X
X

Diário da Região

17/12/2016 - 02h56min

Saúde

Doce veneno

Saúde

Stock Images/Divulgação O problema não está na frutose contida nas frutas, mas na frutose presente em alimentos processados, que é derivada do milho
O problema não está na frutose contida nas frutas, mas na frutose presente em alimentos processados, que é derivada do milho

De tempos em tempos, alguns alimentos e substâncias contidas neles voltam ao banco dos réus quando o assunto é saúde. Desta vez o centro das atenções é a frutose, o açúcar natural das frutas. Encontrada naturalmente nas frutas e no mel, sua capacidade de adoçar é superior ao da sacarose, por isso faz tanto sucesso na indústria. A frutose é um tipo de açúcar que está também em vários produtos que consumimos: ketchup, refrigerantes, bebidas energéticas, cereais, biscoitos, bolos, sorvetes, pães etc. Muitos acreditam que ela é o açúcar das frutas. 

Parte disso é verdade, mas a frutose presente em alimentos processados é derivada do milho e não das frutas. É preciso, portanto, entender que temos dois tipos de origem de frutose e que isso faz toda a diferença. "Temos a frutose que é adicionada na maior parte dos alimentos industrializados e que para esclarecimento não é a mesma frutose que vem da fruta e nem do mel e, sim, a frutose que vem do milho, um xarope de milho com alto teor de frutose e que na composição dos alimentos, no rótulo, pode receber o nome de 'açúcar invertido', usado para dar sabor agradável ao alimento, dando gostinho de 'quero mais', e que é muito mais barato para a indústria do que o açúcar comum", explica a nutricionista Flávia Cesar.

"Frutose, é verdade, é bem mais doce que o açúcar comum, a sacarose. Alguma coisa em torno de 33% mais doce. No entanto, fornece as mesmas calorias em cada grama. Ou seja, cada grama de frutose, ou de sacarose, tanto faz, fornece as mesmas 4 kcal", diz Luiz Eduardo Rodrigues de Carvalho, professor da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio dem Janeiro (UFRJ). 
A frutose é feita industrialmente da glicose, que por sua vez é feita do amido, retirado do fub'á, feito do milho. "Nada a ver com as cerejas e o mel que os fabricantes de frutose colocam coloridamente em seus rótulos", diz ainda. A frutose engorda igualzinho à sacarose. 

Perigo para a saúde

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o consumo da frutose nos países desenvolvidos subiu 250% nas últimas décadas. Ok que muito desse percentual se deve ao exagero nas doses de xarope de milho, principalmente nos Estados Unidos. A substância tem sido apontada como uma das principais responsáveis pela epidemia de obesidade na terra do Tio Sam. "O consumo excessivo de alimentos industrializados leva ao aumento do consumo da frutose utilizada na indústria alimentícia, que é um tipo de açúcar e, portanto, seu consumo, apesar de não interferir na produção de insulina, favorece o aumento da taxa de açúcar no sangue, favorecendo o diabetes do tipo 2", diz Flávia Cesar. 

Estudos mostram que o consumo de uma única lata de refrigerante ao dia resulta no ganho de cerca de sete quilos ao ano. Muito do açúcar invertido ou xarope de milho chamado de frutose, acrescentado nos refrigerantes colas, mascaram a quantidade de sódio (sal) que esses alimentos contem. Isso significa que além de colaborar com a obesidade e o diabetes também mascaram o sal, que contribui com hipertensão (pressão alta). A frutose favorece também o aumento do triglicérides.

Esse açúcar invertido inibe um hormônio regulador da saciedade, fazendo com que você coma mais e aumente a obesidade que por si só já facilita as doenças do coração. "A frutose usada na indústria de alimentos favorece obesidade, triglicérides, diabetes melitus do tipo 2, hipertensão e doenças cardiovasculares. A este conjunto de doenças associadas damos o nome de síndrome metabólica. Então, podemos dizer que a frutose usada na indústria alimentícia colabora com a síndrome metabólica", diz Flávia.

Penalizar as frutas é injustiça

Todas as provas obtidas até agora contra a frutose estão ligadas ao consumo excessivo. Isso significa que penalizar as frutas é considerado pelos especialistas uma injustiça. "As frutas 'in natura' são componente obrigatório, inclusive em grande quantidade, da dieta saudável", diz o nutrólogo Plínio Luis Luppino. Atualmente, tem muita gente deixando de comer fruta por informação distorcida. A frutose da fruta é diferente da frutose adicionada aos frutos industrializados.

Quando ingerimos uma fruta, temos, além da frutose, glicose (que também é açúcar), e temos vitaminas, minerais, carboidratos e fibras. "Esses nutrientes naturalmente presentes nas frutas fazem toda a diferença. As vitaminas e minerais têm ação antioxidante, que previne o envelhecimento precoce (antiaging), age no vilões chamados radicais livres e inibe processos inflamatórios que geram doenças", explica a nutricionista Flávia César. 

As fibras são fundamentais para, além de melhorar o funcionamento intestinal, gerar saciedade, ajudar e eliminar o colesterol e gorduras do organismo e ainda evitar que a frutose seja absorvida de forma rápida, equilibrar a taxa de açúcar no sangue, tanto o da fruta em si, como do carboidrato e açúcar vindo de outros alimentos. Portanto, frutas podem e devem ser consumidas. Os especialistas sugerem três frutas diárias, distribuídas ao longo do dia e não ingeridas de uma única vez. 

Dicas

  • Reduza a ingestão de alimentos adoçados artificialmente
  • Evite doces enlatados. Prefira os caseiros preparados com frutas naturais e adoçados com pouca quantidade de açúcar
  • Reduza ou elimine o consumo de refrigerantes. Tome água
  • As barras de cereais podem conter alto teor de xarope de milho entre os grãos. Evite
  • Fuja dos iogurtes com frutas no fundo. O xarope de milho é usado para preparar essas 'geleias de frutas' que ficam no fundo do pote. Opte por iogurtes desnatados e de baixa caloria. Existem opções no mercado com baixo teor de açúcar ou mesmo isentas de adição de açúcar
  • Evite a ingestão de ketchup, molho industrializado para saladas, molho para churrasco e sopas de pacotes. Esses alimentos têm alto teor de açúcar adicionado
  • Se for comer chocolate, escolha os meio amargos ou amargos, com maior concentração de cacau
  • Leia sempre os rótulos dos alimentos antes de comprar

Ingestão exagerada de frutose

O excesso de xarope de milho nos alimentos significa a ingestão de calorias extras, o que, consequentemente, leva a um ganho de peso indesejável. Esses quilos a mais também podem estar associados a problemas de saúde como aumento da pressão arterial, diabetes mellitus e síndrome metabólica

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso