Psiquiatra aprofunda estudo sobre autismoÍcone de fechar Fechar

Saúde

Psiquiatra aprofunda estudo sobre autismo

Saúde


    • São José do Rio Preto
    • máx min

Autor de livros como O Reizinho da Casa e Manual Antibullying, o psiquiatra rio-pretense Gustavo Teixeira já vendeu mais de 100 mil exemplares. E esse número deve aumentar com o lançamento do Manual do Autismo, programado para o dia 2 de abril, Dia Internacional da Conscientização do Autismo. Editada pela Best Seller, a obra conta com oito capítulos. Trata-se de um manual prático com informações objetivas sobre as características iniciais do autismo.

No livro, Teixeira, que é psiquiatra da infância e adolescência, reúne métodos e estratégias para familiares e profissionais que convivem com crianças autistas, e fala sobre causas, fatores de risco, sinais de alerta, estratégias para o diagnóstico correto, dicas para a busca por tratamento médico especializado e orientações sobre as 15 principais estratégias de tratamento.

O transtorno do espectro autista é definido como uma condição comportamental caracterizada por prejuízo no desenvolvimento de habilidades sociais, de comunicação e de cognição da criança, com o aparecimento dos sintomas a partir dos primeiros anos de vida. Aproximadamente 1% da população infanto-juvenil é portadora de autismo no mundo.

Teixeira decidiu escrever o livro porque, segundo ele, ainda falta informação psicoeducacional de qualidade sobre o transtorno. “Infelizmente, falta material educativo para pais, educadores e profissionais, escrito numa linguagem prática e objetiva para auxiliar na conscientização e no conhecimento para a busca de um tratamento adequado.”

O livro levou cerca de um ano para ser escrito e, de certa forma, resume os 15 anos de trabalho do médico com saúde mental infantil. “As informações contidas no livro são fruto de grande pesquisa e de dados colhidos das principais fontes epidemiológicas no mundo, como o Centro de Controle de Doenças (CDC), nos Estados Unidos.”

 

Livro "Manual do Autismo" - 14022016

Diário da Região - O autismo ainda é pouco discutido no Brasil?

Gustavo Teixeira - Sim, infelizmente, é uma realidade brasileira. Para se ter uma ideia do tamanho do problema, estima-se que cerca de 600 mil crianças e adolescentes brasileiros tenham esse diagnóstico, entretanto, a maioria nem tem diagnóstico e não busca tratamento. O ideal seria um diagnóstico antes dos 2 anos de idade, pois poderíamos aproveitar as chamadas ‘janelas de oportunidade’, quando o tratamento tem melhores resultados. Mas no Brasil a idade média de diagnóstico é 8 anos de idade.

 

Diário - Como é feito o diagnóstico do transtorno?

Teixeira - O diagnóstico do autismo é clínico, depende de uma minuciosa avaliação comportamental da criança e entrevista com os pais. Caso a criança já esteja inserida em um programa educacional, a avaliação pedagógica escolar será também muito importante. Durante esse processo de avaliação, estaremos atentos aos marcos evolutivos da criança para identificar possíveis atrasos do desenvolvimento, como a fala, a capacidade de interação social e de comunicação verbal e não-verbal, cognição, dentre outras coisas.

 

Diário - O livro vai ser lançado no Dia Internacional da Conscientização do Autismo.

Teixeira - Dia 2 de abril, monumentos como a Torre Eiffel e o Cristo Redentor serão iluminados de azul para lembrar a data, e será um dia muito especial para lançar o livro. Esse primeiro lançamento será no Rio de Janeiro, depois, já temos outras nove capitais brasileiras agendadas. Ainda não temos data para o lançamento em Rio Preto.

 

Diário - O senhor é autor de livros como O reizinho da casa, Manual Antibullying, Desatentos e hiperativos, Manual dos Transtornos Escolares e Manual Antidrogas. Que análise faz da sua carreira como escritor?

Teixeira - Fico muito feliz que esteja contribuindo para a psicoeducação brasileira. Há 15 anos, pouco se falava no assunto, mas muita coisa já mudou. Lembro também que no passado poucos acreditavam no meu projeto. Hoje, são seis títulos da coleção sobre comportamento infantil, 100 mil exemplares vendidos, e ofereço um curso de verão na Bridgewater State University, nos Estados Unidos, baseado nos meus livros e no meu trabalho psicoeducacional com educadores.

O meu website Comportamentoinfantil.com (www.comportamentoinfantil.com) é também uma grande referência gratuita de material psicoeducacional para pais e educadores no Brasil e me orgulha muito. Logo, uma frase que sempre repito em palestra para educadores, médicos e demais profissionais da saúde mental infantil é: ‘Nunca desista de seus sonhos, pois impossível é tudo aquilo que você não quer alcançar’.

 

Diário - O senhor nasceu em Rio Preto, mas hoje vive no Rio de Janeiro.

Teixeira - Com 17 anos, fui para os Estados Unidos, onde terminei o ensino médio. De volta ao Brasil, morei um ano em São Paulo e fui fazer medicina no Rio de Janeiro, em 1997. Mas minha família, pais, irmã, sobrinho, avó, tios, primos, continua morando em Rio Preto!

 

Diário - Quais os planos para o futuro? Já tem outro livro em produção?

Teixeira - O plano atual é continuar a divulgação da psicoeducação por meio de meus livros e palestras, como ferramentas essenciais para identificação precoce e para o tratamento das condições comportamentais que afetam crianças e adolescentes em idade escolar. Além disso, em 2017, pretendo fazer meu doutorado nos Estados Unidos e levar meu trabalho psicoeducacional para escolas americanas também.