ouro que serão disputadas de forma presencial em Campinas, nos dias 20 e 21 de agosto.

Entre 36 mil alunos que se inscrevem, apenas 960 estão nesta reta final. Os representantes de Rio Preto são dos colégios Liceu, Policare, Santo André e Kelvin.

A equipe Antropófagos, do Colégio Liceu, formada pelos estudantes Léo Peixe de Boni, 16 anos, Matheus Oliveira, 16, e Muriel Salimon, 17, já está com as malas prontas. Para Léo, que cursa a segunda série do ensino médio e tem o sonho de ser professor de História, esta é uma grande conquista e uma recompensa pelo esforço dedicado a cada fase da Olimpíada.

“Participar deste evento muda nossa rotina de estudos. Cada fase traz reflexões e ensinamentos importantes, colaborando para o nosso ensino e nos preparando para o vestibular e para a vida. Estamos preparando um planejamento de estudos de agora até a final para conseguirmos trazer para a nossa cidade uma medalha”, conta.

No Colégio Kelvin Rio Preto, a finalista é a equipe Dínia, composta pelos alunos Eduardo Lemes, Gilberto Trinca Caires e Sofia Guidoni de Fontes, alunos da 1ª série.

No Colégio Kelvin Rio Preto, a finalista é a equipe Dínia, composta pelos alunos Eduardo Lemes, Gilberto Trinca Caires e Sofia Guidoni de Fontes, alunos da 1ª série (Divulgação)

"Uma rotina de estudos, discussões e muita pesquisa, coordenados pela professora Hellen, tem sido vivenciada pela equipe, com a torcida de todo o colégio, que chegou à quarta fase com 20 equipes e agora vibra com a equipe finalista", disse a diretora, Ana Paula Tozato.

Segundo ela, a cultura de olimpíadas pedagógicas é algo muito valorizado no colégio, que participa, anualmente, de olimpíadas nas diversas áreas do conhecimento. "Proporcionando aos alunos uma vivência que inclui rotina de estudos, preparação, provas em diferentes etapas e processos avaliativos", disse, ressaltando que na Olimpíada Nacional de História do Brasil o colégio está entre as finalistas e premiadas desde 2018, com acompanhamento da professora Hellen Maria Marquezini Drudi.

A competição também faz parte do edital “Vagas Olímpicas” da Unicamp. De acordo com o desempenho, os participantes podem concorrer a duas vagas no curso de graduação em História da Unicamp, sem passar pelo vestibular.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por