SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 10 DE AGOSTO DE 2022
PANDEMIA

Comitê vai discutir uso de pulseiras por pacientes com Covid em Rio Preto

Secretário Aldenis Borim disse que, apesar de ser contra o método, levará o assunto para discussão do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus; Nova Granada, Tabapuã e Nhandeara já marcam pacientes com o acessório

Gabriel Vital
Publicado em 09/04/2021 às 16:04Atualizado em 06/06/2021 às 09:11
Secretário Aldenis Borim disse que, apesar de ser contra o método, levará o assunto para discussão do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus; Nova Granada, Tabapuã e Nhandeara já marcam pacientes com o acessório (Divulgação/Prefeitura de Nova Granada)

Secretário Aldenis Borim disse que, apesar de ser contra o método, levará o assunto para discussão do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus; Nova Granada, Tabapuã e Nhandeara já marcam pacientes com o acessório (Divulgação/Prefeitura de Nova Granada)

O secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, admitiu nesta sexta-feira, 9, que levará à discussão do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus o uso de pulseiras por pacientes confirmados ou suspeitos de Covid-19 no município. Aldenis disse que é contra o uso do acessório para "marcar" os pacientes e que o assunto nunca foi discutido na cidade, mas considerou que o momento é de "guerra" e não descartou a possibilidade de adotar a medida.

Aldenis foi questionado sobre o assunto pelo vereador Renato Pupo (PSDB) durante sabatina online na Câmara de Rio Preto. O vereador disse que o ato pode parecer "discriminatório", mas ponderou que há pacientes contaminados ou com suspeita de Covid-19 e que continuam circulando. "Eu sei de dois casos concretos. Um aconteceu no Plantão [Policial] e outro aqui na minha delegacia. A pessoa está aguardando para ser atendida e pede para agilizar porque está com Covid", disse o vereador, que é delegado da Polícia Civil em Rio Preto.

O secretário de Saúde disse que o assunto das pulseiras nunca foi discutido pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus. "Garanto que vou por em discussão, ver o que o Comitê acha dessa possibilidade, porque, embora seja, talvez, discriminatório, nós estamos vivendo um momento de guerra, em que a gente talvez tenha que tomar atitudes que não são do perfil da gente", afirmou Aldenis.

As pulseiras que indicam a necessidade de isolamento começaram a ser usadas em Nova Granada e ganharam a adesão de outros municípios, como Tabapuã e Nhandeara . Os três municípios da região usam uma pulseira amarela para indicar que o paciente está com suspeita de Covid-19 e uma vermelha quando o resultado dá positivo para a doença. Em ambos os casos, o acessório serve para evidenciar que essas pessoas, que não necessitam de internação, precisam ficar em isolamento domiciliar. O descumprimento pode render multa, como já aconteceu em Nova Granada .

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por